10 de fevereiro de 2010

Trio de Donato dá leveza ao sambolero do autor

Resenha de CD
Título: Sambolero
Artista: João Donato Trio
Gravadora: Dubas Música
Cotação: * * * *

Tom Jobim (1927 - 1994) já dizia que "João Donato é o que há". Com sua bossa de sotaque jazzístico e meio caribenho, Donato passeia com leveza por sambas e boleros. Essa leveza é mantida pelo João Donato Trio no recém-lançado CD Sambolero. O trio em questão é formado por Donato (ao piano), Robertinho Silva (bateria) e Luiz Alves (baixo) - músicos com os quais o anfitrião e líder do trio já toca há anos. O que explica a total interação entre os músicos que valoriza muito Sambolero, álbum intitulado com o nome da bissexta parceria de Donato com a cantora Carmen Costa (1920 - 2007). Com a adição da percussão de Sidinho, o trio dá tratamento apurado ao repertório, espécie de best of do cancioneiro de Donato. Desfilam - em enxutas versões instrumentais - temas como Amazonas (Donato e Lysias Ênio), Quem Diz que Sabe (Donato e Paulo Sérgio Valle), Bananeira (Donato e Gilberto Gil), Brisa do Mar (Donato e Abel Silva), A Rã (Donato e Caetano Veloso) e Nasci para Bailar (Donato e Paulo André Barata). Todos reiteram a sensação de que não há notas jogadas fora. O que reforça a impressão de que as cordas arregimentadas para a faixa Surpresa - parceria de Donato com Caetano Veloso - são elementos até dispensáveis. Porque o trio, acrescido da percussão de Sidinho, parece se bastar no disco.

4 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Tom Jobim (1927 - 1994) já dizia que "João Donato é o que há". Com sua bossa de sotaque jazzístico e meio caribenho, Donato passeia com leveza por sambas e boleros. Essa leveza é mantida pelo João Donato Trio no recém-lançado CD Sambolero. O trio em questão é formado por Donato (ao piano), Robertinho Silva (bateria) e Luiz Alves (baixo) - músicos com os quais o anfitrião e líder do trio já toca há anos. O que explica a total interação entre os músicos que valoriza muito Sambolero, álbum intitulado com o nome da bissexta parceria de Donato com a cantora Carmen Costa (1920 - 2007). Com a adição da percussão de Sidinho, o trio dá tratamento apurado ao repertório, espécie de best of do cancioneiro de Donato. Desfilam - em enxutas versões instrumentais - temas como Amazonas (Donato e Lysias Ênio), Quem Diz que Sabe (Donato e Paulo Sérgio Valle), Bananeira (Donato e Gilberto Gil), Brisa do Mar (Donato e Abel Silva), A Rã (Donato e Caetano Veloso) e Nasci para Bailar (Donato e Paulo André Barata). Todos reiteram a sensação de que não há notas jogadas fora. O que reforça a impressão de que as cordas arregimentadas para a faixa Surpresa - parceria de Donato com Caetano Veloso - são elementos até dispensáveis. Porque o trio, acrescido da percussão de Sidinho, parece se bastar no disco.

10 de fevereiro de 2010 19:23  
Anonymous Anônimo said...

Mauro,

Tá vindo um CD novo de Emílio Santiago. Merece uma resenha.
http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2010/02/06/cd-de-emilio-santiago-leva-de-volta-ao-som-de-ed-lincoln-915798435.asp

Quem dera saissem os discos da Phillips/Poligram

10 de fevereiro de 2010 19:25  
Anonymous Anônimo said...

Base musical do melhor disco de Nana Caymmi(Nana 1977,RCA/Victor)e também o melhor trabalho de Dori como arrnjador.Aliás um dos 10 maiores discos da MPB de todos os tempos e o preferido da Bethânia.Correr pra comprar esse trabalho dessa turma de feras.

11 de fevereiro de 2010 16:32  
Blogger Laila Guilherme said...

Vi o show Sambolero em São Paulo. Donato, cada vez tocando melhor (se isso é possível) e sempre bem acompanhado. Ainda mais que nesse dia estava com Mônica Salmaso!!

12 de fevereiro de 2010 20:10  

Postar um comentário

<< Home