9 de dezembro de 2009

Clayton orquestra obra de Aznavour em bom CD

Resenha de CD
Título: Charles Aznavour
& The Clayton Hamilton
Jazz Orchestra
Artista: Charles Aznavour
Gravadora: Capitol
Records / EMI Music
Cotação: * * *

Aos 85 profícuos anos, Charles Aznavour ainda continua em atividade, fazendo turnês e gravando discos. Em maio de 2009, o senhor da canção francesa se dividiu entre o Capitol Studios (Los Angeles, EUA) e o Sear Studios (Nova York, EUA) para gravar 12 standards de seu cancioneiro e duas inéditas com a The Clayton & Hamilton Jazz Orchestra. Sob a regência do maestro e baixista John Clayton, Aznavour embala sua obra em tons jazzísticos, à moda das big-bands da era do swing - como pode ser conferido em faixas como The Jam e Viens Fais-moi Rêver. A voz do cantor perdeu parte do viço por conta do tempo, mas ainda soa firme e majestosa. Os arranjos seguem os padrões do gênero, mas é justo ressaltar a pulsação especial dada pela orquestra a Comme Ils Disent. Duetos de Aznavour com Dianne Reeves (em The Times We've Known) e Rachel Ferrell (em Fier de Nous e na suave I've Discovered that I Love You) contribuem para dar brilho adicional ao disco, embora Ferrell carregue nas tintas em Fier de Nous. No todo, trata-se de bom CD. Que reitera o longevo talento do cantor.

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Aos 85 profícuos anos, Charles Aznavour ainda continua em atividade, fazendo turnês e gravando discos. Em maio de 2009, o senhor da canção francesa se dividiu entre o Capitol Studios (Los Angeles, EUA) e o Sear Studios (Nova York, EUA) para gravar 12 standards de seu cancioneiro e duas inéditas com a The Clayton & Hamilton Jazz Orchestra. Sob a regência do maestro e baixista John Clayton, Aznavour embala sua obra em tons jazzísticos, à moda das big-bands da era do swing - como pode ser conferido em faixas como The Jam e Viens Fais-moi Rêver. A voz do cantor perdeu parte do viço por conta do tempo, mas ainda soa firme e majestosa. Os arranjos seguem os padrões do gênero, mas é justo ressaltar a pulsação especial dada pela orquestra a Comme Ils Disent. Duetos de Aznavour com Dianne Reeves (em The Times We've Known) e Rachel Ferrell (em Fier de Nous e na suave I've Discovered that I Love You) contribuem para dar brilho adicional ao disco, embora Ferrell carregue nas tintas em Fier de Nous. No todo, trata-se de bom CD, que reitera o longevo talento do cantor.

9 de dezembro de 2009 15:42  

Postar um comentário

<< Home