15 de março de 2009

Vallen arma 'circo de emoções' ao gravar DVD

Resenha de Show - Gravação de DVD
Título: Ricky Vallen
Artista: Ricky Vallen (em foto de Mauro Ferreira)
Local: Canecão (RJ)
Data: 14 de março de 2009
Cotação: * *

Na música Palavra e Som, escolhida por Ricky Vallen para abrir o show que apresentou no Canecão (RJ) na noite de sábado, 14 de março de 2009, o ofício de cantor é celebrado com versos que comparam o palco a um picadeiro e falam em "circo de emoções". Em sintonia com a letra, Vallen armou seu circo de emoções em espetáculo hi-tech idealizado para ser gravado ao vivo e gerar CD e DVD (o primeiro do artista) a serem lançados ainda no primeiro semestre de 2009 pela gravadora Sony Music. Ao fim do show, ele já estava no meio do público, em cima de uma das mesas do Canecão, cantando os versos iniciais de Maria Maria (Milton Nascimento e Fernando Brant) logo após ter circulado esfuziante pela platéia ao reviver o samba-reggae Ilê Pérola Negra, sucesso de Daniela Mercury que Vallen costurou com Milagres do Povo (Caetano Veloso) em link afro-baiano. Detalhe: a rigor, tal momento nem seria usado na gravação. Por conta de problemas técnicos com os telões de última geração instalados ao centro e nas laterais do palco, o show começou com mais de uma hora de atraso e seria todo repetido (ao fim) - para ser gravado sem erros.

Intérprete over por natureza, mas dotado de grandes recursos vocais, Ricky Vallen reiterou seu estilo de interpretação exacerbado ao desfiar roteiro de ecletismo excessivo como seu gestual dramático. Já no segundo número, Disparada, em que o cantor ralentou de início o ritmo do sucesso de Jair Rodrigues, Vallen já estava com lágrimas nos olhos. O palco do Canecão - estendido com uma passarela - era o seu picadeiro. E lá o ex-calouro do programa do apresentador de TV Raul Gil reinou, triufante e sempre exagerado, ao reviver sucessos como Espumas ao Vento, Avesso (o caudaloso tema de Jorge Vercilo que teve sua conotação gay realçada por Vallen) e Linda Demais (uma música homônima do hit do Roupa Nova, aliás ponto fraco do repertório).

"Pode aplaudir que eu gosto", pediu o astro após enfatizar em discurso que tinha chegado até ali - à gravação de seu DVD no palco do Canecão - sem "cooperar com a canalhice de ninguém". O público, dado a emoções baratas, aplaudiu mesmo. Seguiram-se dueto com a cantora Shirley Carvalho em Miss Celie's Blues - com direito a notas alongadas nos improvisos finais - e abordagem de Tango pra Tereza cheio de pausas dramáticas que alterou a divisão e diluiu a pulsação do sucesso de Ângela Maria nos anos 70. Inclusive pelo timbre heavy da guitarra que pontuou o arranjo. Bem ao estilo de Vallen, o número foi encerrado com passos de dança ao lado de bailarina que já evoluía sozinha ao fundo do palco desde o começo da música. Fãs entraram na dança.

Linear em seus exageros vocais e gestuais, Vallen levou seu show circense adiante com Essa Dona, versão de Cláudio Rabello para o hit italiano Senza Donna. Mas eis que, no número seguinte, Esperando Aviões (Vander Lee), o circo hi-tech desarmou. Os dois telões laterais não funcionaram desde o começo, mas o maior - posicionado ao centro, ao fundo do palco - falhou e deixou de exibir as imagens. Vallen também desarmou. " me sentindo vazio. dificultando meu show", diria ele, irritado, instantes depois, ao reclamar que não ouvia seu público. Dali em diante, o telão central funcionou e voltou a falhar minutos depois - cena que se repetiu ao longo da noite. Foi quando Vallen anunciou que daria continuidade ao show mesmo com as falhas e, em seguida, repetiria o espetáculo para fazer valer a confusa gravação ao vivo.

Após cantar Pra ser Amor, o artista - então menos tenso com sua decisão - cantou a capella, de improviso, baladas gravadas por cantoras como Mariah Carey (Hero) e Whitney Houston (One Moment in Time) antes de gastar seu italiano com uma música que ouvia quando era "bem pequenininho". A música era Io Che Amo Solo a Te, alvo de momento supostamente mais intimista. O sucesso do cantor Sérgio Endrigo ganhou registro pontuado por acordeom e violino, com Vallen sentado em banco posicionado à frente da passarela. Foi de fato um número mais íntimo se comparado com o registro exibicionista de Unforgettable, em que Vallen alternou tons masculinos e femininos para simular o dueto virtual feito por Natalie Cole em 1991 com seu pai, Nat King Cole (1919 - 1965). Seguiram-se um número em espanhol (Mi Corazón te Reclama), a inédita Se Você Escutar (típica do cancioneiro brega) e tema de Simone Saback (Vida), autora de hit de Fábio Jr.

Vallen poderia se tornar excelente cantor se podasse excessos. Contudo, ele parece querer exibir a todo instante seu arsenal vocal. E o resultado é que até uma canção calma como Paciência (Lenine) passa muito do ponto na sua interpretação. Por conta dessa dramaticidade over, Vallen acaba soando mais à vontade em músicas como Vidro Fumê, seu hit brega turbinado com trio de metais, requebros sensuais e o coro forte do público. É pena, pois, no caso de Ricky Vallen, menos poderia significar bem mais.

54 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Na música Palavra e Som, escolhida por Ricky Vallen para abrir o show que apresentou no Canecão (RJ) na noite de sábado, 14 de março de 2009, o ofício de cantor é celebrado com versos que comparam o palco a um picadeiro e falam em "circo de emoções". Em sintonia com a letra, Vallen armou seu circo de emoções em espetáculo hi-tech idealizado para ser gravado ao vivo e gerar CD e DVD (o primeiro do artista) a serem lançados ainda no primeiro semestre de 2009 pela gravadora Sony Music. Ao fim do show, ele já estava no meio do público, em cima de uma das mesas do Canecão, cantando os versos iniciais de Maria Maria (Milton Nascimento e Fernando Brant) logo após ter circulado esfuziante pela platéia ao reviver o samba-reggae Ilê Pérola Negra, sucesso de Daniela Mercury que Vallen costurou com Milagres do Povo (Caetano Veloso) em link afro-baiano. Detalhe: a rigor, tal momento nem seria usado na gravação. Por conta de problemas técnicos com os telões de última geração instalados ao centro e nas laterais do palco, o show começou com mais de uma hora de atraso e seria todo repetido (ao fim) - para ser gravado sem erros.

Intérprete over por natureza, mas dotado de grandes recursos vocais, Ricky Vallen reiterou seu estilo de interpretação exacerbado ao desfiar roteiro de ecletismo excessivo como seu gestual dramático. Já no segundo número, Disparada, em que o cantor ralentou de início o ritmo do sucesso de Jair Rodrigues, Vallen já estava com lágrimas nos olhos. O palco do Canecão - estendido com uma passarela - era o seu picadeiro. E lá o ex-calouro do programa do apresentador de TV Raul Gil reinou, triufante e sempre exagerado, ao reviver sucessos como Espumas ao Vento, Avesso (o caudaloso tema de Jorge Vercilo que teve sua conotação gay realçada por Vallen) e Linda Demais (uma música homônima do hit do Roupa Nova, aliás ponto fraco do repertório).

"Pode aplaudir que eu gosto", pediu o astro após enfatizar em discurso que tinha chegado até ali - à gravação de seu DVD no palco do Canecão - sem "cooperar com a canalhice de ninguém". O público, dado a emoções baratas, aplaudiu mesmo. Seguiram-se dueto com a cantora Shirley Carvalho em Miss Celie's Blues - com direito a notas alongadas nos improvisos finais - e abordagem de Tango pra Tereza cheio de pausas dramáticas que alterou a divisão e diluiu a pulsação do sucesso de Ângela Maria nos anos 70. Inclusive pelo timbre heavy da guitarra que pontuou o arranjo. Bem ao estilo de Vallen, o número foi encerrado com passos de dança ao lado de bailarina que já evoluía sozinha ao fundo do palco desde o começo da música. Fãs entraram na dança.

Linear em seus exageros vocais e gestuais, Vallen levou seu show circense adiante com Essa Dona, versão de Cláudio Rabello para o hit italiano Senza Donna. Mas eis que, no número seguinte, Esperando Aviões (Vander Lee), o circo hi-tech desarmou. Os dois telões laterais não funcionaram desde o começo, mas o maior - posicionado ao centro, ao fundo do palco - falhou e deixou de exibir as imagens. Vallen também desarmou. "Tô me sentindo vazio. Tá dificultando meu show", diria ele, irritado, instantes depois, ao reclamar que não ouvia seu público. Dali em diante, o telão central funcionou e voltou a falhar minutos depois - cena que se repetiu ao longo da noite. Foi quando Vallen anunciou que daria continuidade ao show mesmo com as falhas e, em seguida, repetiria o espetáculo para fazer valer a confusa gravação ao vivo.

Após cantar Pra ser Amor, o artista - então menos tenso com sua decisão - cantou a capella, de improviso, baladas gravadas por cantoras como Mariah Carey (Hero) e Whitney Houston (One Moment in Time) antes de gastar seu italiano com uma música que ouvia quando era "bem pequenininho". A música era Io Che Amo Solo a Te, alvo de momento supostamente mais intimista. O sucesso de Sérgio Endrigo ganhou registro pontuado por acordeom e violino, com Vallen sentado em banco posicionado à frente da passarela. Foi de fato um número mais íntimo se comparado com o registro exibicionista de Unforgettable, em que Vallen alternou tons masculinos e femininos para simular o dueto virtual feito por Natalie Cole em 1991 com seu pai, Nat King Cole (1919 - 1965). Seguiram-se um número em espanhol (Mi Corazón te Reclama), a inédita Se Você Escutar (típica do cancioneiro brega) e tema de Simone Saback (Vida), autora de hit de Fábio Jr.

Vallen poderia se tornar excelente cantor se podasse excessos. Contudo, ele parece querer exibir a todo instante seu arsenal vocal. E o resultado é que até uma canção calma como Paciência (Lenine) passa muito do ponto na sua interpretação. Por conta dessa dramaticidade over, Vallen acaba soando mais à vontade em músicas como Vidro Fumê, seu hit brega turbinado com trio de metais, requebros sensuais e o coro forte do público. É pena, pois, no caso de Ricky Vallen, menos poderia significar bem mais.

15 de março de 2009 23:16  
Blogger PedroPeter said...

Não acredito em calouros. A exceção à regra foi Roberta Sá, a única que vingou até hoje.

No mais, fiquei com medo de Ricky com uma apresentação de Vogue que ele fez no Raul Gil, no melhor estilo Cirque du Freak.
Depois daquela, perdeu qualquer chance.

15 de março de 2009 23:35  
Blogger Philipe Daniel said...

Eo Dueto com a Shirley, Mauro? Foi interessante?

16 de março de 2009 00:19  
Anonymous Anônimo said...

Vc foi nesse show, Mauro?
Putzzzzzzz! hahahahaha
É por isso que não lhe invejo.

Jose Henrique

16 de março de 2009 00:37  
Anonymous Paulo Vitor said...

Eu aposto em "calouros" sim. Na verdade, acho um rótulo desnecessário. Muita gente competente já passou por programas musicais, mas que infelizmente não tiveram seu trabalho reconhecido (Shirle de Moraes é um bom exemplo). Esse é o Brasil que temos que engolir.

Será um dia teremos maior valorização da música???
Espero ...

16 de março de 2009 01:11  
Anonymous Markinho said...

Ainda bem que há gosto pra tudo. Eu não gosto do Vallen, mas o admiro pela sua história e reconheço seu potencial. Até acho que pra frente ele vai se definir melhor enquanto artista. Mas é inegável o quanto ele se parece com Cauby Peixoto (que hoje não é mais over nem brega para muitos).

16 de março de 2009 02:02  
Anonymous Anônimo said...

Pra mim só existia sincretismo religioso entre os católicos e não entre os evangélicos ...

Ricky gravou temas afros e de temática gay ...

16 de março de 2009 08:07  
Anonymous Anônimo said...

Deixar de assistir o encontro do Samba para escutar isso aí!? Eu prefiro escutar pela milionésima vez Coisinha do pai, Vou Festejar, Folhas Secas, As Rosas Não Falam etc.
Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

16 de março de 2009 08:31  
Anonymous Anônimo said...

Esqueci de complementar: e olha que já estou de saco cheio de escutar a Beth cantando as mesmas músicas! Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

16 de março de 2009 08:34  
Anonymous Denilson said...

Pois é, Marcelo

Tanta coisa boa acontecendo e que quase ninguém fica sabendo.

Hoje, por exemplo, tem mais uma edição do talk-show da Marianna Leporace, em que há seis meses ela vem convidando grandes compositores cariocas (como Rodrigo Maranhão, Edu Krieger, Claudio Nucci, Suely Mesquita e outros) para falar do seu processo criativo e mostrar suas músicas.

Pergunto se você viu alguma nota sobre isso em algum jornal ou site.

Coisas da imprensa. Fazer o quê?

abração,
Denilson

16 de março de 2009 08:57  
Anonymous mauricio said...

sem comentários!!!!abafaaa

16 de março de 2009 09:18  
Anonymous EFIGÊNIA Fã clube Ricky Vallen de São Paulo said...

MAURO TUDO ISSO QUE VOCÊ CRITICA NO RICKY É EXATAMENTE O QUE EU OS FÃS DELE MAIS GOSTAM.RICKY É PURA EMOÇÃO,GOSTA DE INTERAGIR COM O SEU PÚBLICO.ELE TEM A LIBERDADE DE FALAR COM A GENTE O QUE ESTÁ DANDO ERRADO SUAS PREOCUPAÇÕES REFERENTE AO SHOW.ELE É ASSIM ,E AMAMOS ELE POR ISSO E SABEMOS QUE ELE FAZ DE TUDO PARA LEVAR O MELHOR PARA OS SEU PÚBLICO. ESTAMOS SEMPRE NA TORCIDA PARA QUE TUDO DE CERTO NA SUA CARREIRA,POIS ELE É UM GUERREIRO.TEM UM TALENTO FORA DO COMUM.
FALANDO DA GRAVAÇÃO DO SEU DVD MESMO COM ALGUNS PROBLEMAS TÉCNICOS,O CENÁRIO FOI DE MUITO BOM GOSTO,AS MÚSICAS ESCOLHIDAS SÃO BELÍSSIMAS.E MUITO BEM INTERPRETADA POR RICKY VALLEN.PRA MIM RICKY É O MELHOR CANTOR DA ATUALIDADE.ISSO JÁ FOI DITO POR VÁRIOS CANTORES E COMPOSITORES .

16 de março de 2009 10:00  
Blogger lilia said...

Adoro Rick e o nome dessa critica é preconceito.

16 de março de 2009 11:07  
Anonymous Anônimo said...

vc assistiu o Rick Vallen cantando Separação aquela musica super brega do repertório da Simone num programa Raul Gil?? De chorar!! o cara é muito brega. Cauby Peixoto dos tempos modernos? pretensão a mais. Cauby é tudo!!

16 de março de 2009 11:09  
Anonymous Anônimo said...

Triste Canecão de presenciar um show desse tipo. É a mais pura decadência por que passamos na música e na cultura atualmente. Uma casa que já abrigou shows de Elis Regina, Maysa, Maria Bethânia e outros grandes, agora abriga Rick Vallen. É o show do mau gosto com o exagero. Um show de emoções baratas.

16 de março de 2009 11:42  
Anonymous Anônimo said...

Hoje Cauby é incensado... (assim como Bethânia, Alcione, Nei Matogrosso). Estivesse ele começando agora pra ver se não seria apedrejado por tantos... Sempre assim.

16 de março de 2009 12:37  
Anonymous Anônimo said...

MAURO FERREIRA É UM CRÍTICO QUE AO MEU VER É COMPLETAMENTE FRUSTRADO. ACHO QUE NA VERDADE ELE GOSTARIA DE TER SIDO UM RICKY VALLEN NA VIDA, UM ELYMAR SANTOS ( PESSOA QUE ELE TB TANTO CRITICOU NO PASSADO ) E COMO NÃO CONSEGUIU RESOLVEU SER CRÍTICO.
PENA!!!!!!

16 de março de 2009 13:05  
Anonymous Anônimo said...

Medonho como artista, é de chorar mesmo, mas de tão patético que é!

16 de março de 2009 13:34  
Anonymous Mara Pintos@ FÃS RICKY VALLEN SÃO PAULO said...

Minha opinião não é contrária do que Efigênia disse.Se fosse para acrescentar,ficaria o dia inteiro por aqui para enumerar as qualidades desse artista inigualável.Sim,realmente como foi dito: O astro RICKY VALLEN.Problemas técnicos é o de menos,tendo em vista da maravilha do que foi apresentado ao grande público que estava ali presente.Nos dias de hoje,Ricky vallen lotar de tal maneira o canecão??? Isso é mais uma vitória que ninguém pode tirar dele.Preconceito??? Convivemos com isso diariamente independente de qualquer escolha que façamos em nossas vidas.Quando ele mesmo diz que chegou até ali sem cooperar com a canalhice de ninguém,isso é mais uma vitória,pois Ricky vallen tem talento,se não fosse nesta data do dia 14/03/09 seria em qualquer outra data,pois ninguém pode esquecer e se fazer ausente,que Ricky Vallen já é sucesso e já aconteceu.ISSO É FATO!!!O mundo está ai para isso mesmo,somos diferentes,uns mais ricos,outros mais pobres,uns de cor mais escura outros mais claros,uns aceitam o sucesso e vitória do outro,outros já não suportam a idéia de ser menos que o outro.Criticar é válido,mas,porém ponderamente e sem esquecer do real valor que temos que dar ao talento de Ricky vallen.Pode ter acontecido problemas,mas o final vai ser glamouroso e esse tão esperado DVD por nós suas fãs,vai ser mais um sucesso desse artista tão exuberante.
Xelos meus Rickymania aos verdadeiros fãs,que acreditam e torcem por nosso ídolo.

16 de março de 2009 15:36  
Blogger Bruno Cavalcanti said...

AAAAAAAAHHHHHHHHH!!!!! Salve Mauro... quando publiquei uma crítica minha do show desse cantor em meu blog recebi uma tempestade de críticas, inclusive com a seguinte frase: "Nem jornalistas renomados, como Mauro Ferreira que vc vive citando, concordaria com vc!"

Realmente, menos no caso dele poderia ser BEM mais! Exagerado e excessivo por si próprio...

16 de março de 2009 16:18  
Anonymous Analice Dias Gasparini said...

BOA TARDE Sr MAURO!
SOU UMA DAS MILHARES FÃS DO CANTOR E INTÉRPRETE RICKY VALLEN QUE SE ENTRISTECEM AO VER UM JORNALISTA - CRÍTICO MUSICAL NÃO PERCEBER QUE O RICKY VALLEN, ALÉM DE CANTAR MARAVILHOSAMENTE E TER UM RECURSO VOCAL ABSURDO E ANTES DE TUDO UM INTÉRPRETE ÚNICO. ACOMPANHO A CARREIRA MUSICAL DELE, DESDE 2004 E JÁ VI O RICKY CANTAR E INTERPRETAR MÚSICAS LINDAS QUE NA LEITURA DO RICKY, FICAM DIVINAS.
ELE ESTÁ RESGATANDO COM A SUA CANÇÃO, UMA PARTE DO CENÁRIO MUSICAL QUE ESTAVA MEIO ADORMECIDA, REFERENTE AO CANTOR INTÉRPRETE. ESTÁSVAMOS CARENTES DE CANTORES-INTÉRPRETES E QUE BOM QUE O RICKY APARECEU PARA NOSSA ALEGRIA E PARA CONFIRMAR QUE AINDA EXISTE NO CENÁRIO MUSICAL ESPAÇO PARA ALGUÉM DE TALENTO, BOM GOSTO MUSICAL E QUE COM A SUA MÚSICA EMOCIONA DE UMA MANEIRA BONITA PESSOAS SENSÍVEIS.
ESTIVE NO CANECÃO E ASSISTI A TUDO QUE FOI MOSTRADO PELO RICKY E EM NENHUM MOMENTO ACHEI QUE ESTIVESSE NUM PICADEIRO ASSISTIUNDO A UM NÚMERO CIRCENCE E SIM NUMA CASA DE ESPETÁCULOS MUITO BACANA QUE JÁ RECEBEU E RECEBE INÚMERO ARTISTAS CONSAGRADOS.
TAMBÉM NÃO CLASSIFICO A EMOÇÃO QUE O RICKY PASSA A SEU PÚBLICO, DE EMOÇÃO BARATA E SIM EMOÇÃO PARA QUEM TEM SENSIBILIDADE PARA SENTI-LA.
SEI QUE HOUVE ALGUNS PROBLEMAS TÉCNICOS QUE NÃO DEVERIAM TER ACONTECIDOS EM DIA DE GRAVAÇÃO DE DVD PRINCIPALMENTE, MAS ISSO NÃO DESMERECEU EM NADA TUDO DE BONITO QUE ASSISTIMOS.
MUITO BOM O SHOW E ACREDITO QUE O PRIMEIRO PASSO JÁ FOI DADO, MAS A CAMINHADA É LONGA E O RICKY VAI PRECISAR TER NÃO POUCA, MAS MUITA PACIÊNCIA PARA RETIRAR COM MUITO RESPEITO CADA PEDRINHA QUE SURGIR.
PORÉM, RICKY É GUERREIRO E ACOSTUMADO A DESAFIOS! ELE VENCERÁ TODOS.
GRATA PELA ATENÇÃO
ANALICE

16 de março de 2009 16:38  
Anonymous Analice Dias Gasparini said...

BOA TARDE Sr MAURO!
SOU UMA DAS MILHARES FÃS DO CANTOR E INTÉRPRETE RICKY VALLEN QUE SE ENTRISTECEM AO VER UM JORNALISTA - CRÍTICO MUSICAL NÃO PERCEBER QUE O RICKY VALLEN, ALÉM DE CANTAR MARAVILHOSAMENTE E TER UM RECURSO VOCAL ABSURDO E ANTES DE TUDO UM INTÉRPRETE ÚNICO. ACOMPANHO A CARREIRA MUSICAL DELE, DESDE 2004 E JÁ VI O RICKY CANTAR E INTERPRETAR MÚSICAS LINDAS QUE NA LEITURA DO RICKY, FICAM DIVINAS.
ELE ESTÁ RESGATANDO COM A SUA CANÇÃO, UMA PARTE DO CENÁRIO MUSICAL QUE ESTAVA MEIO ADORMECIDA, REFERENTE AO CANTOR INTÉRPRETE. ESTÁSVAMOS CARENTES DE CANTORES-INTÉRPRETES E QUE BOM QUE O RICKY APARECEU PARA NOSSA ALEGRIA E PARA CONFIRMAR QUE AINDA EXISTE NO CENÁRIO MUSICAL ESPAÇO PARA ALGUÉM DE TALENTO, BOM GOSTO MUSICAL E QUE COM A SUA MÚSICA EMOCIONA DE UMA MANEIRA BONITA PESSOAS SENSÍVEIS.
ESTIVE NO CANECÃO E ASSISTI A TUDO QUE FOI MOSTRADO PELO RICKY E EM NENHUM MOMENTO ACHEI QUE ESTIVESSE NUM PICADEIRO ASSISTIUNDO A UM NÚMERO CIRCENCE E SIM NUMA CASA DE ESPETÁCULOS MUITO BACANA QUE JÁ RECEBEU E RECEBE INÚMERO ARTISTAS CONSAGRADOS.
TAMBÉM NÃO CLASSIFICO A EMOÇÃO QUE O RICKY PASSA A SEU PÚBLICO, DE EMOÇÃO BARATA E SIM EMOÇÃO PARA QUEM TEM SENSIBILIDADE PARA SENTI-LA.
SEI QUE HOUVE ALGUNS PROBLEMAS TÉCNICOS QUE NÃO DEVERIAM TER ACONTECIDOS EM DIA DE GRAVAÇÃO DE DVD PRINCIPALMENTE, MAS ISSO NÃO DESMERECEU EM NADA TUDO DE BONITO QUE ASSISTIMOS.
MUITO BOM O SHOW E ACREDITO QUE O PRIMEIRO PASSO JÁ FOI DADO, MAS A CAMINHADA É LONGA E O RICKY VAI PRECISAR TER NÃO POUCA, MAS MUITA PACIÊNCIA PARA RETIRAR COM MUITO RESPEITO CADA PEDRINHA QUE SURGIR.
PORÉM, RICKY É GUERREIRO E ACOSTUMADO A DESAFIOS! ELE VENCERÁ TODOS.
GRATA PELA ATENÇÃO
ANALICE

16 de março de 2009 16:43  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, imagino o quanto voce não deve estar censurando um monte de palavrões que mandam pra você por causa dessa crítica!! Eu , por minha vez, dispenso até em olhar pra esse artista. Nada ali se salva. Tudo exagerado. Claro que ele tem público, assim como a nossa sociedade INVOLUIU, as provas não estão somente na política, mas sim se refletem no quadro musical atual. Se existem Ricks Vallens por aí, é porque também existe uma população sem muita informação musical que se emociona com gritos e gestuais exagerados , que não conhecem o minimalismo de uma interpretação de uma grande intérprete.
Infelizmente são os dias de hoje, e por mais que você tente explicar isso a esses fãs do Rick, de nada vai adiantar...eles não vão alcançar...

16 de março de 2009 18:56  
Anonymous Anônimo said...

A pergunta que não quer calar é: esse cara merece uma resenha desse tamanho? Será que não há outros bons shows para o Mauro avaliar????

16 de março de 2009 21:47  
Anonymous Anônimo said...

Você nota o desespero e a incapacidade de reflexão do público (que é aqui sintomático da situação de culto e do ídolo) já nas entrelinhas - a necessidade forçada da autoafirmação - o uso de caps lock.Tudo faz tanto sentido nem é preciso recorrer a Freud.
Eu fico me perguntando até onde chega as carências e debilidades individuais (naturais a qualquer humano desde os mais idos tempos,expressado nas mais diversas formas de culto a algo) enfim até onde chega o vazio humano para que seja preciso se dependurar crédulo no primeiro ser que afete ter qualquer coisa a mais,bem digo nem a mais,que afete ter, coisa qualquer,inútil quiçá!alhures,que não seja meu!
Fala-se muito em falta de ídolos na atualidade,contudo ainda mais irreversível vivemos uma carência desesperada é de critérios de culto,as pessoas não amam mais aquilo que se supera (este processo custoso de perdas tantas,sôfrego,de espelho insuportavelmente sincero) ama-se qualquer coisa para 'preencher',cultua-se qualquer espectro vago buliçoso que dê sentido a um cotidiano enfadonho,tácito inaguentável,onde é preciso gritar pra notar que se estar vivo,ou mesmo que ainda há voz.Clama-se socorro?não, ao invés dos dignos clamores reconhecendo as nossas incapacidades ("...ai de mim,ai de mim") grita-se meia doses de insolências expurgadas que deslumbram os ouvidos fatigados de nada.
Aí estão as brechas para os mitos de 15 segundos,os arroubos frustrados de fundo de sala,preciso estar!o tolo hedonismo de inflorescências que não vingam,as seitas,simulacros.
E se foi o Filho vertendo lágrimas de sangue quem chorou o abandono singular,eu me pergunto destas descoradas ânsias de olhos secos -
*deu(ses) porque vos abandonaram?

'Sibila'

16 de março de 2009 21:47  
Anonymous OLIVEIRA said...

Boa noite, Sra (Sta, né ?) Analice.
Conhece música ? Sabe o que é cantar música ? Sabe o que é ouvir música ? Sabe o que é tocar música ? Sabe o que é lembrar 10, 20, 30 anos depois de uma música sentindo a mesma emoção de quando a ouviu pela primeira vez ?
Conhece Chico Buarque, Milton Nascimento, Edu Lobo, Francis Hime, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Simone, Gal Costa, Fátima Guedes, Sueli Costa, João Bosco, Tunai, Zé Renato, Roberto e Erasmo Carlos, Vander Lee, Renato Braz, Chico César, Lenine, Vânia Bastos, o MPB4, o Quarteto em Cy, o Boca Livre, o Kleiton, Kledir e Vitor Ramil, o Lô Borges, o Tavito, o Tavinho Moura, o Beto Guedes, o Ney Matogrosso, o Emílio Santiago, a Mônica Salmaso, o Tim Maia, o Jorge Ben(Jor), a Joyce, o Tom Jobim, o Vinicius de Moraes, o Carlos Lyra, o Roberto Menescal, a Nara Leão, a Clara Nunes, a Beth Carvalho, o Paulinho da Viola, o Martinho da Vila, o Guinga, o Paulinho Pedra Azul, a Elis Regina, a Maria Rita, o Radamés, o Pixinguinha, o Ary Barroso, Papai Dorival e toda a família, o Alceu Valença, o Geraldo Azevedo, o Zé Ramalho, o Ednardo, a Amelinha, a Elba Ramalho... UFA!
Não deves conhecer pelo que escreveu sobre esse rapaz aí.
Quer um conselho ? Deves ser jovem ainda, descubra a tempo a beleza de nossa música e visite o Paraíso na Terra. É só um conselho.
Abraços.

16 de março de 2009 22:01  
Anonymous Anônimo said...

Oliveira,

Tenho a impressão que a senhorita Analice só conhece Rick Valle, Robson ou seria Robinson? , outro calouro do Raul Gil, Rosana, Zezé di camargo, Alexandre Pires, Sandy, Kelly Key e outras tranqueiras que a mídia e a falta de cultura nos empurra goela abaixo.

16 de março de 2009 23:24  
Anonymous Anônimo said...

Sou um fã do trabalho do Ricky e vejo que não vale à pena estarmos discutindo aqui gostos musicais. Ou quem é bom ou ruim. Ou quem já foi, ou quem é melhor do que o outro. A crítica do Mauro é muito válida. E aqui é um espaço interessante para conhecermos e sabermos o que acontece no mundo da música. Isso que importa! Não adianta ficarmos nos degladiando. Existe espaço para todos e ninguém tem a obrigação de gostar de todo mundo. Cada um na sua. E o Ricky ainda vai ser muito reconhecido. Essa foi uma grande etapa de sua carreira. Muita paz e abraço para todos.

17 de março de 2009 00:06  
Anonymous Analice Dias Gasparini said...

Bom dia Sr. Oliveira, olha sou uma "quase" senhora de 48 anos, mas pode me chamar de sta, sem problema algum.
Venho de uma família musical, meu pai foi músico de uma orquestra, minha tia cantava, meu avô foi apresentador de programas musicais, e acho que eu herdei deles o gosto e o amor pela música.
Por isso, conheço e admiro e respeito muito o trabalho de cada um deles, ouvia muito os Lps e depois fitas, além de ser de um tempo em que se ouvia boa música em rádio, e brasileira.
Graças à Deus, sou de uma geração que pode se orgulhar de ter visto e presenciado muitos momentos musicais bonitos e acredito que isso está voltando através do cantor-intérprete Ricky Vallen. Cada um com seu estilo e marca registrada né? O Emílio Santiago inclusive participou de programa de calouro, assim como a Beth Carvalho e a Leci Brandão,
todos no Programa Flávio Cavalcante. Assisti a tudo isso, e hoje estão aí tendo o seu espaço no cenário musical brasileiro.
Apenas senti falta nessa lista do Moacyr Franco, Agnaldo Rayol, Agnaldo Timóteo, Carlos José, Maria Creusa, Antônio Carlos e Jocafi, Walesca, Célia, Pery Ribeiro, Dalva de Oliveira e outras maravilhas musicais.
Sempre ouvi muita música, desde criancinha e tive vários ídolos:
Wanderley Cardoso, Jerry Adriany,
Rosemery, Ronnie Von, Roupa Nova,.
.. e agora meu encanto musical é pelo trabalho musical maravilhoso do Ricky Vallen.
Acompanho o trabalho dele desde 2004, mas foi em 2006 que ele com sua voz e interpretação, me encantou definitivamente. Desde então, acompanho a trajetória musical desse menino e vi cada degrau que ele subiu, no programa Raul Gil,na qualidade de calouro e depois como convidado a homenagear vários artistas, alguns até constam na lista musical do sr. caso de Francis Hime, Simone, Erasmo Carlos, Beth Carvalho e Martinho da Vila, Maria Bethânia e muito elogiado. Em 2007, lançou o primeiro Cd "Homenagens" e em 5 meses ganhou seu 1º Disco de Ouro,
alguns meses depois concorreu ao Grammy de música Latina na categoria Revelação e mais recentemente - 14/03/09, gravou seu 2º Cd e 1º Dvd, no Canecão.
Sabe sr. Oliveira, sei que o Ricky Vallen é um cantor, relativamente novo no cenário musical brasileiro, mas a bagagem musical dele é enorme. O show do Canecão, foi uma experiência pela qual ele passou, gravou seu 1º Dvd e tenho certeza que será o maior sucesso.
Sei que houve alguns probleminhas técnicos nesse show, mas isso não tira do Ricky nenhum mérito, Ricky, igual a tantos outros cantores, tem seu estilo próprio, que agrada alguns e desagrada a outros, porém o mais importante é saber respeitar todo e qualquer artista, independente de gosto musical e livre de qualquer preconceito.
Respeito a sua crítica, mas achei desnecessária chamar o show do Ricky de espetáculo circense.
Acho que como qualquer profissional Ricky merece, respeito pelo seu trabalho.
Achei desnecessária certas comparações, mas tenho certeza que não serão essas pedrinhas, nem outras que certamente ainda virão que irão enfranquecer ou desanimar esse guerreiro musical que igual a mim, ama a música que faz um trabalho digno e com muito respeito.
Atenciosamente

Analice

17 de março de 2009 09:17  
Blogger daisy neves said...

PALAVRAS DE UM CERTO ”ANÔNIMO”.............”CLARO Q ELE TEM PÚBLICO”.......

E EU DIGO: ENTÃO ELE TEM TUDO......POIS É DISSO Q UM ARTISTA PRECISA DE PÚBLICO!!!!!!
E O PÚBLICO DO RICKY O ADMIRA E RESPEITA COMO UM ARTISTA MARAVILHOSO Q É....E PONTO FINAL!!!!!!!!!!!

17 de março de 2009 10:03  
Anonymous Luciano said...

Analice realmente tem razão.. O Ricky relamente tem feito um bom trabalho... Esse tal de Oliveira que realmente não tá com nada... A e tem mais...FUI EM VÁRIOS SHOWS DO RICKY E JÁ ENCONTREI ASSISTINDO BETH CARVALHO, ALCIONE, ELBA RAMALHO, VANDER LEE, SIMONE ETC.. ACHO QUE ESSE OLIVEIRA NÃO TEM MESMO CAPACIDADE DE RECONHECER UMA BOA MÚSICA.. VIVE DE TÍTULOS PASSADOS PARA GARANTIR DE UMA POSSE INTELECTUAL rss CAI NA REAL O QUE É BOM TAMBÉM PODE SER NOVO..

17 de março de 2009 10:33  
Anonymous Jurema said...

Aos Anônimos que não têm coragem nem de exibir o seu próprio nome e assumirem as suas opiniões. Sabe o que me deixa irritada? É essa mania que os que são apreciadores de movimentos como, bossa nova, tropicália e etc. Eles acham que tudo e todos os cantores de 30 anos atrás, como alguém já listou, eram maravilhosos. Pois eu não sou novinha não, e conheço todos os artistas que vc citou. Só que no meio de Vander Lee, Fátima Guedes, Lenine, e vários que são realmente maravilhosos, tem um monte que não são.Tipo: Amelinha... quem foi ? Uma cantora que teve dois sucessos há décadas atrás e que sumiu do cenário musical? Nara Leão, que desafinava que era uma maravilha, mas ninguém tinha coragem de dizer isso.
Bem tem outra coisa que me deixa irritada também: Caetano é bom cantor? Bom compositor, como cantor não vejo nem se for 0800. E outra, ele agora resolveu gravar música brega, e ninguém critica pq é o Caetano. A Adriana Calcanhoto cantou a música dita brega pelo Mauro, VIDRO FUMÊ, em seu show no mês passado no Canecão, e ninguém disse que a música era brega, pq foi a Adriana quem cantou.
O Ney Matogrosso, também foi criticado como o Ricky está sendo, só que hoje ele é idolatrado. A Elis Regina que na minha opinião foi a melhor cantora que o Brasil já teve, também era exagerada. Remava com os braços, quando cantava ARRASTÃO e se ajoelhava e chorava no palco quando cantava ATRÁS DA PORTA. Alguém a criticava por isso? Claro que não!
Então, fãs do Ricky, como eu, não se aborreçam, pois o Ricky tem talento e isso o próprio Mauro, reconhece. Ele só não gosta do exagero,e ele só não sabe também que é justamente isso que faz com que ele fuja da mesmice que está aí há anos. Há, alguém falou em Roberta Sá, também gosto dela, é uma boa cantora e o Mauro a adora. Só pra lembrar, ela foi desclassificada de um programa de calouros e o Ricky foi o vencedor de outro programa de calouros. Gosto cada um tem o seu. Que bom que é assim...
Um abraço à todos!!

E viva a democracia!!!!

17 de março de 2009 13:22  
Anonymous Anônimo said...

Oliveira, melhor deixar quieto! O blog do Mauro foi invadido pelo fã clube do Vallen. Abração.
E Luciano, eu duvido MUITO que a Beth tenha assistido a algum show do tal Rick. Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

17 de março de 2009 13:22  
Anonymous Anônimo said...

Esqueci de comentar:
Belas homenagens aos ídolos são feitas no programa Raul Gil, válido demais! Porém, assisti ao da Beth e pude constatar e comprovar que o tal Rick ASSASSINOU O Mundo é um Moinho, de Cartola! Coitado do Cartola, não deve nem ter se revirado no túmulo, mas sim dado um duplo-twist-carpado. Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

17 de março de 2009 13:46  
Anonymous Anônimo said...

Num país comprado com o bolsa família e com Lula no poder, ter um ídolo como Rick Vallen é até coerente...

17 de março de 2009 17:51  
Anonymous Anônimo said...

Nunca tinha escutado o dito cujo. Fui checar lá no YouTube e constatei que o cara é ruim mesmo! Mauro foi generoso. Na minha cotação é bolinha preta!

Anônimo (para não correr o risco de ser linchado pelo fã clube do artista revelação)

17 de março de 2009 18:02  
Anonymous OLIVEIRA said...

Tem razão, Marcelo. O fã-clube veio em peso. E argumentar com fã-clube é que nem discutir religião, futebol e política. QUE ELES, APESAR DE TUDO, SEJAM FELIZES OUVINDO ISSO AÍ. FAZÊ O QUÊ ?

17 de março de 2009 19:05  
Anonymous Tatiana-Flog:Fãs de Ricky Vallen said...

O q houve?
pq não aceitam o meu comntário?eue stou defendendo o melhor cantor do brarsil na minha opinião ! e tenho o direito de defende-lo,pois não merece ser visto como se fosse mais um ''calouro ''do Raul gil se tem um talent enormee e agora está fazendo o sucesso merecido!!!!!!!

17 de março de 2009 21:38  
Anonymous Anônimo said...

Fui assistir e testemunhei isso aí. Fui porque estava interessado na companhia que é daquelas fãs tipo RPM. Como já dispensei - a garota é doida, está desde o dia do show falando do cara (juro que não é ciúme não, é medo) - posso agora dizer: FOI A COISA MAIS BREGA, MAL ENSAIADA PSEUDO-EMOCIONALMENTE E RIDÍCULA QUE JÁ ASSISTI.
Gente, onde vamos parar ?

17 de março de 2009 22:01  
Anonymous Anônimo said...

Graças a Deus permaneço lúcido!

18 de março de 2009 10:16  
Anonymous Markynho said...

Fico imaginando se Ney Matogrosso, Elba Ramalho, Alcione, Bethânia, Cauby Peixoto, Elza Soares estivessem começando a cantar hoje... Seriam também trucidados pelos pseudo-articulistas que usam o blog para descascar suas mesmices e frustrações musicais.
Se o blog aqui tem espaço para escrita ele não foi "invadido", afinal o dono do blog quer que as pessoas escrevam...
Faça seu próprio blog quem acha que só a opinião do articulista é que vale e acabe com a opção de comentários....
DÁ-LHE RICK Vallen. (e olhe que eu nem gosto tanto dele, mas detesto gente autoritária).

19 de março de 2009 01:19  
Anonymous Anônimo said...

Frustrações musicais? hahahaha Uma coisa que eu não sou é frustrado, até porque não tenho nenhuma pretensão musical, talento ou algo do gênero! Graças a Deus não vivo disso! Sou amante da boa música! Tem pseudo-artistas que tem de se tocar e se enxergar nessa seara musical e alguns fãs que tem de abrir os olhos e não se deixarem levar (como diz Zeca Pagodinho) por qualquer modismo ou farsa. Nem me refiro ao Vallen, apesar de não gostar e compartilhar da mesma opinião do Mauro (menos é sempre mais!) Somente! E o tempo dirá! Mas não sou obrigado a gostar de determinadas coisas! Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: O que deve ter de gente descascando o Mauro e os fiéis leitores (de bom gosto) do blog? Eu tenho até pena!
PS2: O fã clube do Vallen literalmente invadiu a praia! Como diria o Ultraje a Rigor: só faltou a farofa e a galinha! Abs

19 de março de 2009 09:26  
Anonymous Anônimo said...

A dica para quem não quer ler discordâncias é não escrever sobre o que não se gosta... Isso serve para o dono do blog também (embora eu ache que ele goste de ler as opiniões contrárias, pois as publica - algumas). Também achei que pela "descartabilidade" do artista, como disseram alguns aqui, o artigo foi muiiiiito grande. Eu, quando não gosto de antemão, nem me dou ao trabalho de ir ver, muito menos de escrever sobre.

19 de março de 2009 13:11  
Anonymous Anônimo said...

Vivemos numa DEMOCRACIA, senão quiser ler algumas críticas é simples, não as leia!!! Gente descartável como o ídolo, eu dispenso!

19 de março de 2009 16:40  
Anonymous Anônimo said...

Não é de bom ton misturar Milton Nascimento com Daniela Mercury num set list que tenha a pretensão de ser sério. O cara tem voz. Isso é inegável. Porém tem gosto duvidoso, comporta-se como calouro até contratado de multinacional. Quem dirigiu esse show? De quem é a direção musical? Dizem que os arranjos são toscos. Desculpem-me, mesmo sendo bom cantor e maioria das pessoas aqui tem razão. Não dá pra aturar.

19 de março de 2009 23:58  
Blogger PedroPeter said...

Resumo - o cara tem voz e não sabe usar.
Tem palco e usa pra circo.
Péssimas escolhas estéticas.

Não sobra muita coisa.

20 de março de 2009 00:29  
Blogger PedroPeter said...

Pra mim, o que vi do Ricky Vallen foia reprodução mal feita de seu gosto pessoal que é oscilante. Mas é reprodução no estilo mega show. O Emmerson Nogueira faz a mesma coisa no estilo banquinho e violão. Mas não tem nada criado ali. E é feio.

Agora, falar isso e aquilo da bossa nova, da Nara, de Caetano, de quem for... Não vai fazer a música ou o show de Ricky ser melhor. Vai, no máximo, diminuir a chance que fãs recém iniciados em MPB descobrirem coisas melhores.

Em tempo:> Comparar QUALQUER apresentação ou gravação de Elis com Ricky é o mesmo que comparar o show da Ella Fitzgerald com o da Rogéria.

- Os senhores vão me dar licença (no melhor estilo Bethânia no Outros doces bárbaros) mas já é demais. Fechei o dia com essa!

20 de março de 2009 00:39  
Blogger THIAGO BOENTE said...

Corro atrás dos meus sonhos, não ligo para o que vão dizer, o sonho é meu! Não ligo para criticas, porque acho que são palavras vazia.
Agora honro todos aqueles que fizeram parte dessa realização, de não me deixar desistir de realizá-lo.
É a única coisa que falo.

6 de abril de 2009 18:12  
Anonymous Anônimo said...

Estive no show do Canecão e a matéria escrita pela Mauro Ferreira diz, bem dito, o que aconteceu naquele show. Eu, que já acompanhei diversos shows deste artista sei que foi um dia atípico. Ricky Vallen tem uma interpretação exagerada, gestos exagerados, mas é exatamente por isso que está no lugar que está hoje. É isso que seu público quer ver. Gosto, nào se discute. Dizer que ele canta mal, é um absurdo, pode se dizer que nào gosta do estilo. Mas é um grande cantor. Tem seu valor. Não vai conquistar a todos. Ninguém tem esse poder.
O show nào foi uma marailha, até por isso o dvd nào sairá e será regravado no Vivo Rio.
Acho que é um DVD que tem um potencial muito grande. Um artista que pode acontecer, exagerado ou nào. Há quem goste, há quem nào goste. Eu gosto!
Estarei lá no Vivo Rio para prestigiá-lo novamente. Ele merece. Espero que possam acompanhar a esse show. Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Tenho certeza que será um show inesquecível.

8 de abril de 2009 02:28  
Anonymous sueli rabelo said...

Com certeza,este senhor se perdeu ou dormiu.Estava aonde??? Tenho a certeza q ele nao sabe quem e Ricky Vallem,alguem passou informaçoes errada p ele.Portanto lhe informo esse rapaz e abençoado por Deus com um DOM DE CANTAR ele é um verdadeiro SABIÁ e vai voar muito longe e alto.Deua abençoe sempre seu talento.

17 de maio de 2009 16:33  
Anonymous Anônimo said...

Nossa o Ricky é simplesmente maravilhoso, sensacional, divino, um show, a voz dele é linda,ele é lindo, mto humilde, simpatico divertido...Enfim quem critica tem todo o direito de nao gostar, mas ele tem talento e as pessoas nao precisam ficar defamando ele, ate por que ele trabalha dignamente, e faz seus shows, que lotam de pessoas que o amam de verdade como eu.
Acho que as pessoas no fundo reconhecem o telento dele,mas o preconceito nao deixa eles admitirem.
É isso...
AMO VC RICKY E ESTAREI SEMPRE AO SEU LADO...APOIANDO E ACREDITANDO SEMPRE EM VOCÊ.

6 de novembro de 2009 12:56  
Blogger Rafaela said...

todos sabem q sentimentos não se baseiam na razão. obvio (!) E música pra mim é sentimento. A pergunta, meus caros, é: quem é mauro? hahah. att.

3 de fevereiro de 2011 13:23  
Blogger claudio cruz said...

Gostei muito de assistir ao Dvd do Ricky.
As musicas sonda-me mi corazon te reclama sao minhas favoritas. no caso da performance de espumas ao vento. Eu simplesmente achei fantástico, tal ousadia.
considero contudo bem colocadas e bem pontuadas as críticas de Mauro.
Não as achei preconceituosas nem desreipeitosas.
O Artista deve estar preparado para elas.

5 de maio de 2014 21:51  
Blogger claudio cruz said...

Gostei muito de assistir ao Dvd do Ricky.
As musicas sonda-me mi corazon te reclama sao minhas favoritas. no caso da performance de espumas ao vento. Eu simplesmente achei fantástico, tal ousadia.
considero contudo bem colocadas e bem pontuadas as críticas de Mauro.
Não as achei preconceituosas nem desreipeitosas.
O Artista deve estar preparado para elas.

5 de maio de 2014 21:55  

Postar um comentário

<< Home