20 de julho de 2010

Tom Zé celebra Corinthians e Michael Jackson

Fiel torcedor do mais popular time de futebol da cidade de São Paulo, o baiano Tom Zé compôs hino para festejar o centenário do Corinthians. A música vai ser editada no livro Corinthians - 100 Anos de Paixão, que reúne crônicas, depoimentos e fotos de famosos torcedores do clube. Paralelamente, o compositor de divulgou bela poesia, Amado Michael, em que acarinha Michael Jackson (1958 - 2009) no embalo das homenagens prestadas ao Rei do Pop no primeiro aniversário de sua morte. Eis a letra do hino do centenário do Corinthians e os versos de Amado Michael:
Hino do Centenário
(Tom Zé)
Ê Coringão, cem anos de tradição
Ê Coringão, guerreiro, time, timão (bis)
Mas o Corinthians vai crescer, crescer, crescer
Com a vibração daquela fé
Tenha ela o nome que quiser
Força, magia, feitiçaria,
Porque se o inimigo
Tem truque nos pés
O Corinthians tem 1910
Ê Coringão, cem anos de tradição
Ê Coringão, guerreiro, time, timão (bis)
Dia de jogo logo cedo
O que se passa comigo é segredo:
Coração bate que pula,
Senhor São Jorge é quem me segura
As fadas, musas olímpias
Todas elas se dizem Corinthians
Eratos, Euterpes, Urânias
Quietinhas, mas corintianas
Ê Coringão, cem anos de tradição
Ê Coringão, guerreiro, time, timão

Amado Michael
(Tom Zé)
Negro da luz que desbota branco
Tanto talento tormento tanto
Tanta afronta de pouca monta
Eia! virtudes em farta ceia
Todo encanto que pode o canto
Toda fiança que adoça a dança.
Que Deus nos furta vida tão curta?
Mundo lamenta: ele mal cinquenta!
A ninguém ilude essa bruxa rude
Paroxismo desse Narciso
Que achou desgosto no próprio rosto
E apedrejou-se com faca e foice
Avança a rua (uma dor que dança)
E em seus telhados mandibulados
Requebra os hinos do dançarino
Niños, rapazes, se sentem azes
Herdeiros todos e seus parceiros
Revelam parque, porto e favela
II
Da Grécia três te trouxeram Graças
Arcas repletas de belas artes
Arcas que deram ciúme às Parcas
Que luz trarias tu, mitologia,
Para um tal desatino de destino
Que o espandongado toma por fado?
Porque o povo grego disse que
Se a hybris o herói consigo quis,
Se condiz ao lado dela ser feliz
Ele mesmo será pão e maldição
Enquanto gera para os olhos de Megera

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Fiel torcedor do mais popular time de futebol da cidade de São Paulo, o baiano Tom Zé compôs hino para festejar o centenário do Corinthians. A música vai ser editada no livro Corinthians - 100 Anos de Paixão, que reúne crônicas, depoimentos e fotos de famosos torcedores do clube. Paralelamente, o compositor de Tô divulgou bela poesia, Amado Michael, em que acarinha Michael Jackson (1958 - 2009) no embalo das homenagens prestadas ao Rei do Pop no primeiro aniversário de sua morte. Eis a letra do hino do centenário do Corinthians e os versos de Amado Michael:

Hino do Centenário
(Tom Zé)

Ê Coringão, cem anos de tradição
Ê Coringão, guerreiro, time, timão (bis)

Mas o Corinthians vai crescer, crescer, crescer
Com a vibração daquela fé
Tenha ela o nome que quiser
Força, magia, feitiçaria,
Porque se o inimigo
Tem truque nos pés
O Corinthians tem 1910

Ê Coringão, cem anos de tradição
Ê Coringão, guerreiro, time, timão (bis)

Dia de jogo logo cedo
O que se passa comigo é segredo:
Coração bate que pula,
Senhor São Jorge é quem me segura
As fadas, musas olímpias
Todas elas se dizem Corinthians
Eratos, Euterpes, Urânias
Quietinhas, mas corintianas

Ê Coringão, cem anos de tradição
Ê Coringão, guerreiro, time, timão

Amado Michael
(Tom Zé)

Negro da luz que desbota branco
Tanto talento tormento tanto
Tanta afronta de pouca monta
Eia! virtudes em farta ceia
Todo encanto que pode o canto
Toda fiança que adoça a dança.
Que Deus nos furta vida tão curta?
Mundo lamenta: ele mal cinquenta!
A ninguém ilude essa bruxa rude
Paroxismo desse Narciso
Que achou desgosto no próprio rosto
E apedrejou-se com faca e foice
Avança a rua (uma dor que dança)
E em seus telhados mandibulados
Requebra os hinos do dançarino
Niños, rapazes, se sentem azes
Herdeiros todos e seus parceiros
Revelam parque, porto e favela

II
Da Grécia três te trouxeram Graças
Arcas repletas de belas artes
Arcas que deram ciúme às Parcas
Que luz trarias tu, mitologia,
Para um tal desatino de destino
Que o espandongado toma por fado?
Porque o povo grego disse que
Se a hybris o herói consigo quis,
Se condiz ao lado dela ser feliz
Ele mesmo será pão e maldição
Enquanto gera para os olhos de Megera

20 de julho de 2010 22:35  

Postar um comentário

<< Home