15 de maio de 2010

Usher, acomodado, segue receita em 'Raymond'

Resenha de CD
Título: Raymond
V Raymond
Artista: Usher
Gravadora: Sony Music
Cotação: * * 1/2

Usher é uma grife milionária na indústria norte-americana de r & b. Seu nome movimenta cifras astronômicas - como as que envolvem o atual fenômeno teen Justin Bieber, levado por Usher para a gravadora Island. Por isso, não é de admirar que ele seja fiel à sua receita em seu sétimo álbum - o sexto de estúdio - Raymond V Raymond, ora lançado no Brasil depois de ter aportado no mercado dos EUA em 30 de março de 2010. Com menos ambição do que a mostrada em CDs mais aclamados como Confessions (2004), Usher faz em Raymond V Raymond somente o que se espera dele. No caso, um r & b formatado dentro das convenções da indústria pop. Eventualmente com batidas envolventes, como em Hey Daddy (Daddy's Home) e em She Don't Know, faixa dançante na qual figura o rapper Ludacris. O rap, aliás, é tempero onipresente na receita de Usher. Destaque do repertório, Lil Freak tem a pulsação do discurso da rapper Nicki Minaj. Já OMG traz a figura também onipresente de will.i.am - produtor da faixa turbinada com efeitos que simulam a euforia de torcida numa competiçao esportiva. OMG rapidamente chegou ao topo das paradas (dos Estados Unidos e de outros países) ao ser lançada como o primeiro single internacional do álbum. Seguindo a receita, Raymond V Raymond investe nas baladas imersas em r & b com maior (There Goes my Baby) ou menor (Mars vs Venus) inspiração. Enfim, Usher deita em berço esplêndido neste irregular CD tão acomodado quanto vocacionado para as paradas.

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Usher é uma grife milionária na indústria norte-americana de r & b. Seu nome movimenta cifras astronômicas - como as que envolvem o atual fenômeno teen Justin Bieber, levado por Usher para a gravadora Island. Por isso, não é de admirar que ele seja fiel à sua receita em seu sétimo álbum - o sexto de estúdio - Raymond V Raymond, ora lançado no Brasil depois de ter aportado no mercado dos EUA em 30 de março de 2010. Com menos ambição do que a mostrada em CDs mais aclamados como Confessions (2004), Usher faz em Raymond V Raymond somente o que se espera dele. No caso, um r & b formatado dentro das convenções da indústria pop. Eventualmente com batidas envolventes, como em Hey Daddy (Daddy's Home) e em She Don't Know, faixa dançante na qual figura o rapper Ludacris. O rap, aliás, é tempero onipresente na receita de Usher. Destaque do repertório, Lil Freak tem a pulsação do discurso da rapper Nicki Minaj. Já OMG traz a figura também onipresente de will.i.am - produtor da faixa turbinada com efeitos que simulam a euforia de torcida numa competiçao esportiva. OMG rapidamente chegou ao topo das paradas (dos Estados Unidos e de outros países) ao ser lançada como o primeiro single internacional do álbum. Seguindo a receita, Raymond V Raymond investe nas baladas imersas em r & b com maior (There Goes my Baby) ou menor (Mars vs Venus) inspiração. Enfim, Usher deita em berço esplêndido neste irregular CD tão acomodado quanto vocacionado para as paradas.

15 de maio de 2010 09:41  
Anonymous Anônimo said...

ELE NÃO TEM VOZ ALGUMA!

15 de maio de 2010 10:18  
Anonymous Anônimo said...

voz pequena,cheia de vicios, maneirismo e analasada,ui!

15 de maio de 2010 10:40  

Postar um comentário

<< Home