14 de março de 2010

'Bossarenova', de Paula e Schmid, sai no Brasil

Ganha edição brasileira - neste mês de março de 2010, pela Biscoito Fino - Bossarenova, o projeto que juntou Paula Morelenbaum à SWR Big Band (grande orquestra situada em Stuttgart, na Alemanha) e ao produtor e arranjador alemão Ralf Schmid. Idealizado por Schmid, o disco foi editado no exterior em 2009. O título faz supor uma releitura de sucessos da Bossa Nova, mas o repertório extrapola o conceito ortodoxo do gênero, incluindo temas de Villa-Lobos (Modinha), Toquinho & Vinicius de Moraes (Tarde em Itapoã), Jorge Ben Jor (Mas que Nada e Vem Morena), Baden Powell & Vinicius de Moraes (Tempo de Amor) e do Tom Jobim dos anos 70 (Águas de Março). Em tese, a renovação está nos arranjos de Ralf Schmid, que procurou misturar sons acústicos e eletrônicos sem perder o tom cool típico da bossa formatada em fins dos anos 50 por João Gilberto (e Cia.).

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Ganha edição brasileira - neste mês de março de 2010, pela Biscoito Fino - Bossarenova, o projeto que juntou Paula Morelembaum à SWR Big Band (grande orquestra situada em Stuttgart, na Alemanha) e ao produtor e arranjador alemão Ralf Schmid. Idealizado por Schmid, o disco foi editado no exterior em 2009. O título faz supor uma releitura de sucessos da Bossa Nova, mas o repertório extrapola o conceito ortodoxo do gênero, incluindo temas de Villa-Lobos (Modinha), Toquinho & Vinicius de Moraes (Tarde em Itapoã), Jorge Ben Jor (Mas que Nada e Vem Morena), Baden Powell & Vinicius de Moraes (Tempo de Amor) e do Tom Jobim dos anos 70 (Águas de Março). Em tese, a renovação está nos arranjos de Ralf Schmid, que procurou misturar sons acústicos e eletrônicos sem perder o tom cool típico da bossa formatada em fins dos anos 50 por João Gilberto (e Cia.).

14 de março de 2010 19:48  
Anonymous Anônimo said...

esta coisa de seguir a seara da bossa eletrônica "inventada" por bebel gilberto é algo muito arriscado e paula está tentando de novo num caminho que ela já errou feio.
o disco anterior berimbaum é horrível, os sons eletrônicos predominantes no disco simplesmente sufocam o acústico da gravação e tornam a audição penosa e cansativa.
foi o único disco que eu comprei e devolvi.
se eu tivesse acesso as fitas originais, queria fazer uma mixagem sem os eletrônicos só com os instrumentos acústicos, quem sabe um "berimbaum... naked".
espero que desta vez ela tenha tido mais senso de equilíbrio.
de qualquer maneira acho a paula uma grande cantora, só espero que ela encontre um outro caminho para a sua carreira que não este do bossa-eletrônica.

15 de março de 2010 04:17  
Blogger Marcelo said...

Tudo que vem de Paula é bem vindo. Cantora afinada, de bom gosto e faz do antigo uma coisa moderna sem descaracteriza-la. Adoro Paula.

15 de março de 2010 09:50  

Postar um comentário

<< Home