6 de fevereiro de 2010

Marchinhas antigas 'dão um baile' nas de 2010

Resenha de CD
Título: As Melhores
Marchinhas do
Carnaval 2010
Artista: Vários
Gravadora: Viva Brasil
/ Fundição Brasil
Cotação: * *

A julgar pelas dez melhores marchinhas da 5ª edição do concurso nacional promovido pela carioca Fundição Progresso, todas reunidas no CD que chega às lojas na próxima semana, os bailes do Carnaval de 2010 vão ser animados pelos infalíveis clássicos do gênero como Cabeleira do Zezé e Chiquita Bacana. A safra deste ano é inferior às anteriores. Os autores se revelam espertos na criação das letras, mas, nos quesitos ritmo e melodia, não conseguem criar marchinhas que realmente empolguem. Vou Entrar no seu Orkut - marcha defendida por Paulinho Mocidade, parceiro de Tiago Alves e Claudinho Guimarães no tema - ainda consegue se destacar na safra. Maliciosamente, a marchinha brinca com termos do universo virtual. Já O Bispo Também Quer Levar - cantada e assinada por turma numerosa que inclui Janjão, Gallotti, Nuno Neto e Pedro Cinta - faz piada velha com a ganância de parte do universo religioso enquanto O Avião do Sarkozy (defendida por Cássio Tucunduva) não decola de fato, embora aborde temas políticos atuais como o pré-sal. Com mais poesia e sem preocupação com a atualidade, Dançando o Mar - composta e cantada por Soraya Ravenle - evolui na cadência mais lenta da marcha-rancho, ritmo de antigos carnavais. Se Marcha Démodé (Gustavo Sant'Anna) se vale de fina ironia para valorizar velhos costumes, como o sexo heterossexual, Bom Dia! - marcha de Renato Torres defendida com graça por Alfredo Del Penho e Pedro Paulo Malta - libera geral no pegajoso refrão gay: "Se o Conde D'Eu / Se os Negros do Sudão / Se o Rei de Bagdá / Porque Eu Não Posso Dar?". Ecos espirituosos de um tempo em que as marchinhas reinavam no salão com mais inspiração. Aliás, pelo que se ouve no disco, a Mulata Yê Yê Yê de João Roberto Kelly - o compositor celebrado no concurso e no CD de 2010 - ainda é a tal nos bailes...

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

A julgar pelas dez melhores marchinhas da 5ª edição do concurso nacional promovido pela carioca Fundição Progresso, todas reunidas no CD que chega às lojas na próxima semana, os bailes do Carnaval de 2010 vão ser animados pelos infalíveis clássicos do gênero como Cabeleira do Zezé e Chiquita Bacana. A safra deste ano é inferior às anteriores. Os autores se revelam espertos na criação das letras, mas, nos quesitos ritmo e melodia, não conseguem criar marchinhas que realmente empolguem. Vou Entrar no seu Orkut - marcha defendida por Paulinho Mocidade, parceiro de Tiago Alves e Claudinho Guimarães no tema - ainda consegue se destacar na safra. Maliciosamente, a marchinha brinca com termos do universo virtual. Já O Bisbo Também Quer Levar - cantada e assinada por turma numerosa que inclui Janjão, Gallotti, Nuno Neto e Pedro Cinta - faz piada velha com a ganância de parte do universo religioso enquanto O Avião do Sarkozy (defendida por Cássio Tucunduva) não decola de fato, embora aborde temas políticos atuais como o pré-sal. Com mais poesia e sem preocupação com a atualidade, Dançando o Mar - composta e cantada por Soraya Ravenle - evolui na cadência mais lenta da marcha-rancho, ritmo de antigos carnavais. Se Marcha Démodé (Gustavo Sant'Anna) se vale de fina ironia para valorizar velhos costumes, como o sexo heterossexual, Bom Dia! - marcha de Renato Torres defendida com graça por Alfredo Del Penho e Pedro Paulo Malta - libera geral no pegajoso refrão gay: "Se o Conde D'Eu / Se os Negros do Sudão / Se o Rei de Bagdá / Porque Eu Não Posso Dar?". Ecos espirituosos de um tempo em que as marchinhas reinavam no salão com mais inspiração. Aliás, pelo que se ouve no disco, a Mulata Yê Yê Yê de João Roberto Kelly - o compositor celebrado no concurso e no CD de 2010 - ainda é a tal nos bailes...

6 de fevereiro de 2010 12:17  

Postar um comentário

<< Home