8 de fevereiro de 2010

Enfarte para o coração matuto de Pena Branca

Aos 70 anos, José Ramiro Sobrinho (1939 - 2010), o Pena Branca, saiu de cena na noite desta segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010, vítima de enfarte fulminante. Legítima voz sertaneja, Pena Branca formou dupla com o irmão Ranulfo Ramiro da Silva (1942 - 1999), o Xavantinho, com quem obteve projeção nacional na década de 80, quando a dupla - dissolvida forçosamente com a morte de Xavantinho, em outubro de 1999 - gravou álbuns como Velha Morada (1980) e Uma Dupla Brasileira (1982). Naturais de Uberlândia (MG), onde iniciaram carreira em 1961, Pena Branca & Xavantinho ganharam fãs ilustres como Milton Nascimento - de quem recriaram O Cio da Terra (parceria de Milton com Chico Buarque) com muita propriedade - pela devoção aos sons dos sertão. Formavam inusitada dupla caipira que - sem concessões ao repertório sertanejo mais populista - transitava eventualmente até pela MPB entre modas de viola e temas folclóricos. Com a morte de Xavatinho, Pena Branca prosseguiu em carreira solo que rendeu álbuns como Semente Caipira (2000), Pena Branca Canta Xavantinho (2002) e Cantar Caipira (2008), último suspiro fonográfico dessa voz sertaneja fiel ao canto interiorano.

8 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Aos 70 anos, José Ramiro Sobrinho (1939 - 2009), o Pena Branca, saiu de cena na noite desta segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010, vítima de enfarte fulminante. Legítima voz sertaneja, Pena Branca formou dupla com o irmão Ranulfo Ramiro da Silva (1942 - 1999), o Xavantinho, com quem obteve projeção nacional na década de 80, quando a dupla - dissolvida forçosamente com a morte de Xavantinho, em outubro de 1999 - gravou álbuns como Velha Morada (1980) e Uma Dupla Brasileira (1982). Naturais de Uberlândia (MG), onde iniciaram carreira em 1961, Pena Branca & Xavantinho ganharam fãs ilustres como Milton Nascimento - de quem recriaram O Cio da Terra (parceria de Milton com Chico Buarque) com muita propriedade - pela devoção aos sons dos sertão. Formavam inusitada dupla caipira que - sem concessões ao repertório sertanejo mais populista - transitava eventualmente até pela MPB entre modas de viola e temas folclóricos. Com a morte de Xavatinho, Pena Branca prosseguiu em carreira solo que rendeu álbuns como Semente Caipira (2000), Pena Branca Canta Xavantinho (2002) e Cantar Caipira (2008), último suspiro fonográfico dessa voz sertaneja fiel ao canto interiorano.

9 de fevereiro de 2010 09:18  
Blogger Mauro Ferreira said...

Este texto foi postado às 9:18 de terça-feira, 9 de fevereiro de 2010, mas aparece com data de ontem para coincidir com o dia da morte do artista. Abs, Mauro Ferreira

9 de fevereiro de 2010 09:20  
Anonymous Denilson said...

O céu está ficando um lugar cada vez mais legal. A gente é que fica triste aqui, com saudades.

Uma dupla que deixa muitas saudades, responsável pela melhor interpretação de "Cio da Terra" que já foi feita e por ter lançado "Calix Bento" antes mesmo da gravação antológica do Mílton.

abração,
Denilson

9 de fevereiro de 2010 09:30  
Anonymous Anônimo said...

Lindura,
"para", segundo a nova ortografia, não tem mais o acento agudo.
Um saco essas mudanças, não é mesmo?

beijo na orelhinha,
Lourdes Maria

9 de fevereiro de 2010 16:03  
Blogger Mauro Ferreira said...

Lourdes, na realidade, eu - juro - sabia, mas fiquei com a sensação de que estaria escrevendo errado se não usasse o acento. Achei que ninguém fosse notar. Mas seu comentário me fez concluir (de uma vez por todas) que as mudanças ortográficas são inevitáveis. Grato, de qualquer forma, MauroF

9 de fevereiro de 2010 16:41  
Anonymous jota vieira said...

Mauro, apenas uma observação: enfarte não é o caso.
Diga (escreva) infarto, ok?

Enfarte foi uma invenção do Ibrahim Sued, em priscas eras, e como ele era um colunista muito lido foi rapidamente divulgado (erroneamente).

Abç.

9 de fevereiro de 2010 16:45  
Anonymous Anônimo said...

jota não deixa de ter razão, mas hj já se aceita a grafia 'enfarte', embora em termos médicos permanece infarto (IAM - infarto agudo do miocardio).

lamentável, com 'e' ou com 'i'.

9 de fevereiro de 2010 18:53  
Anonymous Anônimo said...

Maravilhosa dupla.
O Pena Branca fazia um som sertanejo sem poluição. Maravilhoso. Ele era carinhoso com as pessoas e o show sempre lindo e emocionante. Cio da Terra com eles era especial.
Siga em paz!

9 de fevereiro de 2010 19:03  

Postar um comentário

<< Home