14 de setembro de 2009

Novela estreia com inédita de Roberto na trilha

A trilha sonora da nova novela Viver a Vida - que estreia na TV Globo nesta segunda-feira, 14 de setembro de 2009 - conta com música inédita de Roberto Carlos, A Mulher que Eu Amo, gravada na voz do próprio Rei (à direita em foto de Luciana Brasil). A música é uma das sete compostas pelo cantor para o disco de inéditas que ele iria lançar no fim do ano e que foi - mais uma vez - adiado. Roberto e Erasmo Carlos até já compuseram a trilha sonora de uma novela (O Bofe, 1972), mas os temas não foram gravados por eles. Portanto, é a primeira vez que uma trilha de novela apresenta música inédita de Roberto. O que garante interesse adicional ao CD que a Som Livre vai pôr nas lojas em outubro. A trilha inclui Mar e Sol (Lokua Kanza e Carlos Rennó), faixa de Gal Costa (gravada em 2005 para o álbum Hoje).

7 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

A trilha sonora da nova novela Viver a Vida - que estreia na TV Globo nesta segunda-feira, 14 de setembro de 2009 - conta com música inédita de Roberto Carlos, A Mulher que Eu Amo, gravada na voz do próprio Rei (à direita em foto de Luciana Brasil). A música é uma das sete compostas pelo cantor para o disco de inéditas que ele iria lançar no fim do ano e que foi - mais uma vez - adiado. Roberto e Erasmo Carlos até já compuseram a trilha sonora de uma novela (O Bofe, 1972), mas os temas não foram gravados por eles. Portanto, é a primeira vez que uma trilha de novela apresenta música inédita de Roberto. O que garante interesse adicional ao CD que a Som Livre vai pôr nas lojas em outubro. A trilha inclui Mar e Sol (Lokua Kanza e Carlos Rennó), faixa de Gal Costa (gravada em 2005 para o álbum Hoje).

14 de setembro de 2009 10:11  
Anonymous Anônimo said...

Finalmente uma novidade de fato sobre RC.
Algo novo, no novo.
Independente de ser boa ou ruim. Merece aplausos.

Afinal de contas, Maneco tem moral.

Carioca da Piedade, fã de carteirinha de trilhas sonoras de novela (por que a música do Brasil também passa por ali, passa e replica)

14 de setembro de 2009 14:04  
Blogger alonso said...

Trilha de novela é hoje a grande vitrine da mpb - que quase não toca nas rádios (exceto música sertaneja e pagode). Gostei de saber que Simone também foi incluída com "Migalhas", do Erasmo Carlos, uma das mais belas do seu primoroso CD.

14 de setembro de 2009 16:56  
Anonymous Anônimo said...

Trilha de novela vitrine da MPB ? Só quando inclui os antigos sucessos atemporais. Inéditas ? 90% brega e jabá.

14 de setembro de 2009 21:17  
Anonymous Anônimo said...

Ok, tem jabá, tem clássicos, mas tem também coisas que entram porque tem que entrar. Sururu na Roda e João Pinheiro são apenas dois exemplos de quem entrou em trilha porque tinha que entrar, sem jabá, pelo talento.
Podem não gostar, mas pergunte a qualquer artista se não queria ter música de destaque em novela. Eu, que não sou artista, gostaria.

Fora o preconceito. Até muito artista da tão aclamada neste blog Biscoito Fino entra nas trilhas. Questione a eles se é ou não uma boa vitrina (como ensina o Aurélio) ?

Carioca da Piedade

15 de setembro de 2009 10:36  
Anonymous André said...

Mauro,

Não sei a que você se referiu a primeira vez ter uma música inédita do rei, pois em 1991, tivemos Super-herói, em 93 Dito e Feito em 94, tivemos Tanta solidão! Nos exemplos citados, todas já haviam sido lançadas em disco anual do rei!
Em 97, Abrazami asi saiu antes, na novela Por amor e só no natal daquele ano saiu no disco em espanhol! Em 2005 aconteceu o mesmo, A volta e Índia saíram primeiro nas novelas. Embora esses exemplos não sejam de canções inéditas, eram até então inéditas na voz do rei!

Que venha mais um sucesso, rei é rei! Essa canção deve ser bonus no cd/dvd do Maracanã!

Um abraço!

17 de setembro de 2009 20:12  
Blogger Vinícius Faustini said...

André, só te corrigindo aí. Super herói, Dito e feito e Tanta solidão foram lançadas no ano seguinte aos lançamentos de Roberto Carlos - assim como a canção Mujer, que saiu na novela Lua cheia de amor.

Você está certo, Abrázame así saiu no meio do ano, e só veio em dezembro no disco Canciones que amo. No caso de A volta e Índia, RC gostou dos temas dos personagens e por isso liberou as gravações. A primeira, para América, por ser tema de um personagem que era deficiente visual. A segunda, para Alma gêmea, foi porque era tema da índia Serena, que vivia com o personagem de Eduardo Moscovis um "amor que era além da vida".

Bom, não sei o conceito do Mauro para o termo "inédita". Se for de uma canção ESCRITA POR ROBERTO CARLOS, aí sim tem o conceito de ineditismo.

Vinícius Faustini

19 de setembro de 2009 12:18  

Postar um comentário

<< Home