29 de setembro de 2009

'Dois' de Partimpim traz Dylan, João e Caetano

O Homem Deu Nome a Todos os Animais - a versão fiel de Zé Ramalho para música de Bob Dylan, Man Gave Names to All the Animals, gravada pelo cantor brasileiro no CD/DVD Tá Tudo Mudando - Zé Ramalho Canta Bob Dylan (2008) - é uma das 12 músicas do segundo álbum de estúdio de Adriana Partimpim, o heterônimo criado por Adriana Calcanhotto para assinar seus projetos infantis. Nas lojas na primeira semana de outubro de 2009, via Sony Music, o CD Dois traz também no repertório Bim Bom - o baião de João Gilberto, lançado pelo autor em 1959 e curiosamente regravado 50 anos depois de forma simultânea por Adriana e por Bebel Gilberto - e Alexandre, tema pouco conhecido de Caetano Veloso, gravado no disco Livro (1997). Outras curiosidades da seleção são Gatinha Manhosa - canção de Roberto e Erasmo Carlos, associada ao Tremendão desde 1966, mas lançada em 1964 pelo conjunto Renato e seus Blue Caps no LP Viva a Juventude! - e O Trenzinho do Caipira, tema composto em 1930 por Heitor Villa-Lobos (1887 - 1959) e posteriormente letrado pelo poeta Ferreira Gullar. Em sintonia com a modernidade da era tecnológica, Partimpim também canta Ringtone do Amor. Outras faixas são Alface (versão de Augusto de Campos para poema de Edward Lear), As Borboletas (um tema do poeta Vinicius de Moraes, musicado por Cid Campos) e Na Massa (parceria de Arnaldo Antunes e Davi Moraes, já gravada por Davi).

13 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

O Homem Deu Nome a Todos os Animais - a versão fiel de Zé Ramalho para música de Bob Dylan, Man Gave Names to All the Animals, gravada pelo cantor brasileiro no CD/DVD Tá Tudo Mudando - Zé Ramalho Canta Bob Dylan (2008) - é uma das 12 músicas do segundo álbum de estúdio de Adriana Partimpim, o heterônimo criado por Adriana Calcanhotto para assinar seus projetos infantis. Nas lojas na primeira semana de outubro de 2009, via Sony Music, o CD Dois traz também no repertório Bim Bom - o baião de João Gilberto, lançado pelo autor em 1959 e curiosamente regravado 50 anos depois de forma simultânea por Adriana e por Bebel Gilberto - e Alexandre, tema pouco conhecido de Caetano Veloso, gravado no disco Livro (1997). Outras curiosidades da seleção são Gatinha Manhosa - canção de Roberto e Erasmo Carlos, associada ao Tremendão desde 1966, mas lançada em 1964 pelo conjunto Renato e seus Blue Caps no LP Viva a Juventude! - e O Trenzinho do Caipira, tema composto em 1930 por Heitor Villa-Lobos (1887 - 1959) e posteriormente letrado pelo poeta Ferreira Gullar. Em sintonia com a modernidade da era tecnológica, Partimpim também canta Ringtone do Amor. Outras faixas são Alface, Na Massa e Olodum.

29 de setembro de 2009 00:48  
Anonymous Marta said...

de quem é ringtone do amor?

29 de setembro de 2009 07:33  
Blogger Flávia C. said...

Oi, Mauro!
Tempo que não passo por aqui... essa canção "Na massa" e a do Arnaldo Antunes?

Abraço a todos! =)

29 de setembro de 2009 09:54  
Anonymous Anônimo said...

Um disco para crianças modernas, ou seja,Adriana compreende o Universo da meninada.Nada de canções bobinhas e inocentes.

Uma grande repetida sacada


Leandro,

29 de setembro de 2009 10:21  
Anonymous Anônimo said...

As faixas citadas no final do texto eu não as conheço, mas o restante do repertório é excelente. Acredito que será um grande trabalho da Partimpim.

29 de setembro de 2009 10:31  
Anonymous Anônimo said...

Adriana tem boas sacadas. Ela que é parceira do Péricles Cavalcanti e o grava com frequência bem que poderia ter incluido o registro de "Nuvoleta". Acho que é uma canção que cabe bem no estilo do CD.

29 de setembro de 2009 12:04  
Anonymous Anônimo said...

Muito bom gosto!

29 de setembro de 2009 14:59  
Anonymous Anônimo said...

A inclusão da música de João Gilberto é um marco interessante. Ele não o que se pode chamar de um compositor, mas essa música é isso : infantil. Não infantilóide, mas infantil, simples. E tem que ser cantada assim, leve, como Adriana e Bebel sabem fazer.
Assisti o show anterior, vejo volta e meia o dvd.. É um passo além do óbvio. Não é a única a fazer música inteligente para crianças inteligentes, mas sabe usar a mídia a seu favor. E isso é bom. E faz tudo com prazer.. Recebe a criançada, conversa, interage.
Não é o número dois. É mais um. Pois, tanto podem vir outros como parar por aqui. É fruto do prazer e não da obrigação.
Depois de Maré, uma beira de mar com patinhos de borracha e barquinhos de papel.
Carioca da Piedade

29 de setembro de 2009 18:04  
Blogger PedroPeter said...

"Na massa" seria a que o Davi Moraes gravou? ótima canção.

29 de setembro de 2009 19:04  
Anonymous Anônimo said...

rosemberg

eu acho que a massa é uma antiga canção, que ficou muito famosa no festival da globo na decada de 80.

mauro um abraço.

29 de setembro de 2009 19:33  
Anonymous Fabio said...

Desconhece a Banda de Boca ? Lançaram esse ano novo CD...

Vejam que belo repertório:

Bola de Meia, Bola de Gude (Milton Nascimento/ Fernando Brant)

A Lua (Renato Rocha)

Cada Macaco no seu Galho (Riachão)

Samba de Maria Luisa (Tom Jobim)

João e Maria (Sivuca/Chico Buarque)

Leãozinho (Caetano Veloso)

Calhambeque (John D. Loudermilk/Gwen Loudermilk, versão: Erasmo Carlos)

O Vira (João Ricardo/Luhli)

Ciranda da Bailarina (Chico Buarque/Edu Lobo)

Biquini de Bolinha Amarelinha (Herv Cordovil)

O Pato (Jaime Silva/Neuza Teixeira)

Patuscada (Francis Hime/Cacaso)

Acalanto (Dorival Caymmi)


ESSE sim Im-pe-cá-vel !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

29 de setembro de 2009 22:58  
Anonymous Anônimo said...

Fábio,
Bobagem ficar simplesmente comparando. Trabalhos bons são trabalhos bons seja que de que boca e coração nascerem.
Banda de Boca, Paulo Tati, Adriana, Paulo Bi, Zuzuca.... se é bom, é bom

Carioca da Piedade

30 de setembro de 2009 07:18  
Anonymous Anônimo said...

Alexandre, do Caetano, é um axé de letra quilométrica (e deliciosa) que narra didaticamente a vida de Alexandre, o Grande. Uma grande sacada da Adriana!

30 de setembro de 2009 19:23  

Postar um comentário

<< Home