14 de agosto de 2009

Pai e filho, Ivan e Claudio se irmanam no palco

Resenha de Show
Título: 1 + 1
Artista: Ivan Lins & Claudio Lins
Local: Teatro Rival (RJ)
Data: 13 de agosto de 2009
Foto: Mauro Ferreira
Cotação: * * * 1/2
Em cartaz de quinta-feira a sábado, até 22 de agosto de 2009

Em 1985, Claudio Lins era um menino quando interpelou seu pai, Ivan Lins, cantarolando trecho da canção Vitoriosa, então recém-composta por Ivan. Vinte e quatro anos depois, Claudio - já adulto e lançando seu bom segundo CD, Cara, nas lojas desde junho pela gravadora Biscoito Fino - entoou Vitoriosa de forma terna na companhia de Ivan, ao piano. O número está no bis do belo show 1 + 1, que reúne pai e filho em cena. Claudio e Ivan se irmanam no palco do Teatro Rival, onde o show fez sua estreia carioca na noite de quinta-feira, 13 de agosto de 2009. O diretor Bruno Murtinho soube criar show e roteiro bem estruturados, que dão igual peso às participações de Ivan e Claudio. O bloco final é especialmente envolvente. Quando Claudio volta à cena, ele canta - de pé, ao lado do pai que pilota os teclados - Lembra de mim, uma das mais belas canções de amor de Ivan, tema da novela História de Amor (1996), na qual Claudio despontou como ator. Na sequência, pai e filho travam suingada disputa no espírito dos versos malandros de Sou Eu, samba composto por Ivan com Chico Buarque (intérprete original do samba, Diogo Nogueira ficou de fazer participação especial no show na apresentação desta sexta-feira, 14 de agosto). E pai e filho saem de cena - antes de darem o bis que culmina com Madalena num registro cheio de interação com a platéia - ao som de outro grande samba recente de Ivan, A Gente Merece Ser Feliz.

Há real entrosamento entre pai e filho em cena. Entendimento e cumplicidade perceptíveis já no primeiro número, Lua Soberana, quando ambos cantam e pilotam seus teclados, posicionados lado a lado no palco do Rival. Rei do Carnaval, samba de Ivan com Paulo César Pinheiro, confirma a interação. Momentos depois, já sem Ivan, Claudio segura a atenção do público com as músicas de seu segundo disco, Cara, sucessor de Um (1999). Da safra autoral de Claudio, vale destacar Cupido - o tema gravado por Maria Rita em seu primeiro CD, em 2003 - e as boas letras do compositor emergente. Já Ivan optou por apresentar sucessos como Roda Baiana e Daquilo que Eu Sei com sotaque jazzístico condizente com o tom do álbum gravado por ele com a big-band holandesa Metropole Orchestra e recém-lançado pela Biscoito Fino. É, aliás, quando fica evidente o virtuosismo e o entrosamento da banda formada por Téo Lima (bateria), Nema Antunes (baixo), Leonardo Amuedo (guitarra), Marco Brito (teclados) e Marcelo Martins (sax e flauta), com menção honrosa para os sopros afiados de Martins. Que assina com Ivan, Amuedo e Nema o tema instrumental 4 x 3 - pretexto para improvisos ágeis do grupo. Contudo, é mesmo na interação final entre Claudio e Ivan que o show 1 + 1 atinge seu clímax, mostrando que pai e filho estão somando (muito) em cena.

12 Comments:

Anonymous Joel said...

ivan tá dando uma força pro filho, né, mauro?

14 de agosto de 2009 22:13  
Anonymous Anônimo said...

Prezado Joel, Cláudio lançou seu primeiro CD em 1999. O 2º só agora, 10 anos depois (Que força, hein ?)

Como pai não teria o menor problema em "dar uma força para o filho" - deveria até - mas o "filho" não precisa. TEM TALENTO.

Ouça primeiro, fale depois, ok ?

14 de agosto de 2009 23:29  
Anonymous Anônimo said...

Ah, esqueci, Joel. Ivan e Lucinha Lins: TÁ NO DNA.

Abraços.

14 de agosto de 2009 23:31  
Anonymous Anônimo said...

O CD do Cláudio é bonito de ouvir.

E a voz ta cada dia melhor!

15 de agosto de 2009 01:15  
Anonymous Anônimo said...

Só por ter os dois no palco já vale a curiosidade. Os dois maduros e talentosos. E o título do post é tudo de bom

Carioca da Piedade

15 de agosto de 2009 08:39  
Anonymous Denilson said...

Olha, gente.

Eu já acompanho a carreira do Cláudio Lins há algum tempo, quer seja no teatro, quer seja na TV, quer seja em shows dele a que assisti.

A minha opinião é que ele é muito talentoso, mas muito mesmo. Com certeza vem do DNA, mas independente disso, ele tem muita personalidade, para se distanciar dos pais.

As músicas escritas por ele são de muita qualidade. Ele é um excelente instrumentista, canta muito bem e tem uma bela presença de palco. E é gente boa à beça, que nem o pai.

Eu recomendo a compra do cd dele.

abração,
Denilson

15 de agosto de 2009 10:06  
Anonymous Anônimo said...

Este CD Cara está muito bonito. E voz está muito boa também.

15 de agosto de 2009 11:54  
Anonymous Anônimo said...

Atentei pro talento de Cláudio Lins ao ouvir a belíssima música 'Cupido', que Maria Rita gravou no álbum de 2003. Que letra e melodia maravilhosas! Definitivamente, o talento do rapaz tá no DNA. Sem contar que é um pedação e tanto de mau caminho...

15 de agosto de 2009 15:45  
Anonymous Anônimo said...

Prezado Denilson, quando conprei o 1º na Modern Sound (bendita!) aqui no Rio fui pelo "DNA" mesmo.

Foi ouvir e descobrir o talento.

O 2º já comprei até sem lembrar de quem era filho.

BOM DEMAIS, AH, E JÁ VI EM TEATRO TAMBÉM (TV É QUE NÃO MUITO É MINHA) E CONCORDO - PRA VARIAR.

Abraços.

15 de agosto de 2009 21:16  
Anonymous Anônimo said...

O anônimo "sábias palavras" lá em cima me fez lembrar de uma das maiores vozes deste país que eu não sei por que cargas d'ádua não levou sua carreira de modo regular.
Lucinha Lins dá saudade.

16 de agosto de 2009 02:15  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, eu não me arrisco em listar nem as 10 melhores canções de amor de Ivan.

16 de agosto de 2009 02:37  
Anonymous Anônimo said...

Só para lembrar : Cláudio, quando cumpriu expediente na TVE, mostrou-se um ótimo entrevistador.
Carioca da Piedade

16 de agosto de 2009 12:48  

Postar um comentário

<< Home