28 de abril de 2009

Dylan persegue modernidade atemporal dos 50

Resenha de CD
Título: Together
Through Life
Artista: Bob Dylan
Gravadora: Columbia
/ Sony Music
Cotação: * * * 1/2

Nas lojas dos Estados Unidos a partir desta terça-feira, 28 de abril de 2009, o 33º álbum de estúdio de Bob Dylan, Together Through Life, não é trabalho tão coeso quanto os três últimos álbuns do artista. Mesmo sem atingir o nível da excepcional trilogia formada por Time out of Mind (1997), Love and Theft (2001) e Modern Times (2006), Together Through Life é um álbum de Dylan e, como tal, tem um peso já natural e suscita discussões no universo pop - como acontece com um álbum de Caetano Veloso na cena brasileira, por exemplo. Em entrevista publicada em seu site oficial, Dylan cita como influência os "velhos discos da Chess Records e da Sun Records". O artista se refere às duas gravadoras que, nos anos 50, propagaram o blues e o rock. É a modernidade atemporal dos sons e ritmos daquela década que Dylan parece perseguir no álbum, produzido pelo próprio artista sob seu recorrente pseudônimo de Jack Frost. Shake Shake Mama é rock embebido em blues em cuja letra Dylan - que já vai completar 68 anos em 24 de maio - encara os efeitos devastadores de seu tempo. Já Beyond Here Lies Nothin' - a primeira das dez faixas - é estupendo blues de pegada roqueira. Entre tema de textura country como I Feel a Changing Comin' on (no qual Dylan se orgulha de trazer "o sangue da terra na voz" em verso de letra que vai soar apressadamente como uma saudação à chegada de Barack Obama à presidência dos EUA) e balada sobre perda como Forgetful Heart (na qual se ouve a guitarra distorcida que pontua boa parte das músicas), Together Through Life deixa no ar a sensação de que tudo já foi feito e cantado por Dylan com mais poesia e profundidade. Lenta balada que motivou a gravação do álbum ao ser composta por Dylan sob encomenda para o próximo filme de Olivier Dahan, Life Is Hard - por exemplo - soa quase trivial se comparada com outros temas do cancioneiro do compositor. Contudo, Together Through Life tem lá suas particularidades. O acordeom tocado por David Hidalgo - cantor e compositor da banda Los Lobos - permeia quase todo o disco e sobressai em faixas como My Wife's Home Town, um blues à moda antiga de Chicago. This Dream of You flerta elegantemente com o som mexicano dos mariachis sem desviar Dylan da rota habitual. Foi lapidando as matrizes do rock, do blues e do country que o artista voltou à forma nos seus três álbuns anteriores. Together Through Life nunca é tão bom, mas às vezes chega perto deles...

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Resenha de CD
Título: Together
Through Life
Artista: Bob Dylan
Gravadora: Columbia
/ Sony Music
Cotação: * * * 1/2

Nas lojas dos Estados Unidos a partir desta terça-feira, 28 de abril de 2009, o 33º álbum de estúdio de Bob Dylan, Together Through Life, não é trabalho tão coeso quanto os três últimos álbuns do artista. Mesmo sem atingir o nível da excepcional trilogia formada por Time out of Mind (1997), Love and Theft (2001) e Modern Times (2006), Together Through Life é um álbum de Dylan e, como tal, tem um peso já natural e suscita discussões no universo pop - como acontece com um álbum de Caetano Veloso na cena brasileira, por exemplo. Em entrevista publicada em seu site oficial, Dylan cita como influência os "velhos discos da Chess Records e da Sun Records". O artista se refere às duas gravadoras que, nos anos 50, propagaram o blues e o rock. É a modernidade atemporal dos sons e ritmos daquela década que Dylan parece perseguir no álbum, produzido pelo próprio artista sob seu recorrente pseudônimo de Jack Frost. Shake Shake Mama é rock embebido em blues em cuja letra Dylan - que já vai completar 68 anos em 24 de maio - encara os efeitos devastadores de seu tempo. Já Beyond Here Lies Nothin' - a primeira das dez faixas - é estupendo blues de pegada roqueira. Entre tema de textura country como I Feel a Changing Comin' on (no qual Dylan se orgulha de trazer "o sangue da terra na voz" em verso de letra que vai soar apressadamente como uma saudação à chegada de Barack Obama à presidência dos EUA) e balada sobre perda como Forgetful Heart (na qual se ouve a guitarra distorcida que pontua boa parte das músicas), Together Through Life deixa no ar a sensação de que tudo já foi feito e cantado por Dylan com mais poesia e profundidade. Lenta balada que motivou a gravação do álbum ao ser composta por Dylan sob encomenda para o próximo filme de Olivier Dahan, Life Is Hard - por exemplo - soa quase trivial se comparada com outros temas do cancioneiro do compositor. Contudo, Together Through Life tem lá suas particularidades. O acordeom tocado por David Hidalgo - cantor e compositor da banda Los Lobos - permeia quase todo o disco e sobressai em faixas como My Wife's Home Town, um blues à moda antiga de Chicago. This Dream of You flerta elegantemente com o som mexicano dos mariachis sem desviar Dylan da rota habitual. Foi lapidando as matrizes do rock, do blues e do country que o artista voltou à forma nos seus três álbuns anteriores. Together Through Life nunca é tão bom, mas às vezes chega perto deles...

28 de abril de 2009 09:53  

Postar um comentário

<< Home