7 de março de 2009

Daniel Lopes tenta pôr 'refrões' na parada pop

Resenha de CD
Título: Mais e
Mais Refrões
Artista: Daniel Lopes
Gravadora: Sem
indicação
Cotação: * * 1/2

No título de seu primeiro CD solo, Mais e Mais Refrões, Daniel Lopes chega a ignorar de propósito a norma gramatical - o certo seria refrãos ou refrães - para anunciar sua intenção de fazer um disco pop, sem grandes conceitos ou pretensões estilísticas. Certamente bem influenciado pelos seis anos que atuou como guitarrista de Leoni, um dos mestres brasileiros do gênero, o cantor e compositor carioca - egresso do grupo Reverse - mostra alguma intimidade com o idioma da canção pop em faixas como Homem Verde, Invenções e Ampulhetas (dona da melhor letra). Laiá Laiá - samba seco, meio torto - e a balada usada para batizar o disco também se destacam no repertório inteiramente autoral. Como cantor, Daniel Lopes soa menos interessante do que como compositor. A voz, trivial, dá conta do recado sem um brilho especial. Mas no universo pop - tangenciado também pela canção Interior, composta e gravada por Daniel Lopes com seu mestre Leoni - uma voz comum nem sempre é impedimento para um artista emplacar seus refrões na parada. Se vencer as limitações da cena indie, o artista pode ser bem-sucedido na sua intenção com disco de produção simples e eficiente (assinada por ele mesmo). Como requer uma canção pop.

4 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

No título de seu primeiro CD solo, Mais e Mais Refrões, Daniel Lopes chega a ignorar de propósito a norma gramatical - o certo seria refrãos ou refrães - para anunciar sua intenção de fazer um disco pop, sem grandes conceitos ou pretensões estilísticas. Certamente bem influenciado pelos seis anos que atuou como guitarrista de Leoni, um dos mestres brasileiros do gênero, o cantor e compositor carioca - egresso do grupo Reverse - mostra alguma intimidade com o idioma da canção pop em faixas como Homem Verde, Invenções e Ampulhetas (dona da melhor letra). Laiá Laiá - samba seco, meio torto - e a balada usada para batizar o disco também se destacam no repertório inteiramente autoral. Como cantor, Daniel Lopes soa menos interessante do que como compositor. A voz, trivial, dá conta do recado sem um brilho especial. Mas no universo pop - tangenciado também pela canção Interior, composta e gravada por Daniel Lopes com seu mestre Leoni - uma voz comum nem sempre é impedimento para um artista emplacar seus refrões na parada. Se vencer as limitações da cena indie, o artista pode ser bem-sucedido na sua intenção com disco de produção simples e eficiente (assinada por ele mesmo). Como requer uma canção pop.

7 de março de 2009 11:53  
Blogger LM said...

Daniel é um excelente músico e compositor também! Sucesso pra ele nesse novo trabalho! rs

8 de março de 2009 02:16  
Anonymous Anônimo said...

Essa coisa de exigir que a voz cantada alcance uma ou outra nota muito alta ou se encha de firulas mostra a degradação do cenário musical atual. Daniel não precisa - e nunca vai precisar de tais recursos pra ser brilhante, embora ele possa usá-los com maestria se assim quiser, como se ouve em algumas canções do reverse. Não concordo com a sua crítica, embora respeite sua opinião. Daniel é um sopro de ar fresco em meio de tanta porcaria que povoa o cenário brasileiro atual.

8 de março de 2009 22:05  
Anonymous Diogo ! said...

Sou fã do Reverse há tempos. Me amarro no semi-hit " Tempo e Espaço " deles e, claro, vou conferir esse trabalho do Daniel.


Um abraço a todos
Diogo Santos
Bal. Camboriu SC

9 de março de 2009 13:39  

Postar um comentário

<< Home