26 de março de 2008

Jair esbanja vitalidade nos tons do Quinteto

Resenha de CD
Título: Jair Rodrigues em
Branco e Preto
Artista: Jair Rodrigues
Gravadora: Trama
Cotação: * * * 1/2

Já na introdução de Orquestra Popular, bom samba de Luis Vagner com Bedeu que abre o 46º disco de Jair Rodrigues, o artista sinaliza que mantém o tom esfuziante que caracteriza seu canto. E que reaparece em faixas como Eu Vou Só, pagode cuja letra remete ao samba Maracangalha, de Dorival Caymmi. Aos 69 anos, Jair esbanja vitalidade no CD Em Branco e Preto, cujo título alude ao fato de o álbum ter sido produzido pelo Quinteto em Branco e Preto, o melhor grupo de samba de São Paulo na atualidade. O repertório - dos melhores já gravados por Jair em sua passagem pela gravadora Trama - surpreeende por extrapolar o quintal do samba, incluindo choro (Vida em Sonho, de Jair Oliveira, filho do artista) e um sambaião, Migração, que reconta a saga dos retirantes nordestinos com o auxílio luxuoso da voz e da sanfona de Dominguinhos. O leque rítmico do CD é amplo e abre espaço para o samba de breque, representado por Baiano Capoeira, parceria de Jorge Costa e Geraldo Filme, propagada nos anos 50 por Germano Mathias. Ícone do samba paulista, Mathias faz esperto dueto com Jair na faixa. No quintal mais tradicional do samba, o cantor apresenta o partido alto Toda Maria e foge do óbvio. Seja tirando do baú uma jóia do repertório dos Originais do Samba (E Lá se Vão meus Anéis), seja apresentando um lado B de Nelson Cavaquinho (Caridade, parceria com Hermínio do Vale), seja cantando Almir Guineto em clima seresteiro (Madrugada Sorrindo de Novo), seja incluindo dois sambas-enredos de São Paulo, Marquesa de Santos e Independência ou Morte, no pot-pourri do gênero que fecha o CD e afirma o colorido da voz de Jair Rodrigues, ora realçado pelos tons do Quinteto em Branco e Preto.

14 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Caridade teve gravação de Beth Carvalho no disco que fez só com músicas do Nelson.

26 de março de 2008 17:45  
Blogger Ju Oliveira said...

estou esperando esse cd desde o ano passado. adoro e Jair e o Quinteto. mas posso esperar para ouvir. obrigada pela resenha Mauro.

26 de março de 2008 17:48  
Anonymous Anônimo said...

Sem dúvida, um dos nossos melhores cantores.

26 de março de 2008 19:14  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, pq vc nao propoe uma caixa do jair para universal?

26 de março de 2008 20:06  
Anonymous Anônimo said...

que linda a capa! simples e maravilhosa!

26 de março de 2008 21:14  
Anonymous Anônimo said...

Jair podia dar umas aulinhas pra Gal Costa de como se manter VIVO e com energia. Produzir e ser feliz, no olhar e no cantar!!
Parabéns Jair!!

26 de março de 2008 22:19  
Anonymous Anônimo said...

O Marcelo Barbosa não gosta do Jair ?

27 de março de 2008 09:07  
Anonymous Anônimo said...

Acho que não Vadinho, até pq Jair é mezzo samba, mezzo sertanejo !

27 de março de 2008 09:19  
Blogger Flávia C. said...

Cara, que capa LINDA!!!
Adorei!

Jair Rodrigues é uma pérola. Meu conhecimento de sua obra não vai muito além do "deixe que digam, que pensem, que falem", ou do boiadeiro de laço firme e braço forte (ou seria o contrário?), mas nutro uma simpatia muito grande por ele.

Mas como não nutrir, se o cara esbanja alegria no sorrir, no olhar e no cantar? E se manter assim por tanto tempo (46 discos!!! O.O) não é para qualquer um.

Muito sucesso para ele! :-)

27 de março de 2008 10:26  
Anonymous Anônimo said...

Jair Rodrigues é mala.

27 de março de 2008 10:35  
Anonymous Anônimo said...

Anônimo das 09:19 acertou, mas não desgosto totalmente do Jair. Sem contar seus áureos duetos com Elis, Festivais, Disparada etc.
Foi o padrinho musical de Alcione e Martinho da Vila. Pra quem desconhece, Jair foi o primeiro a gravar Casa de Bamba, depois, Martinho relançou no seu disco de estréia.
Mas como desconheço a obra do Jair, preferi me isentar. Muita sorte a este grande cantor e pela capa, nota-se que virá um belo trabalho (aguardemos o repertório). Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

27 de março de 2008 13:17  
Anonymous Anônimo said...

Concordo com a Zenaide, é mala demais!
E aquele papo de que ele é pioneiro do rap brasileiro?
Que coisa ridícula.
É mala e fez filhos malas, não tem perdão pro Jair.

Jose Henrique

27 de março de 2008 14:09  
Anonymous Anônimo said...

Sem dúvida, um dos nossos melhores cantores. (NÃO ACREDITO NISSO?!!!)

EU DIRIA UM DOS NOSSOS MELHORES ANIMADORES!!!
ATÉ ACHO JAIR LEGALZINHO, MAS MELHOR CANTOR?
PEGOU PESADO!!!

28 de março de 2008 19:21  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, pelo amor de Deus, não é MARANCAGALHA (olha a cacofonia!), é MARACANGALHA. Cadê o revisor? :)

28 de março de 2008 20:05  

Postar um comentário

<< Home