30 de junho de 2010

Maranhão, Gil e Emílio se impõem no semestre

Marcado por alto volume de lançamentos no mercado fonográfico brasileiro (entre reedições, gravações ao vivo e CDs de inéditas), o primeiro semestre de 2010 chega ao fim com poucos álbuns realmente relevantes. Contudo, alguns discos já se impuseram na safra nacional do semestre com cacife para figurar na lista de melhores do ano. Rodrigo Maranhão confirmou a fértil inspiração como compositor na obra-prima Passageiro (MP,B / Universal Music), apresentando irretocável repertório inédito, embalado com elegância e minimalismo pelo produtor Zé Nogueira. Com igual maestria na arte da composição, Gilberto Gil retomou o fôlego autoral dos tempos áureos em na Festa (Geléia Geral / Universal Music), disco de inéditas em que reciclou o cancioneiro junino no confronto entre o passado e o presente dos arraiais armados Brasil afora. Sem saudosismo, Gil radiografou o São João do século 21 sem deixar de lembrar que aprendeu a fazer a festa com o rei Luiz Gonzaga (1912 - 1989). Já Emílio Santiago deu baile no óbvio ao evocar o som do organista Ed Lincoln em Só Danço Samba, disco que marcou a abertura do selo do cantor, Santiago Music. Merecem também menções honrosas os álbuns de Edu Lobo (Tantas Marés, Biscoito Fino) e Dori Caymmi (Mundo de Dentro, Music Taste), assim como as notáveis intervenções feitas por Ruy Castro e Henrique Cazes em 12 gravações de Carmen Miranda (1909 - 1955), remixadas para o CD Carmen Miranda Hoje (Biscoito Fino). Que venham os discos do segundo semestre!

16 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Marcado por alto volume de lançamentos no mercado fonográfico brasileiro (entre reedições, gravações ao vivo e CDs de inéditas), o primeiro semestre de 2010 chega ao fim com poucos álbuns realmente relevantes. Contudo, alguns discos já se impuseram na safra nacional do semestre com cacife para figurar na lista de melhores do ano. Rodrigo Maranhão confirmou a fértil inspiração como compositor na obra-prima Passageiro (MP,B / Universal Music), apresentando irretocável repertório inédito, embalado com elegância e minimalismo pelo produtor Zé Nogueira. Com igual maestria na arte da composição, Gilberto Gil retomou o fôlego autoral dos tempos áureos em Fé na Festa (Geléia Geral / Universal Music), disco de inéditas em que reciclou o cancioneiro junino no confronto entre o passado e o presente dos arraiais armados Brasil afora. Sem saudosismo, Gil radiografou o São João do século 21 sem deixar de lembrar que aprendeu a fazer a festa com o rei Luiz Gonzaga (1912 - 1989). Já Emílio Santiago deu baile no óbvio ao evocar o som do organista Ed Lincoln em Só Danço Samba, disco que marcou a abertura do selo do cantor, Santiago Music. Merecem também menções honrosas os álbuns de Edu Lobo (Tantas Marés, Biscoito Fino) e Dori Caymmi (Mundo de Dentro, Music Taste), assim como as notáveis intervenções feitas por Ruy Castro e Henrique Cazes em 12 gravações de Carmen Miranda (1909 - 1955), remixadas para o CD Carmen Miranda Hoje (Biscoito Fino). Que venham os discos do segundo semestre!

30 de junho de 2010 12:42  
Anonymous Anônimo said...

Mauro,

O disco de Emílio já está à venda? Não consigo encontrá-lo em nenhuma loja. Você poderia me dize onde poderei comprá-lo?

30 de junho de 2010 12:54  
Blogger Luca said...

Não ouvi o do Rodrigo. O do Gil é realmente muito bom. O Edu me decepcionou porque tem pouca coisa nova mesmo, mas é bom porque Edu é Edu e ponto. O do Dori e do Emilio eu não ouvi e nem vi para vender em lugar nenhum.

30 de junho de 2010 12:54  
Blogger Mauro Ferreira said...

Luca e anônimo das 12h54m, acredito que o Emílio não tenha fechado ainda a distribuição do disco com uma gravadora. Mas o disco está sendo vendido em seus shows. Quanto ao disco do Dori, nunca vi nas lojas, mas sei que ele o vende nos shows. A distribuição - se existe alguma - me parece muito deficiente. O que é uma pena no caso de ambos os discos. Abs, MauroF

Luca, as músicas do disco do Edu são antigas, mas inéditas na voz dele, o que justifica o registro. Embora também ache que a dose de inéditas é muito baixa.

30 de junho de 2010 13:01  
Anonymous Geraldo said...

O cd de Gilberto Gil é muito bom. É disco para ouvir várias vezes seguidas. A nova safra de Gil e a inédita de Targino Gondim mostram um momento muito bom na carreira do artista.

30 de junho de 2010 13:13  
Blogger Rener Melo said...

Tenho o do Gil. Mas fiquei com vontade de ter o do Rodrigo Maranhão e sambar com Emilio Santiago! Penso que vou comprar!

30 de junho de 2010 14:22  
Anonymous Anônimo said...

o do Emilio é um dos mehores discos do ano!!! É maravilhoso e por enquanto só nos locais aonde ele faz show que é possível encontra-lo.

30 de junho de 2010 16:35  
Anonymous Anônimo said...

Olá Mauro passando pra lhe avisar de um novo projeto da cantora Ana Carolina, "Ensaio de cores" http://www.ensaiodecoresac.com.br/
.
Abraços. É um site lindo e emocionante.

30 de junho de 2010 18:10  
Blogger Amigos das Bibliotecas said...

Acho que dificilmente ouviremos um CD melhor que o do Maranhão em 2010. Até gostaria, mas acho insuperável! É o CD do ano!

30 de junho de 2010 19:45  
Anonymous Anônimo said...

Do disco do Dori,apenas o Mauro e outros pouquíssimos deram algum destaque.Lamentável essa nação!

30 de junho de 2010 20:30  
Anonymous Marcelo Brasilia DF said...

Para um país dominado por cantoras, essa lista de 2010 é uma novidade. Uma pena que a distribuição de alguns discos esteja tão ruim, o do Dori Caymmi só consegui comprar no show aqui em Brasília, e é realmente muito bom. Quero muito o do Emílio, vou ter que aguardar,tomara que saia logo.

30 de junho de 2010 21:04  
Blogger Gilmar said...

vc nao vai falar nd sobre o novo do Scissor Sisters?

30 de junho de 2010 21:35  
Blogger André Luís said...

Já tenho os novos CDs do Rodrigo e do Gil, e são realmente maravilhosos!

30 de junho de 2010 23:53  
Anonymous Fábio Passadisco said...

O novo Cd de Emílio será lançado em breve pela Universal... Ainda esse mês.

1 de julho de 2010 15:07  
Anonymous Cláudio said...

Mauro,

Eu sou aquele primeiro anônimo (das 12:54 do dia 30 de junho). Você não teria como sugerir ao pessoal de Emílio para fazer a comercialização do CD através de algum site? O de Lia Sabugosa que você fez uma resenha aqui eu so consegui diretamente no site dela pois não vende em lojas.
Moro em Recife e não tenho como conseguir o disco em shows.
Espero que esta sugestão chegue ao pessoal de Emílio pois, assim como eu, tem muita gente pelo Brasil afora querendo este CD.

1 de julho de 2010 15:11  
Anonymous Anônimo said...

O CD do Emílio já está em pré-venda na livraria cultura.

6 de julho de 2010 20:14  

Postar um comentário

<< Home