6 de junho de 2010

João pretende gravar DVD em templo no Japão

João Gilberto tem planos de gravar DVD em templo de Kyoto, no Japão. A revelação foi feita pelo próprio cantor - visto no post em foto de Beti Niemeyer - à repórter Sofia Cerqueira, da revista Veja Rio. O suplemento carioca da revista Veja publica na histórica edição deste fim-de-semana um resumo das conversas telefônicas mantidas pela jornalista com João ao longo dos últimos seis meses. Além de anunciar a intenção de gravar o DVD em Kyoto ("É coisa especial, espetacular"), o recluso artista voltou a criticar as gravadoras, revelando que a PolyGram (atual Universal Music) mexeu na gravação do álbum João (1991) - "O disco saiu do jeito que não é" - e reiterando seu descontentamento com a coletânea O Mito (1988), motivo da pendenga com a EMI Music que ainda se arrasta na Justiça e impede as reedições em CDs dos álbuns Chega de Saudade (1959), O Amor, O Sorriso e a Flor (1960) e João Gilberto (1961): "A EMI lançou uma caixa especial com os (três) discos arbitrariamente invadidos, mexidos. Ficou horrível, desagradável. A gravadora esculhambou, adulterou, tirou o harmônico, a coisa que talvez comunique, que passe o físico, o metafísico. É como mudar a cor de uma obra, o texto de um livro. Protestei, teve uma liminar e eles foram recolhidos. Foi feito um laudo nos Estados Unidos que prova as mudanças. A história está na Justiça e os originais continuam fora do mercado. Por não concordar com a EMI, há trinta anos estou sem contrato e sem receber os direitos autorais por esses discos, que antes da adulteração eram vendidos", lamentou João ao telefone com Sofia.

11 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

João Gilberto tem planos de gravar DVD em templo de Kyoto, no Japão. A revelação foi feita pelo próprio cantor - visto no post em foto de Beti Niemeyer - à repórter Sofia Cerqueira, da revista Veja Rio. O suplemento carioca da revista Veja publica na histórica edição deste fim-de-semana um resumo das conversas telefônicas mantidas pela jornalista com João ao longo dos últimos seis meses. Além de anunciar a intenção de gravar o DVD em Kyoto ("É coisa especial, espetacular"), o recluso artista voltou a criticar as gravadoras, revelando que a PolyGram (atual Universal Music) mexeu na gravação do álbum João (1991) - "O disco saiu do jeito que não é" - e reiterando seu descontentamento com a coletânea O Mito (1988), motivo da pendenga com a EMI Music que ainda se arrasta na Justiça e impede as reedições em CDs dos álbuns Chega de Saudade (1959), O Amor, O Sorriso e a Flor (1960) e João Gilberto (1961): "A EMI lançou uma caixa especial com os discos arbitrariamente invadidos, mexidos. Ficou horrível, desagradável. A gravadora esculhambou, adulterou, tirou o harmônico, a coisa que talvez comunique, que passe o físico, o metafísico. É como mudar a cor de uma obra, o texto de um livro. Protestei, teve uma liminar e eles foram recolhidos. Foi feito um laudo nos Estados Unidos que prova as mudanças. A história está na Justiça e os originais continuam fora do mercado. Por não concordar com a EMI, há trinta anos estou sem contrato e sem receber os direitos autorais por esses discos, que antes da adulteração eram vendidos", lamentou João ao telefone com Sofia.

6 de junho de 2010 10:40  
Anonymous Anônimo said...

As gravadoras são abusadas mesmo. Dá-lhe João. Chame nossas deusas Bethânia e Gal pro seu DVD. Ia dar um toque feminino e maravilhoso ao seu trabalho que já é genial!!!!

6 de junho de 2010 10:42  
Anonymous Hugo said...

me espanta saber que nem João é respeitado pelas gravadoras. Se fazem isso com ele, imagina com os outros

6 de junho de 2010 18:54  
Anonymous Marcelo said...

Acredito que ainda não se tenha o real valor do legado de João Gilberto para a música do mundo. Vamos esperar que as próximas gerações possam absorver da forma correta a genialidade desse músico e colocá-lo em seu devido lugar. Independentemente do que sua vida particular nos abasteça, sua descoberta e seu legado são muito maiores do que isso e poder aproveitar essas maravilhas que ele propõe é ímpar. Salve João !!!

7 de junho de 2010 09:49  
Anonymous Anônimo said...

AUGUSTO FLÁVIO:

ESSE SIM, É GÊNIO. NÃO PRECISA DIZER MAIS NADA.

7 de junho de 2010 10:52  
Anonymous Anônimo said...

eu acho ele um chatooooooooooooooooooooooo

7 de junho de 2010 18:52  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade disse..

Mas eu tenho mesmo é saudade de Tom Jobim e de Vinicius. A dupla do barulho. Jonh Alf já faz falta. O que será da MPB daqui pra frete?

7 de junho de 2010 22:55  
Anonymous Anônimo said...

Ele é chato mesmo. Mas é um chato que acrescenta. Melhor que não feder nem cheirar. E há tantas flores de plástico no mercado...

LITO.

8 de junho de 2010 13:13  
Anonymous Anônimo said...

Efetivamente a masterização do álbum de 1991 do João deixa a desejar,sob enes’ aspectos: erros crassos tais como o abafamento vocal injustificável em detrimento a um realce estridente das cordas,equivoco na sobreposição destas.Aliás, como 'joao-gilbertiana' sôfrega detalhista,me causa arrepios pensar em quando finalmente poderei ouvir sua mais significativa e determinante obra,leia-se ‘Chega de Saudade’ numa enfim qualidade digital que faça jus as concepções estéticas do material. Idem, me estendo e o digo da sua obra de modo geral.Ainda bem que posso levantar as mãos para o céu e agradecer o SACD do celestial, essencial Getz-Gilberto - pedra de toque deste segmento,este por hora o modo talvez mais próximo de se atingir com fidelidade o rigor e beleza quase intangíveis de suas leituras.
Tomara que as evoluções do gênero reservem grandes surpresas,ou também e além do digital, a prática do vinil que vem regressando aos poucos - voltemos então regozijados ao vinil,imbatível no aspecto fidelidade, e se reproduza em STEREO novíssimas bolachas do Mono ‘cinquentista’ Chega de Saudade, já com todo potencial e recursos do nosso século,como se fez com o absoluto Kind Of Blue do Miles,ou a Speakers Corner vem fazendo com tantas obras magníficas incluindo o próprio Getz-Gilberto,e como nem tudo pode ser perfeito (talvez o João desminta isto rs)pena que todos estes caros,importados...

'Cassiopeia'

8 de junho de 2010 18:22  
Anonymous João Cláudio said...

Pois eu queria ver um duetos do João. Já pensou em presenciarmos João e Milton, João e Roberto, João e Bethânia, João e Rita?

Quem sabe né?

Abraços!

9 de junho de 2010 11:37  
Anonymous Anônimo said...

João Cláudio,

João com Bethânia e com Rita foram encontros já aconteceram e existem disponíveis na discografia dos artistas. O de Rita há inclusive um vídeo no youtube.

João é mala, mas acrescenta.

E, vamos combinar, Sofia Cerqueira, que já fez um perfil sobre o Roberto Carlos para a revista de Domingo, ouvindo as pessoas no entorno, é fera. Parabéns para ela e para a equipe que lhe deu apoio.

Uma matéria na Vejinha com repercussão internacional.

Carioca da Piedade

10 de junho de 2010 14:52  

Postar um comentário

<< Home