3 de abril de 2010

Sertanejos capturam emoções populares do 'Rei'

Enquanto a Sony Music se prepara para lançar (em CD e DVD) o registro ao vivo do show Emoções Sertanejas, gravado em 17 de março de 2010 no Ginásio Ibirapuera (SP), o público teve a oportunidade de assistir à transmissão (editada) veiculada pela TV Globo na noite de quinta-feira, 1º de abril. No geral, os sertanejos captaram as emoções populares da música de Roberto Carlos, anfitrião do espetáculo. As emoções ora foram ralas, ora intensas (sobretudo na justa homenagem a Tinoco, pioneiro do gênero ao formar dupla com o irmão Tonico, falecido em agosto de 1994). Eis as avaliações da performance de cada artista - feitas a partir da transmissão da Globo (que - deselegante - condensou os números de Martinha, de Nalva Aguiar e da dupla Milionário & José Rico!!):

* Almir Sater - O violeiro não pareceu totalmente à vontade ao cantar O Quintal do Vizinho, música de 1975, esquecida pelo Rei.
* Bruno & Marrone - A dupla teve um dos piores desempenhos do elenco. Bruno parecia sorrir ao cantar os versos magoados de Desabafo, o tema de 1979 que ganhou interpretação irretocável de Fafá de Belém no show Elas Cantam Roberto (2009). Esqueça!!
* Cesar Menotti & Fabiano - Com vozes volumosas, os cantores reviveram sem sensualidade a (bela) canção Proposta, de 1973.
* Chitãozinho & Xororó - O tom lacrimoso da dupla se ajustou à balada Eu Preciso de Você, de 1981. Com Leonardo, Chitãozinho & Xororó soaram burocráticos em É Preciso Saber Viver (1974).
* Daniel - Ao cantar a balada Do Fundo do meu Coração (1986), com certa empostação, Daniel reafirmou o poder de sua voz, das mais fortes do gênero. Mas não acertou o exato tom roqueiro de Quando (1967), o tema dividido com Zezé Di Camargo & Luciano.
* Dominguinhos & Paula Fernandes - A inusitada dupla fez o melhor número do show, transitando com segurança e beleza pela letra quilométrica de Caminhoneiro (1984), primeira incursão de Roberto Carlos pelo universo sertanejo. Munido de sanfona, Dominguinhos sublinhou o tom interiorano do tema e cantou com a autoridade de quem conhece todas as rotas do Brasil. Já Paula se revelou intérprete segura, de belo timbre, pronta para seguir firme pela estrada sertaneja. Tem futuro!!!
* Elba Ramalho - Estranha no ninho sertanejo, provavelmente escalada por ter sido esquecida no show anterior Elas Cantam Roberto, a intérprete valorizou Esqueça com seu canto torto. Uma sanfona aproximou a canção, de 1966, do mundo ruralista.
* Gian & Giovani - A dupla se escorou na força de Eu te Amo, te Amo, te Amo (1968), obra-prima do Rei, de refrão bem sedutor.
* Leonardo - O tom choroso do cantor se adequou à melancolia de Por Amor, (boa) canção de 1972 esquecida por Roberto Carlos, mas Leonardo estava muito inseguro com a letra, lida em cena.
* Martinha - Cantora da turma da Jovem Guarda que migrou para o universo sertanejo a partir da década de 70, Martinha defendeu com sua voz rouca um das últimas belas canções da obra romântica de Roberto, Alô, lançada em 1994. Boa sacada!...
* Milionário & José Rico - A dupla reviveu A Distância, grande balada de 1972, regravada (recentemente) por Ney Matogrosso.
* Nalva Aguiar - A cantora de Beijinho Doce foi prejudicada pela escolha infeliz de repertório. As Curvas da Estrada de Santos (1969) é uma das obras-primas do cancioneiro da dupla Roberto Carlos & Erasmo Carlos, mas, a julgar pelo pouco que foi exibido pela TV Globo, Nalva derrapou ao cantar o tema de pegada soul.
* Rionegro & Solimões - A dupla pôs emoções ralas em Sentado à Beira do Caminho, belo clássico do repertório de Erasmo Carlos.
* Roberta Miranda - Fiel ao seu estilo, a cantora defendeu bem a tristonha Eu Disse Adeus, música lançada por Roberto em compacto de 1969. Porém, sua intepretação não teve densidade.
* Sérgio Reis - Com dignidade e a autoridade de quem transita por caminhos sertanejos desde a década de 70, o cantor entoou Todas as Manhãs (1991), boa incursão do Rei no mundo caipira.
* Victor & Leo - A dupla da vez canta bem, mas não conseguiu convencer nenhum cristão com a interpretação de Jesus Cristo, hino gospel lançado por Roberto em 1970. Faltou fé na música!?
* Zezé Di Camargo & Luciano - A dupla se mostrou em forma (apesar de a voz de Zezé não ser mais a mesma) ao reabrir O Portão, balada de 1974. As emoções do Rei ficaram sertanejas...

21 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Enquanto a Sony Music se prepara para lançar (em CD e DVD) o registro ao vivo do show Emoções Sertanejas, gravado em 17 de março de 2010 no Ginásio Ibirapuera (SP), o público teve a oportunidade de assistir à transmissão (editada) veiculada pela TV Globo na noite de quinta-feira, 1º de abril. No geral, os sertanejos captaram as emoções populares da música de Roberto Carlos, anfitrião do espetáculo. As emoções ora foram ralas, ora intensas (sobretudo na justa homenagem a Tinoco, pioneiro do gênero ao formar dupla com o irmão Tonico, falecido em agosto de 1994). Eis as avaliações da performance de cada artista - feitas a partir da transmissão da Globo (que, deselegante, condensou os números de Martinha, de Nalva Aguiar e da dupla Milionário & José Rico):

* Almir Sater - O violeiro não pareceu totalmente à vontade ao cantar O Quintal do Vizinho, música de 1975, esquecida pelo Rei.
* Bruno & Marrone - A dupla teve um dos piores desempenhos do elenco. Bruno parecia sorrir ao cantar os versos magoados de Desabafo, o tema de 1979 que ganhou interpretação irretocável de Fafá de Belém no show Elas Cantam Roberto (2009). Esqueça!!
* Cesar Menotti & Fabiano - Com vozes volumosas, os cantores reviveram sem sensualidade a (bela) canção Proposta, de 1973.
* Chitãozinho & Xororó - O tom lacrimoso da dupla se ajustou à balada Eu Preciso de Você, de 1981. Com Leonardo, Chitãozinho & Xororó soaram burocráticos em É Preciso Saber Viver (1974).
* Daniel - Ao cantar a balada Do Fundo do meu Coração (1986), o cantor reafirmou o poder de sua voz, uma das mais potentes do universo sertanejo. Mas não acertou o exato tom roqueiro de Quando (1967), o tema dividido com Zezé Di Camargo & Luciano.
* Dominguinhos & Paula Fernandes - A inusitada dupla fez o melhor número do show, transitando com segurança e beleza pela letra quilométrica de Caminhoneiro (1984), primeira incursão de Roberto Carlos pelo universo sertanejo. Munido de sanfona, Dominguinhos sublinhou o tom interiorano do tema e cantou com a autoridade de quem conhece todas as rotas do Brasil. Já Paula se revelou intérprete segura, de belo timbre, pronta para seguir firme pela estrada sertaneja. Tem futuro!!!

3 de abril de 2010 13:46  
Blogger Mauro Ferreira said...

* Elba Ramalho - Estranha no ninho sertanejo, provavelmente escalada por ter sido esquecida no show anterior Elas Cantam Roberto, a intérprete valorizou Esqueça com seu canto torto. Uma sanfona aproximou a canção, de 1966, do mundo ruralista.
* Gian & Giovani - A dupla se escorou na força de Eu te Amo, te Amo, te Amo (1968), obra-prima do Rei, de refrão bem sedutor.
* Leonardo - O tom choroso do cantor se adequou à melancolia de Por Amor, (boa) canção de 1972 esquecida por Roberto Carlos.
* Martinha - Cantora da turma da Jovem Guarda que migrou para o universo sertanejo a partir da década de 70, Martinha defendeu com sua voz rouca um das últimas belas canções da obra romântica de Roberto, Alô, lançada em 1994. Boa sacada!...
* Milionário & José Rico - A dupla reviveu A Distância, grande balada de 1972, regravada (recentemente) por Ney Matogrosso.
* Nalva Aguiar - A cantora de Beijinho Doce foi prejudicada pela escolha infeliz de repertório. As Curvas da Estrada de Santos (1969) é uma das obras-primas do cancioneiro da dupla Roberto Carlos & Erasmo Carlos, mas, a julgar pelo pouco que foi exibido pela TV Globo, Nalva derrapou ao cantar o tema de pegada soul.
* Rionegro & Solimões - A dupla pôs emoções ralas em Sentado à Beira do Caminho, belo clássico do repertório de Erasmo Carlos.
* Roberta Miranda - Fiel ao seu estilo, a cantora defendeu bem a tristonha Eu Disse Adeus, música lançada por Roberto em compacto de 1969. Porém, sua intepretação não teve densidade.
* Sérgio Reis - Com dignidade e a autoridade de quem transita por caminhos sertanejos desde a década de 70, o cantor entoou Todas as Manhãs (1991), boa incursão do Rei no mundo caipira.
* Victor & Leo - A dupla da vez canta bem, mas não conseguiu converter nenhum cristão com a interpretação de Jesus Cristo, hino gospel lançado por Roberto em 1970. Faltou fé na música!?
* Zezé Di Camargo & Luciano - A dupla se mostrou em forma (apesar de a voz de Zezé não ser mais a mesma) ao reabrir O Portão, balada de 1974. As emoções do Rei ficaram sertanejas...

3 de abril de 2010 13:46  
Blogger Santana Filho said...

Mauro, concordo com sua avaliação.

Gostei especialmente de Elba - e Esqueça - e me surpreendi com Martinha e a tal ALÔ. Esta se revelou uma daquelas canções que a gente não-sabia-que-sabia mas acaba cantarolando inteira.

No frigir dos ovos foi um bom programa.

E, ok, talvez pela primeira vez botei reparo na voz do Daniel q é realmente 'papo-firme'.

3 de abril de 2010 14:09  
Anonymous Diogo ! said...

Roberto Carlos é popular, do interior e fez bem em não ficar preso aos beijinhos,barquinhos,cantinhos,banquinhos e peixinhos daquela música (de raiz) do Leblon, Ipanema e Copacabana.Já gravou guarânias ( " Arrasta uma Cadeira " , " India " )e fez com nomes comos Chitãozinho & Xororó e Fafá de Belém. Por tudo isso achei sincera a homenagem.


Assisti na quinta a noite o especial e ontem recorri ao You Tube pra rever os números.

Superou aquele bombom envenenado do ELAS CANTAM ROBERTO ...

3 de abril de 2010 16:10  
Anonymous Diogo ! said...

Victor & Leo,escorados em ambiência progressiva,se sairam bem em " Jesus Cristo ".Quem assistiu garante que foram os mais ovacionados - na entrada e na sáida - e com justica!

Como era de se esperar, Elba Ramalho ( pungente em " Esqueça " )e o timido Almir Satter ( na bela " O Quintal do Vizinho " , lado B do Rei )mandaram bem! Já Sérgio Reis se mostrou preguiçoso ao cantar uma música que já faz - há anos - parte de seu repertório.Com sua voz pequena e (já) cansada,Sergio fez numero esquecivel ...


Milionário e José Rico deram toque pessoal em " A Distância " com interpretações e divisões tipicas da (lendária) dupla. Sempre seguros,Gian & Giovani empolgaram em " Eu te amo,te amo,te amo ".E não foi só por conta do refrão bem sedutor!

A voz de Zezé realmente voltou a soar com mais vida em " O Portão " embora sem o viço e os agudos de antes. Já o encontro com um Daniel de canto (sempre) empostado não funcionou.

Martinha,compositora com músicas gravadas por Chitãozinho & Xororó e Leonardo,surpreendeu duas vezes: |Com a voz a cada ano mais aspera e pela escolha de uma música recente. Aliás, a mais recente do roteiro!


Mas nada surpreendeu mais que Paula Fernandes e Dominguinhos em " Caminhoneiro ".A dupla deu um " banho de loja " na subestimada canção. E como Paula está cantando bem !


Enfim,valeu!
Viva a música sertaneja
Viva o Rei!
Um abraço a todos !

Diogo Santos
PS: E o especial com os roqueiros Mauro ? Foi mesmo abortado ?
PS2: Senti falta de Amado Batista e Jair Rodrigues.

3 de abril de 2010 16:29  
Anonymous Diogo ! said...

Mauro,sei que não costuma responder perguntas,mas se me permite: Preferiu não resenhar ? Cadê a cotação do especial ?

Fiquei decepcionado agora ....


Um abração
Diogo Santos

3 de abril de 2010 17:12  
Anonymous Anônimo said...

FORAM MAIS CORAJOSOS QUE AS 21 DIVAS POIS SACARAM 5 CANÇÕES ESQUECIDAS POR ROBERTO CARLOS. SÃO ELAS,O QUINTAL DO VIZINHO,EU DISSE ADEUS,POR AMOR,EU PRECISO DE VOCÊ E ALÔ

MAS REPETIRAM NUMEROS QUE ELAS JÁ TINHAM REGISTRADOS.SAO ELAS,DESABAFO,PROPOSTA,DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO,ESQUEÇA E AS CURVAS DA ESTRADA DE SANTOS.

MESMO ASSIM EU GOSTEI!

3 de abril de 2010 17:17  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, a senhora Elba Maria Nunes Ramalho nasceu em Conceição da Paraiba em 1951.Ou seja,no sertão da Paraiba.Ou seja,sertaneja.

3 de abril de 2010 17:20  
Anonymous Anônimo said...

Enquanto a Sony Music se prepara para lançar em CD e DVD os fabricantes dos piratas farão a festa!!!!

3 de abril de 2010 17:29  
Anonymous Anônimo said...

ESTIVE NO SHOW E POSSO AFIRMAR QUE A EDIÇÃO DA REDE GLOBO FO UMA TRAGEDIA, AS CAMERAS FORAS DE FOCO, NEM CONSEGUIU PEGAR O MOMENTO DE CADA ARTISTA DURANTE O ULTIMO NUMERO, QUANTO A RAINHA DA MÚSCA SERTANEJA NALVA AGUIAR, A ESCOLHA DEVE-SE AO FATO DE ROBERTO CARLOS TER ESCRITO ESSA MÚSICA PARA A MOÇA QUANDO AINDA ERAM NAMORADOS, ASSIM COMO A CANÇÃO " EU TE DAREI O CÉU" NALVA FOI PERFEITA, FEZ VERSÃO DE ELIS REGINA DE 1971. FOI NA OPINIÃO DE XORORÓ O MELHOR NUMERO, AO SAIR DO PALCO A CANTORA OUVIU EM ALTO E BOM SOM QUE QUANDO ELA ABRE A BOCA TODOS TEM QUE SE CALAR PORQUE ELA DÁ AULA DE CANTO A TODOS QUE ESTAVAM ALI.

3 de abril de 2010 17:39  
Anonymous Plena said...

Deixa eu entender " mas não conseguiu converter nenhum cristão ". Se já é cristão vai se converter a quê ouvindo " Jesus Cristo " com Victor & Leo ? Não seria o caso de escrever " não conseguiu converter ninguém A ser cristão " ou " não conseguiu convencer nenhum cristão " ?

3 de abril de 2010 17:43  
Anonymous Anônimo said...

Eu não gosto desse sertanejo cafona. Gosto do caipira do campo. Comecei a ver e parei. Respeito, mas não vejo e não compro. Mas vai vender muito, pois o povão adora essas coisas. Se o Elas Cantam Roberto vendeu mais de 50 mil. Esse outro vai vender mais de 100 mil. Abraços!

3 de abril de 2010 18:10  
Blogger donraton1 said...

é um fato que Paula tenha cantado bem, além disso todos nós sabemos que a Globo não iria colocar qualquer porcaria pra cantar com o Domimguinhos. Porém o comentario do Mauro ao dizer que ela tem futuro poderia avaliar melhor os trabalhos ja lancados pela cantora, inclusive fui anunciado aqui no site o mais recente disco dela mas infelizmente o Mauro nao deu sua fomosa nota musical para o trabalho de Paula. Gostaria muito de ver qual seria sua análise Mauro admiro muito o seu trabalho e imagino que vc tenha deixado passar este trabalho por conta da grande quantidade de posts que vc coloca aqui no blog valeu ate mais.

p.s.: ainda espero uma analise do cd passaro de fogo até

3 de abril de 2010 19:26  
Anonymous Anônimo said...

TODAS AS MANHÃS NÃO ERA UMA TEMA SERTANEJO LÁ EM 1991!

3 de abril de 2010 22:00  
Anonymous Anônimo said...

Nalva e Roberto eram namorados ?

4 de abril de 2010 00:02  
Anonymous Anônimo said...

Antes de dedicar um album em homenagem aos 50 anos da bossa nova em 2008, o Rei gravou um belo album sertanejo que passou batido.Foi em 2005 e tinha Chitãozinho & Xororó e Dominguinhos!!

4 de abril de 2010 00:02  
Anonymous Anônimo said...

Quilometrica ou subestimada Caminhoneiro é uma versão Gentle On My Mind,do outro rei,Elvis Presley

4 de abril de 2010 00:19  
Anonymous Anônimo said...

" Se o Elas Cantam Roberto vendeu mais de 50 mil. Esse outro vai vender mais de 100 mil. "

Elas cantam Roberto já vendeu 400 mil cópias !

4 de abril de 2010 19:18  
Blogger MARCELO E CAMILA said...

Nalvinha foi sim namorada de Roberto Carlos por dois periodos na verdade, sendo o primeiro iniciado em Uberlandia que rendeu a canção " eu te darei o céu" e depois com Nalva aguiar já fazendo sucesso no país todo, e porque não dizer no mundo, desta vez o rei a homenageou com " As curvas da estrada de Santos"

5 de abril de 2010 12:32  
Anonymous Anônimo said...

COMO UMA MÚSICA CANTADA SOB A VISÃO MASCULINA PODE TER TANTA VERSÃO FEMININA? POIS ANTES DE ELBA,WANDERLEIA,DANIELA MERCURY(SOLO E EM DUPLA)E MARISA MONTE JÁ GRAVARAM.

5 de abril de 2010 17:48  
Anonymous Anônimo said...

Foi excelente o show.A Rainha Roberta Miranda embalou "Eu disse Adeus" de uma forma forma simplesmente sensacional...(como disse o Rei Roberto, na gravação de 1996- De tanto Amor,num belo e inesquecivel dueto do Rei e da Rainha da Música brasileira). Tanto sucesso que no you tube, Roberta Miranda cantando "Eu disse Adeus", está bombando e passando todas as outras divas da MPB. PARABÉNS A TODOS! GRANDE ENCONTRO!

10 de julho de 2010 00:36  

Postar um comentário

<< Home