29 de março de 2010

Álbum de Simone, 'Amor e Paixão' é relançado

No embalo das reedições de Amar (1981), Corpo e Alma (1982) e Cristal (1985), todas incluídas na série Caçadores de Música, a gravadora Sony Music repôs em catálogo um quarto álbum gravado por Simone nos anos 80. Amor e Paixão, lançado em 1986, já voltou às lojas neste mês de março de 2010. Bastante fiel à fórmula de sucesso seguida pela cantora naquela década, o CD emplacou hits radiofônicos como Em Flor (versão em português de Too Young, bela canção propagada na voz de Nat King Cole) e Amor Explícito (balada de Nico Rezende com Paulinho Lima e Antonio Cícero, gravada com os vocais do grupo Roupa Nova). A reedição traz no encarte texto assinado pelo jornalista Rodrigo Faour em que o produtor Mazzola lembra a aventura de juntar Simone com dezenas de ritmistas e puxadores de escolas de samba do Rio de Janeiro para gravar o samba-enredo Rei por um Dia, que fechou este álbum que destacou as regravações de Esquinas (Djavan) e Mania de Você (Rita Lee e Roberto Carvalho) - esta feita num clima meio etéreo pontuado pelo sax de Paul Lieberman e a guitarra de Natan Marques. Ainda de acordo com o texto de Faour, Amor e Paixão teria vendido 900 mil cópias na época.

29 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Oba! A interpretação de Simone para Esquinas, desse CD é uma das melhores dela: bem dosada e super sofisticada. Acho Em Flor de uma delicadeza ímpar.

29 de março de 2010 11:25  
Anonymous Anônimo said...

Diga-se de passagem: fórmula de sucesso seguida por ela e pela grande maioria da MPB naquela época. Sejamos justos.

29 de março de 2010 11:25  
Anonymous Léo said...

Esse CD já chegou às lojas desde a semana passada (ao menos na Livraria da Travessa, no RJ).

29 de março de 2010 11:25  
Anonymous João said...

Pobre Nat King Cole, essa canção deve ser uma tradução pra lá de equivocada.

29 de março de 2010 11:30  
Anonymous Igor said...

Esse disco é bem fraco, mas é melhor que o Cristal.

29 de março de 2010 11:39  
Anonymous Marcelo said...

Mas é Simone e simone é sempre Simone (a grande estrela da MPB)

29 de março de 2010 12:29  
Anonymous Anônimo said...

Apesar do repertório irregular, este disco da Cigarra tem gravações ímpares para Esquinas e Mania de Você. A canção Amor Explícito que tem na sua autoria até Antônio Cícero é muito ruim, apesar do sucesso que fez. Vale observar que Simone gravou este álbum com a voz bem anasalada por conta de uma gripe e que foi lançado para pegar carona no sucesso da super temporada no Scala. É sim, bem melhor do que o Cristal. Para os fãs, como eu, é um título indispensável na coleção. Eu quero.

29 de março de 2010 14:18  
Anonymous Anônimo said...

Além de Esquinas, tem uma interpretação bacana de Mania de Você, da Rita Lee (com a voz de Simone auxiliada somente por uma guitarra, se não me engano). O álbum não é tão ruim assim (para o padrão anos 80, que, como bem disse o anônimo 11:25, justiça seja feita, era seguido pela grande maioria das cantaros, vide todo o debate em torno dos discos da Gal Costa, há poucos dias aqui no blog), mas a Cigarra deve morrer de vergonha de ter gravado Amor Explícito (só um fã pra lá de ardoroso pode encontrar uma razão para ela ter essa baba em seu repertório). Mas, em minha avaliação, o grande equívoco de Simone foi não ter lançado, no lugar de Amor e Paixão (aliás, bela canção de Milton), um ao vivo do show do qual sairam as belíssimas versões para Esquinas e Mania de Você - e que ainda incluia Emoções, Coração de Estudante e até Como nossos Pais, lembro pois assisti esse espetáculo. Lembro que o próprio Djavan apresentou o comentário do clip do Fantástico com a Cigarra cantando sua canção ao vivo...

29 de março de 2010 14:54  
Anonymous Anônimo said...

Acho que o Anônimo das 14:54 está equivocado. No show do Scala não havia Coração de Estudante, Como Nossos Pais e Emoções.
Mas valia a pena o ao vivo sim, a Cigara fazia um número ótimo com Olhar 43 e Exagerado e tinha outras músicas ótimas no repertório.

29 de março de 2010 16:35  
Blogger Claudio Almeida said...

Esse disco é bacana. Destaco a música "Raras maneiras", do Tunai. Nesse disco ela regravou, pela segunda vez, a música "Iolanda", que já havia gravado em 1984, com a participação do Chico Buarque. Tirando o samba que fecha o disco, o restante é bam legal. Quanto a fórmula, era o que havia nos anos 80. Simone, Gal, Bethânia, Joanna, Fafá...as produções eram bem parecidas, sobretudo na segunda metade da década de 80.

29 de março de 2010 16:43  
Anonymous Anônimo said...

As interpretações de Simone para Esquinas e Mania de Você são completamente equivocadas, tirou a força e a beleza das canções. Os arranjos também não ajudaram. Esquinas é mil vezes melhor com Djavan e Mania de Você nem precisa dizer com quem né..??!! Eu , particularmente, não gosto das regravações da Simone. Codinome Beija Flor e Coração Ateu são outros exemplos de péssimas regravações.

29 de março de 2010 17:44  
Anonymous Anônimo said...

tiragem de 1000,texto descolorido sem simone falando, selo que nao reproduz o original, sem remasterizaçao.. relançar pra que??? um disco menor. disco pigmeu da carreira de simone.

29 de março de 2010 19:36  
Anonymous Anônimo said...

Mano Freire

Concordo com o Cláudio.
Mas acho que esse ano, foi a fase ridícula da MPB.Época dos teclados de churrascaria e centro das capitais.
Nesse disco o que me chamou mesmo a atenção e ouço quando pego no cd, é a canção do sempre maravilhoso Milton Nascimento, Amor e Paixão.
Prefiro a Iolanda aqui. É muito melhor, a outra dá sono. Esquina é uma bela canção, mas nem Djavan e nem Simone mandan ver como deviam.
O resto é comercial demais.
Até a foto da capa e o cabelo da musa ficaram a desejar.
Graças que Simone tá saindo dessa frase negra.

29 de março de 2010 22:00  
Anonymous Anônimo said...

Que isso? Como a interpretação de Esquinas pode estar equivocada? Como a versão de Simone para Coração Ateu pode ser péssima? Ah, sinto muito! Não concordo de jeito nenhum.

29 de março de 2010 22:11  
Blogger Pedro e Progresso said...

a capa já entrega, não é?

30 de março de 2010 00:36  
Anonymous Anônimo said...

Também não vejo nada de equivocado em Esquinas e Mania de Você. Ao contrário, Mania de Você ganhou uma regravação muito digna e é um dos poucos momentos brilhantes deste trabalho de Simone.
A capa também não é das piores. No disco seguinte, este sim um trabalho irrelevante de Simone, tem uma capa que parece anúncio de sauna.

30 de março de 2010 10:05  
Anonymous Beatriz said...

acho que o anônimo de 10.05 se refere à capa do Sedução, o disco seguinte ao Amor e Paixão foi o Vício

30 de março de 2010 10:21  
Anonymous Anônimo said...

É verdade. De fato as capas de Sedução e o disco seguinte que não tem título, é o disco que tem "Nova Mulher" no meio de lençóis. Ambas horríveis.
Obrigado Beatriz.

Anônimo: 30 de março de 2010 10:05

30 de março de 2010 11:16  
Anonymous Anônimo said...

tenho quase certeza que esse disco não vendeu 900 mil cópias, afinal, não tem nenhum sucesso arrasa quarterão, que justifique uma vendagem tão expressiva, mesmo para os padrões dos anos 90.

30 de março de 2010 17:19  
Anonymous Anônimo said...

O que me importa aí é a voz! Que voz privilegiada...Esquinas comprova isso,Amor e Paixão do Milton é linda e foi regravada por Sarah Vaughan, e a versão de Bastos para Too Young está sim bonita, foi ela que fez o album vender tanto.

30 de março de 2010 18:19  
Blogger Schwindt, Luiz Carlos said...

Este álbum tem uma versão em espanhol gravada para o mercado argentino que nunca foi lançada em CD. Seria uma ótima oportunidade para lançá-la. Nem todas as canções estão em espanhol, mas são as únicas gravações de 'Alma' e 'En Flor' nesse idioma. Trata-se do único disco de Simone ainda inédito no Brasil e em CD.

30 de março de 2010 18:42  
Anonymous André Oliveira said...

Eu não concordo com as opiniões postados. Eu penso que "Amor e Paixão" é um grande álbum. Comprei o LP na década de 1980 e escutei muito e sempre me emocionou. Acredito que as críticas a produção musical brasileira feitas por parte dos leitores deste blog são muito severas. Fico imaginando se você fossem falar da política brasileira.

30 de março de 2010 20:49  
Anonymous Anônimo said...

Mencionaram tantas canções de Amor e Paixão, mas se esqueceram de uma que para mim é fundamental: BÁLSAMO, de Sueli e Abel. É uma das mais inspiradas da dupla. E a interpretação de Simone é tocante.

30 de março de 2010 21:04  
Anonymous Anônimo said...

pena nem ter sido referido no encarte a ediçao argentina desse álbum que traz Alma , Yolanda, En Flor( em espanhol) e regravaçoes de Contigo Aprendi e Alfonsina y el Mar. até podiam ter entrado de bonus apesar que eu prefiro a reediçao do original. o selo tb é nada a ver com o do Lp nem do cd.pouco capricho.

30 de março de 2010 21:17  
Anonymous Anônimo said...

Outro trabalho caça-níquel da cantora.Atirava pra todo lado.Foi a musa daquele som pasteurizado da época que rendeu dinheiro,mas nenhum prestígio.Nada aprendeu com
Elis,Bethania,Nana,Leny.Tem até um timbre bonito,mas continua à deriva
Salvo alguns raros momentos.
Sofrível!!!

30 de março de 2010 22:27  
Anonymous Anônimo said...

Acho este disco até Ok, mas a gravação de "Mania de você" simplesmente estragou a música. A gravação de Rita Lee é absolutamente insuperável, o que não impede de outros intérpretes tentarem (e não conseguirem) se aproximar, mas o arranjo e a interpretação de Simone são chatos, monótonos, feios. Quando escuto esse disco, me dá vontade de pular essa faixa e colocar correndo a gravação da Rita, de 79.

31 de março de 2010 01:35  
Blogger nick said...

Acho em Simone impressionante como ela passeia `a vontade e competentíssima entre o cult e popular, samba e boleros, músicas densas e populares.Simone causa espanto e discordância porque canta tudo .Quanto a estética de arranjos e produção os anos 80 foram isso como agora ela passeia altiva no que há de melhor em seu último cd de 2009.Se outras n apareciam como ela que era a cantora da época se pouparam por falta de interesse, já Gal,Zizi e outras fizeram a mesma coisa o q n repercute em nada , poia as mesmas são e serão as grandes divas da mpb, simples fato, tem talento natural e VOZ.Cantora naquela época tinha que cantar e como cantam!

2 de abril de 2010 06:46  
Anonymous Anônimo said...

Acabei de RE ouvir esse disco.. Nossa, como é ruim!!!!

3 de abril de 2010 00:09  
Anonymous Anônimo said...

Que eu me lembre esse disco contém 2 grandes sucessos da carreira de Simone, a música - Amor explícito e a música - Em flor.
Acho engraçado ficarem cobrando da Simone discos perfeitos e estilo cult, quando na verdade quem elegeu seus sucessos foi o povo, e não os críticos de música brasileira em sua grande maioria arrogantes e maliciosos. O povo é que a consagrou como uma das maiores cantoras do Brasil, e Simone é perspicaz e sabe direitinho quem da valor ao seu trabalho! por isso sempre fará discos românticos,,pois esse sempre foi o caminho do sucesso de Simone e a preferência popular!

22 de maio de 2010 01:11  

Postar um comentário

<< Home