5 de outubro de 2009

Bethânia faz a festa do interior em 'Encanteria'

Resenha de CD
Título: Encanteria
Artista: Maria Bethânia
Gravadora: Quitanda / Biscoito Fino
Cotação: * * * * 1/2

Em temperatura bem diversa do clima outonal de seu gêmeo Tua, Encanteria - o CD devoto de Maria Bethânia - é aquecido pelo calor dos ritmos regionais que animam as festas do interior do vasto Brasil. Festa é a palavra-chave para a perfeita compreensão de disco expansivo que louva a fé em clima de celebração. O piano camerístico que adorna Santa Bárbara (Roque Ferreira), o tema que abre o álbum, é pista falsa sobre o tom de Encanteria. Na sequência, o samba Feita na Bahia (Roque Ferreira) - gravado com a Orquestra Portátil de Música, assim como a faixa que dá título ao CD - perfila Bethânia com a exuberância que pontua o álbum batizado com iluminado samba de Paulo César Pinheiro. Aliás, o samba dita o ritmo do disco, mas na cadência baiana. É na batida das rodas do Recôncavo que a intérprete põe a Coroa do Mar (Roque Ferreira) e, nostálgica, reverencia o prato, a faca e a figura lendária de Edith do Prato (1916 - 2009) na companhia de Caetano Veloso e Gilberto Gil, naturais presenças de Saudade Dela (Roberto Mendes e Nizaldo Costa). E o fato é que, sim, a entidade Bethânia baixa em faixas como a veloz Linha de Caboclo (Paulo César Pinheiro e Pedro Amorim). Entre levada de congada mineira (Estrela, de um iluminado Vander Lee) e de xote manso (Minha Rede, outra faixa do recorrente Roque Ferreira), Bethânia saúda o sertão em Doce Viola - lindo tema de seu maestro Jaime Alem que evoca o clima caipira de algumas faixas de Tua - antes de entrar novamente na roda do samba baiano em Ê Senhora, outra prova da intimidade da compositora Vanessa da Mata com o universo musical do Brasil regional. No fim, a intérprete alude a si mesma através dos versos do samba Sete Trovas (Consuelo de Paula, Etel Frota e Rubens Nogueira) que citam trabalhos como Rosa dos Ventos, Mel e Talismã, não deixando dúvidas de que Bethânia é dona absoluta do dom e da festa. 'A canção é seu bailado e bastão'.

47 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Em temperatura bem diversa do clima outonal de seu gêmeo Tua, Encanteria - o CD devoto de Maria Bethânia - é aquecido pelo calor dos ritmos regionais que animam as festas do interior do vasto Brasil. Festa é a palavra-chave para a perfeita compreensão deste disco que louva a fé em clima de celebração. O piano camerístico que adorna Santa Bárbara (Roque Ferreira), tema que abre o álbum, é pista falsa sobre o tom de Encanteria. Na sequência, o samba Feita na Bahia (Roque Ferreira) - gravado com a Orquestra Portátil de Música, assim como a faixa que dá título ao CD - perfila Bethânia com a exuberância que pontua o álbum batizado com iluminado samba de Paulo César Pinheiro. Aliás, o samba dita o ritmo do disco, mas na cadência baiana. É na batida das rodas do Recôncavo que a intérprete põe a Coroa do Mar (Roque Ferreira) e, nostálgica, reverencia o prato, a faca e a figura lendária de Edith do Prato (1916 - 2009) na companhia de Caetano Veloso e Gilberto Gil, convidados de Saudade Dela (Roberto Mendes e Nizaldo Costa). E o fato é que, sim, a entidade Bethânia baixa em faixas como Linha de Caboclo (Paulo César Pinheiro e Pedro Amorim). Entre levadas de maracatu (Estrela, momento iluminado de Vander Lee) e de xote com baião (Minha Rede, outra do recorrente Roque Ferreira), Bethânia saúda o sertão em Doce Viola - lindo tema de seu maestro Jaime Alem que evoca o clima caipira de algumas faixas de Tua - antes de entrar novamente na roda do samba baiano em Ê Senhora, outra prova da intimidade da compositora Vanessa da Mata com o universo musical do Brasil regional. No fim, a intérprete alude a si mesma através dos versos do samba Sete Trovas (Consuelo de Paula, Etel Frota e Rubens Nogueira) que citam trabalhos como Rosa dos Ventos, Mel e Talismã, não deixando dúvidas de que Bethânia é dona absoluta do dom e da festa. 'A canção é seu bailado e bastão'.

5 de outubro de 2009 11:50  
Anonymous Lurian said...

Mauro,
"Estrela" traz o ritmo mineiro de 'congada', não é um maracatu. Pra mim um dos destaques do disco! 'Linha do caboclo' - uma canção de ritmo rápido, diferente do habitual de Bethânia e nos mostra como ela está em boa fase como intérprete (dominando melhor a respiração)!!! Os sambas de gafieira também ficaram legais, e a bela "Sete trovas" nem precisa falar muito. É um bom disco!

5 de outubro de 2009 12:12  
Blogger jeferson said...

Estrela (Vander Lee) é a grande surpresa do disco.

Fiquei emocionado!

5 de outubro de 2009 12:32  
Blogger Mauro Ferreira said...

Lurian, grato pelo comentário esclarecedor. E, sim, Jefferson, Estrela emociona. Como ouvinte (eu tb me permito ser um deles sem me deixar influenciar pelos rigores do trabalho de crítico), escolhi 'Estrela' como a minha faixa preferida dos dois CDs.

5 de outubro de 2009 12:39  
Anonymous Anônimo said...

Mauro,

Estrela caiu muito bem na voz de Bethânia, sem dúvida a melhor dos 2discos.Sem falar que não se assemelha em nada com as outras musicas do compositor.

Leandro,

5 de outubro de 2009 13:25  
Anonymous Marcelo - Belo Horizonte said...

Encanteria é um disco muito bom, dos melhores de Bethania na minha opinião. Há muito Bethania não erra, e este trabalho mostra isso. "Estrela", do Vander Lee, é com certeza a melhor música dos dois discos e das melhores da MPB nos últimos tempos. Parabéns Vander Lee e Bethania por escolher esta canção.

5 de outubro de 2009 13:32  
Anonymous Sérgio said...

Mauro, você só elogiou o disco, porque não deu 5 estrelas? Essa CD é lindo, é pra cima, é festeiro, em de tudo nele, samba, xote, sertanejo, candomblé, samba-de-roda, é perfeito!

Esse CD é a cara de CLARA NUNES!!!

A música da Vanessa da Mata é a melhor do disco! Adorei o couro em "ê senhora".

Estrela é realmente linda!

Linha de Caboclo é muito rápida, eu não entendi alguma spalavras, a Bethânia parece que baixou um santo nela mesmo (risos).

Coroa do Mar é a cara de Clara Nunes!

5 de outubro de 2009 14:05  
Anonymous KaKa said...

A canção Sete Trovas traduz muito a Bethânia "Rosa dos Ventos é meu Norte" "A canção é meu bailado, meu bastão" "Estanarte talismã" "uma filha temporã" "Luz pagã, alto de fé" "Coração vertendo o mel"

É maravilhosa!! Já é um clássico de Bethânia!

Essa compositora Consuela do Paula é realmente iluminada, preciso conhcer mais sobre ela.

5 de outubro de 2009 14:52  
Blogger PedroPeter said...

Bethânia é mesmo a intérprete da década, pelo que parece.

5 de outubro de 2009 15:14  
Anonymous Anônimo said...

Disco de macumba era o forte de Clara Nunes.
E Marisa Monte fazendo escola com o lançamento de dois discos.

5 de outubro de 2009 15:40  
Anonymous Anônimo said...

A impressão é que Betha ta segurando,sustentando a MPB.Vejam,em ENCANTERIA ela abre os horizontes e os renova para as novas interpretes importantes atuais,todas mais voltadas aos ritmos.Com o TUA,parece que foi passado a ela o bastão da moderna musica romântica brasileira mais elaborada e sofisticada.A típica música de quem faz algo desprovido de interesse mercadológico e seguimentário e sim no intuito de promover o sublime.Perguntaram a ela se esta rica.Disse que não e eu acredito pois além de não ser herdeira e não querer se acomodar em lamurias,permanece agindo,atuando verdadeiramente em prol do amor.Seja ele qual for.

5 de outubro de 2009 15:53  
Anonymous maria said...

Menino, e esse Roque Ferreira é um perigo, não?! tudo vira canção na seara deste senhor...canção, guarânia, baião,toada, samba...polivalente é pouco para traduzi-lo. E tudo da melhor qualidade...aqui (e no Tua) ele está de ghost writer da cantora...maravilhoso!

maria

5 de outubro de 2009 16:15  
Anonymous Neto said...

Roque Ferreira está abusando mesmo de tão bom. Queria muito que a Roberta Sá regravasse uma dessas canções no seu disco novo em tributo ao Roque. Ela poderia cantar "Coroa do Mar", "A mão do amor" ou "Domingo". Ficariam lindas na voz da mais nova estrela da MPB (Roberta Sá). E ela poderia cantar em dueto com Maria Bethânia! Já pensou? Eu ia morrer, com minhas duas cantoras preferidas (uma da nova geração e outra da velha) cantando juntas.

5 de outubro de 2009 16:23  
Anonymous Anônimo said...

Na primeira audição gostei da canção que o Mauro elegeu, mas com mais audições Sete Trovas se impõe, pois é daquelas canções perfeitas, que vieram para ficar: um clássico no repertório da música popular brasileira. Salve Consuelo de Paula!!

5 de outubro de 2009 17:08  
Anonymous Anônimo said...

Ao anonimo das 15:40.

Se me engano MAR DE SOPHIA e PIRATA são anteriores a Universo ao meu redor e Infinito Particular.

Leandro,

5 de outubro de 2009 17:30  
Anonymous Leo said...

De fato, esse disco tem muito de Clara Nunes.. tem a riqueza de ritmos dos discos de Clara e principalmente a alegria de Clara, a punjança da Guerreira! Além de ter várias canções de Paulo César Pinheiro, que era o compositor da Clara.

Inclusive, seria de bom tom que a Bethânia tivesse regravado no Encanteria CONTOS DE AREIA, para se redimir pela não tão boa apresentação no Prêmio Tim. A música tem a ver com o universo do disco!

Parabéns Bethânia, você é uma gurreira, assim como Clara, e mantém a chama da MPB acesa. Você é uma Rainha sem dúvida e o Encanteria está uma festa como disse o Mauro e o Tua é delicado e muito bem feito.

Só uma senhora digna do alto de seus 63 anos de vida e 44 de carreira poderia fazer essas duas pérolas. Atenção novatas, ouçam, aprendam e agradeçam aos céus de ainda ter uma Diva na ativa. Elis, Nara e Clara fazem muita falta, mas ainda temos Bethânia e Gal pra por os pingos no i´s da MPB.

Salve Abelha Rainha!

5 de outubro de 2009 18:01  
Anonymous Carioca said...

Sete Trovas é um clássico realmente. Que música linda, que letra forte!! Ponto para Consuelo de Paula que compôs essa maravilha e para Bethânia que teve a sensibilidade de não só incluir no disco, como de escolher a canção que fecha esse disco maravilhoso.

5 de outubro de 2009 18:04  
Blogger PedroPeter said...

Caetano já lançava discos simultaneamente bem antes de Marisa Monte: Qualquer Coisa/Jóia de 74. MM é excelente artista/empresária, mas não inaugurou nada no mercado fonográfico que já não existisse. Apenas o utilizou com mais criatividade do que a maioria dos artistas.

5 de outubro de 2009 18:41  
Anonymous Anônimo said...

belíssimo cd.Emocionado,emocionante
pra cima! Lindas letras,arranjos e
interpretações.Bethania cantando
super bem. O que é 'Feita na Bahia'
"linha de caboclo","encanteria",
"Ê senhora","estrela" e a emocionante "Sete Trovas",só pra citar.Bacana o projeto gráfico.
Demais tudo.Não consigo parar de ouvir.Traz alegria e beleza.
Grande Bethania!!!

5 de outubro de 2009 19:43  
Anonymous Anônimo said...

sem muito o que dizer, apenas que está maravilhoso, superou minhas expectativas. Divino!

5 de outubro de 2009 19:50  
Anonymous Lurian said...

Mauro,
Apesar da observação de que a música é uma congada, você não deixa de ter certa razão, já que congada e maracatú procedem da mesma raiz africana. Geograficamente predominaram em Minas Gerais e Pernambuco respectivamente. Existe semelhanças, mas é possível perceber a diferença percussiva.
Esqueci de comentar quanto é linda a música "Doce viola",um brinde de Jaime a Bethânia, tem uma natureza idílica belíssima!

5 de outubro de 2009 21:34  
Anonymous Anônimo said...

Sete Trovas é uma canção que eu esperava ouvir um dia. Traduz o que é a canção pra mim enquanto ouvinte. "a canção é meu pecado, minha dor e redenção..." Agradeço a Bethania e a compositora (Consuelo de Paula) por este presente.
Saulo.

5 de outubro de 2009 22:05  
Anonymous Lúcio said...

Esse CD é divino e merece ser trabalhado pela Biscoito Fino também.. não é só o Tua que tem que ser trabalhado.. se esse dsico fosse lançado na década de 70, teria muitos hits.. ele também me lembra muito os discos da Clara Nunes, como Brasil Mestiço, Canto das Três Raças, etc.. Há clássicos nesse disco que preisam ser divulgados!!

5 de outubro de 2009 23:25  
Anonymous paulo cezar said...

Saudade dela é um samba de roda com fogo gostoso. é uma delícia. esse roberto mendes é um baianinho arretado. e esse nizaldo costa é uma revelação? ou já tem história na mpb? quem souber me fale. eu não conhecia. vou desligar o pc vou ligar o som no volume mais alto e ouvir minha deusa betha. vou ouvir todas, mas saudade dela é a melhor música do cd. viva bethania, viva caetano, viva gil. gente que maravilha de cd, é o melhor da carreira de bethania. alguém discorda? claro que não.

6 de outubro de 2009 08:04  
Anonymous Anônimo said...

O INFINITO PARTICULAR E O UNIVERSO AO MEU REDOR SÃO ANTERIORES AO MAR DE SOPHIA E PIRATA!!!!!!!

6 de outubro de 2009 08:54  
Anonymous Anônimo said...

No momento o universo ao meu redor só tem interesse por estes dois cds maravilhosos da maior artista da música brasileira.

6 de outubro de 2009 09:30  
Anonymous Paulo Cezar said...

O povo de Santo Amaro é danado.Não bastava bethania, Gl, Caetano, Roberto Mendes e agora esse tal de Nizaldo Costa. Eta lugarzinho bom. Faltava Roque Ferreira ser de lá tambem. Saudade dela é divino é demais minha gente.

6 de outubro de 2009 10:13  
Blogger Telma Beatriz said...

Faltou falar de Capinam, J. Veloso, Jorge Portugal e tantos mais.

6 de outubro de 2009 10:17  
Anonymous Anônimo said...

Aplausos, aplausos...
Bravo! Bravo!
É para ouvir e agradecer a Deus.
Parabéns Bethânia.
Beatriz

6 de outubro de 2009 12:08  
Blogger Carlos Cardoso said...

Meu Deus quanto comentário!!! Estou ficando louco de curiosidade!!
Abraço para todos!!

6 de outubro de 2009 13:15  
Anonymous Anônimo said...

Mauro querido,
é melhor criar uma categoria especial para Bethânia: DEZ ESTRELAS!
Ela é demais!!!
Antonio

6 de outubro de 2009 13:31  
Anonymous Anônimo said...

Apesar da observação do Lurian nas raízes do congado e do maracatu, além de conseguir identificar os tambores e violas do congado, Vander Lee, como bom mineiro que é se utilizou do ritmo tradicional em Minas para compor a música mais bonita do ano até agora.

Estrela também é a minha faixa preferida!

6 de outubro de 2009 14:32  
Anonymous Silvia said...

De fato, o Encanteria é lindo e Maria Bethânia está cantando muito, o repertório é perfeito. Mas é preciso ressaltar a grande sacada do disco, que foi Bethânia ter gravado Vander Lee e Consuelo de Paula, responsaveis pelas duas grandes surpresas do disco: Estrela e Sete Trovas.

Justiça seja feita, eles são ótimos compositores. Espero que façam mais músicas pra Bethânia!

6 de outubro de 2009 14:54  
Anonymous Anônimo said...

Tempos atrás ganhei um CD da Consuelo de Paula mas não consegui ouvir inteiro. Me cansou. Depois a vi no programa do Boldrin e tb não me marcou. Agora, a partir desta preciosidade, vou botar reparo nesta senhora.

Bethania, que CDs!!!

6 de outubro de 2009 18:07  
Anonymous Anônimo said...

Aiaiai Bethania, sempre Bethânia.

Tô quase acreditando num jeito bethânia de ser: humorado, sensível, inconformado, elegante, pontual, incisivo, misterioso, simplérrimo, esfusiante, onírico, metafísico, melancólico. E sempre coerente.

A única diva de nossa música botou pra quebrar nestes lançamentos. Entre uma homenagem e outra, um sarau e outro, uma comemoração e outra, foi juntando estas preciosidades, colocou sua voz incomparável e saiu aspergindo beleza e sensibilidade por todo canto.

Ave Bethânia. De novo.

6 de outubro de 2009 18:43  
Anonymous Anônimo said...

Para o 18:07. Legal você colocar reparo na Consuelo de Paula. Vc sabe que eu atualmente sou super fã dela, mas confessoque nao compreendi de cara. Sabe aqueles cds que parece que chegam antes do nosso tempo, que depois revolucionam a vida de quem consegue ouvir, mudam nossa percepçao. Consuelo de Paula é genial. Mas, acho que é arte pra quem consegue ouvir essências, pra quem consegue escutar coração e pra quem não se incomoda com silêncios e nao tem medo da profundidade. É delicado e forte ao mesmo tempo. Parece que ela nao quer agredir, ouve quem pode. Ouça estada deága, artesanato, dança para um poema, maria del carmem, curativo...são perolas. Beijos. Aurora Di Freitas

7 de outubro de 2009 01:00  
Anonymous Leo said...

Realmente, esse disco de Bethânia remete à Clara Nunes! Ele é festeiro, é alegre, um clima de festa e religião contagiantes! Salve a Guerreira Clara!

Eu preferi o TUA, mas sem dúvida o ENCANTERIA é lindo e já é um clássico na carreira de Bethânia. Tem gravações que são antológicas nesse disco.

7 de outubro de 2009 01:12  
Blogger Balaio said...

Também acho Estrela a melhor música do CD e talvez a que mais tenha me emocionado nos últimos tempos...

Parabéns Vander Lee e Bethânia pela interpretação.

7 de outubro de 2009 08:25  
Anonymous Anônimo said...

Comecei por Estrela mas agora tô dando um tempo. Deu uma cansadinha.
No momento sou Sete Trovas, sensacional...imagino isso ao vivo.
Mas prefiro mesmo o Tua. Talvez seja menos impactante mas é de um bom gosto...de virtuoses, como disse Mauro. O duo com Lenine tá arrepiante (que voz encorpada a dele...a combinação ficou perfeita).
Até o Fim é Paris, domingo de sol.
A Bravo está com materia de capa com a Bethania...muito legal (no site tem fotos maravilhosas)

Alguem saberia me dizer onde será o show em SP?

7 de outubro de 2009 09:24  
Anonymous Lucia said...

Roque Ferreira é maravilhoso!

Bethânia nem precisa comentar!

7 de outubro de 2009 14:58  
Anonymous Bruno said...

ENCANTERIA é um disco lindo, mas acho que será ofuscado pelo TUA! Bethânia tem que parar com essa história de lançar 2 ao mesmo tempo, pois um acabará sendo prejudicado.

Eu amei o TUA.

O ENCANTERIA merecia um momento só pra ele.

7 de outubro de 2009 16:27  
Anonymous Anônimo said...

Belos cds.Bethania é tudo!!
Ela é capa da BRAVO de outubro.
Legal a entrevista e o ensaio fotográfico.Vale conferir.
Adoraria ler o texto da zelia Duncan sobre os cds (na Folha de SP).Não consegui acessar.Será que alguém poderia transcrevê-lo aqui?
Por favor.

7 de outubro de 2009 20:32  
Anonymous Anônimo said...

Não concordo. Encanteria é a cereja do bolo. Sòzinho seria pouco para o 'disco de carreira' da cantora. Soaria repetitivo e redundante. Bethania não é tonta. Faz o que quer mas sabe elaborar o produto.
Não a toa é a cantora mais inteligente da MPB.
Agora anda dizendo que sua voz é das sereias. Lindo, não?!

7 de outubro de 2009 22:13  
Anonymous Anônimo said...

Também não concordo que Tua está ofuscando Encanteria. Encanteria tem gravaçoes ontológicas, tornar-se-ão clássicas em muito pouco tempo. Ouça Sete Trovas, da mineira Consuelo de Paula e entenderá o que digo. É um cd que se quer ouvir mais e mais, e as cançoes cresce a cada audição. Vinícius

9 de outubro de 2009 16:43  
Anonymous Anônimo said...

de minha parte achei encanteria meio chatão. muito clara nunes mesmo.
o tua, sim, achei consistente.

9 de outubro de 2009 21:36  
Blogger PAULO CÉSAR said...

Tanto os dois CDs de Marisa Monte quanto os dois de Bethânia foram lançados em 2006, com diferença de poucos meses. Mas acho que não se trata de competição para ver quem lançou moda primeiro. Nõ é do estilo das duas cantoras. E "Encanteria" é o máximo!

13 de outubro de 2009 15:37  
Blogger Rafael Dias said...

Linda obra. Bethânia está brilhante, alegre, vibrante.
Já o "Tua" é chato, não gostei.

20 de dezembro de 2009 09:15  

Postar um comentário

<< Home