17 de setembro de 2009

Casuarina faz samba sob estética jovem da MTV

Resenha de CD / DVD
Título: MTV Apresenta: Casuarina
Artista: Casuarina
Gravadora: Sony Music
Cotação: * * * 1/2

Propagado como um dos nomes da Lapa (RJ) que ajudou a pôr a juventude da Zona Sul carioca na roda do samba, o Casuarina se enquadra na estética da MTV - a emissora de natureza jovem - em seu primeiro registro de show, feito sob a direção musical de Rodrigo Campello e do próprio grupo. Editada na série MTV Apresenta nos formatos de CD, DVD e blu-ray (este ainda não lançado), a gravação ao vivo confirma o talento do quinteto. Que segue a rota inversa do mercado fonográfico e parte de gravadora independente (a Biscoito Fino, por onde lançou seus dois álbuns de estúdio) para uma multinacional do disco, a Sony Music, que investe no Casuarina muito por conta da imagem jovem do grupo.
Após um segundo álbum de repertório essencialmente autoral, Certidão (2006), o Casuarina recua e, sob a fórmula e a ótica da MTV, insere apenas três temas de lavra própria (Vaso Ruim, Arco-Íris e Certidão) em roteiro que empilha clássicos do samba. Na roda estilizada armada no palco da Fundição Progresso (RJ), em 5 de maio de 2009, o grupo também segue outro preceito básico das gravações fonográficas editadas com o jovem selo da MTV: a convocação de convidados. No caso, Moska (bem à vontade em Cabelos Brancos, samba de Herivelto Martins e Marino Pinto), Roberto Silva (em Jornal da Morte, de Miguel Gustavo), Frejat (com desenvoltura até surpreendente na bem sacada Já Fui uma Brasa, de Adoniran Barbosa), Wilson Moreira (já fora de forma em Senhora Liberdade, uma das obras-primas compostas por ele com Nei Lopes) e Moinho (no piloto automático em Rosa Morena, o samba buliçoso de Dorival Caymmi). A receita foi seguida à risca...
Não há um grande virtuose entre os cinco músicos e cantores do Casuarina. Mas o fato é que, no todo, o conjunto soa sedutor. Talvez por sua devoção ao melhor samba parecer sincera. E o fato é que a roda fica animada quando o grupo toca pérolas como Minha Filosofia (samba de Aluísio Machado entoado em coro pelo público frequentador das casas de samba da Lapa) e O Dia se Zangou (Mauro Diniz e Ratinho). Mesmo quando apresenta um samba já tão batido e gravado, como Disritmia (Martinho da Vila), o resultado é correto. Mas o Casuarina brilha mesmo é quando revira sem preguiça o baú do samba. É Isso Aí (Isso É Problema Dela), por exemplo, é um destaques menos óbvios do repertório. Nesse tema de Sidney Miller, o quinteto experimenta suingue que remete à levada do samba-rock. Já o arranjo de Chiclete com Banana (Almira Castilho e Gordurinha) costura ritmos brasileiros e norte-americanos, em sintonia com o espírito desafiador da letra. Enfim, MTV Apresenta: Casuarina cumpre muito bem seu objetivo e funciona como belo cartão-de-visitas do grupo para quem está fora dos arredores da Lapa e até do Rio de Janeiro (RJ).

9 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Propagado como um dos nomes da Lapa (RJ) que ajudou a pôr a juventude da Zona Sul carioca na roda do samba, o Casuarina se enquadra na estética da MTV - a emissora de natureza jovem - em seu primeiro registro de show, feito sob a direção musical de Rodrigo Campello e do próprio grupo. Editada na série MTV Apresenta nos formatos de CD, DVD e blu-ray (este ainda não lançado), a gravação ao vivo confirma o talento do quinteto. Que segue a rota inversa do mercado fonográfico e parte de gravadora independente (a Biscoito Fino, por onde lançou seus dois álbuns de estúdio) para uma multinacional do disco, a Sony Music, que investe no Casuarina muito por conta da imagem jovem do grupo.
Após um segundo álbum de repertório essencialmente autoral, Certidão (2006), o Casuarina recua e, sob a fórmula e a ótica da MTV, insere apenas três temas de lavra própria (Vaso Ruim, Arco-Íris e Certidão) em roteiro que empilha clássicos do samba. Na roda estilizada armada no palco da Fundição Progresso (RJ), em 5 de maio de 2009, o grupo também segue outro preceito básico das gravações fonográficas editadas com o jovem selo da MTV: a convocação de convidados. No caso, Moska (bem à vontade em Cabelos Brancos, samba de Herivelto Martins e Marino Pinto), Roberto Silva (em Jornal da Morte, de Miguel Gustavo), Frejat (com desenvoltura até surpreendente na bem sacada Já Fui uma Brasa, de Adoniran Barbosa), Wilson Moreira (já fora de forma em Senhora Liberdade, uma das obras-primas compostas por ele com Nei Lopes) e Moinho (no piloto automático em Rosa Morena, o samba buliçoso de Dorival Caymmi). A receita foi seguida à risca...
Não há um grande virtuose entre os cinco músicos e cantores do Casuarina. Mas o fato é que, no todo, o conjunto soa sedutor. Talvez por sua devoção ao melhor samba parecer sincera. E o fato é que a roda fica animada quando o grupo toca pérolas como Minha Filosofia (samba de Aluísio Machado entoado em coro pelo público frequentador das casas de samba da Lapa) e O Dia se Zangou (Mauro Diniz e Ratinho). Mesmo quando apresenta um samba já tão batido e gravado, como Disritmia (Martinho da Vila), o resultado é correto. Mas o Casuarina brilha mesmo é quando revira sem preguiça o baú do samba. É Isso Aí (Isso É Problema Dela), por exemplo, é um destaques menos óbvios do repertório. Nesse tema de Sidney Miller, o quinteto experimenta suingue que remete à levada do samba-rock. Já o arranjo de Chiclete com Banana (Almira Castilho e Gordurinha) costura ritmos brasileiros e norte-americanos, em sintonia com o espírito desafiador da letra. Enfim, MTV Apresenta: Casuarina cumpre muito bem seu objetivo e funciona como belo cartão-de-visitas do grupo para quem está fora dos arredores da Lapa e até do Rio de Janeiro (RJ).

17 de setembro de 2009 12:50  
Blogger Mark said...

parabens pelo blog genial acompanho sempre =)

abracos

17 de setembro de 2009 13:01  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, não sei como está o título da música do Sidney Miller no DVD, mas o nome da música é so 'É Isso Aí' - não tem nada de 'isso é problema dela'.

17 de setembro de 2009 16:04  
Anonymous Anônimo said...

Realmente o nome da música do Sidney Miller é só "É Isso Aí". Mas, com a autorização de quem detém os direitos da obra do Sidney (no caso, a família), o Casuarina optou por colocar este "subtítulo" para diferenciar da outra "É Isso Aí", que fez muito sucesso na voz de Ana Carolina.

17 de setembro de 2009 20:02  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, suas críticas são muito bem feitas. A do Casuarina é corretíssima. Vc pontua com responsabilidade. O que vc comentou é certeiro. Concordo em tudo. Como o Rio tem bons críticos de música. Tenho inveja de vocês cariocas, só nisso!rsrsrs Tirando o Lauro Lisboa Garcia que é um grande conhecedor, do Estado de São Pulo. O resto é deplorável. Resumindo: o melhor crítico da Folha de São Paulo é o carioca Luiz Fernando Vianna. Viva a crítica carioca de música brasileira! Com todo respeito.

17 de setembro de 2009 21:01  
Anonymous Anônimo said...

Valeu. Com qualquer título, É Isso Aí é uma grande música, e a versão do Casuarina está ótima.

18 de setembro de 2009 16:02  
Blogger RITA DE CÁSSIA said...

Adoro o Casuarina! Da Lapa para o resto do Brasil. Boa Sorte ao grupo!

19 de setembro de 2009 15:32  
Anonymous Anônimo said...

O filho do Lenine - desculpe ainda não sei seu nome - é um grande cantor de samba, tem a manha.

20 de setembro de 2009 01:39  
Anonymous Anônimo said...

O João canta muuuuuuuuuuuuuito!!!

20 de setembro de 2009 20:17  

Postar um comentário

<< Home