15 de junho de 2009

'Wait for me' expõe um Moby íntimo e reflexivo

Resenha de CD
Título: Wait for me
Artista: Moby
Gravadora: Mute
/ Little Idiot
Cotação: * * *

Em seu álbum anterior, Last Night (2008), Moby voltou para as pistas e captou muito bem o frenesi da noite dance, evocando os embalos da disco music. Em seu nono álbum, Wait for me, o clima é bem calmo - como o próprio DJ avisara ao anunciar o disco, em abril de 2009. Nas lojas a partir de 30 de junho, mas já vazado na internet, Wait for me flagra Moby em estado mais íntimo e reflexivo. As 16 faixas - várias instrumentais, a exemplo de Division, que abre o CD com cordas sintetizadas em forma quase erudita - são mais apropriadas para um lounge. Os vocais femininos ouvidos em temas como Pale Horses e Walk with me (faixa que insere ruídos numa atmosfera mais etérea) podem até remeter a Play (1999) - obra-prima da discografia do artista - mas o fato é que Wait for me não se impõe entre os melhores momentos fonográficos do DJ. Pelo fato de ter sido gravado com equipamento analógicos, o CD tem todo um clima retrô que salta aos ouvidos em faixas como Mistake (um dos temas turbinados com os vocais do próprio Moby). Sim, há beleza na melancolia expressada em JLTF, balada forrada com o piano, mas, no todo, o álbum soa repetitivo, quase cansativo. Consta que a inspiração para o disco veio de palestra sobre criatividade ministrada pelo cineasta David Linch - aliás, diretor do vídeo da faixa Shot in the Back of the Head. Moby teria se decidido a gravar um CD guiado somente pela liberdade criativa, sem pressões externas. Seja como for, embora Wait for me tenha lá seus bons momentos, quando chega ao fim, com a instrumental Isolate, o álbum deixa no ouvinte sensação estranha. Como se fosse um filme de Lynch...

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Em seu álbum anterior, Last Night (2008), Moby voltou para as pistas e captou muito bem o frenesi da noite dance, evocando os embalos da disco music. Em seu nono álbum, Wait for me, o clima é bem calmo - como o próprio DJ avisara ao anunciar o disco, em abril de 2009. Nas lojas a partir de 30 de junho, mas já vazado na internet, Wait for me flagra Moby em estado mais íntimo e reflexivo. As 16 faixas - várias instrumentais, a exemplo de Division, que abre o CD com cordas sintetizadas em forma quase erudita - são mais apropriadas para um lounge. Os vocais femininos ouvidos em temas como Pale Horses e Walk with me (faixa que insere ruídos numa atmosfera mais etérea) podem até remeter a Play (1999) - obra-prima da discografia do artista - mas o fato é que Wait for me não se impõe entre os melhores momentos fonográficos do DJ. Pelo fato de ter sido gravado com equipamento analógicos, o CD tem todo um clima retrô que salta aos ouvidos em faixas como Mistake (um dos temas turbinados com vocais do próprio Moby). Sim, há beleza na melancolia expressada em JLTF, balada forrada com o piano, mas, no todo, o álbum soa repetitivo, quase cansativo. Consta que a inspiração para o disco veio de palestra sobre criatividade ministrada pelo cineasta David Linch - aliás, diretor do vídeo da faixa Shot in the Back of the Head. Moby teria se decidido a gravar um CD guiado somente pela liberdade criativa, sem pressões externas. Seja como for, embora Wait for me tenha lá seus bons momentos, quando chega ao fim, com a instrumental Isolate, o álbum deixa no ouvinte sensação estranha. Como se fosse um filme de Lynch...

15 de junho de 2009 10:37  

Postar um comentário

<< Home