24 de junho de 2009

'Roadsinger' expõe a afinidade entre Yusuf e Cat

Resenha de CD
Título: Roadsinger
Artista: Yusuf
Gravadora: Universal
Music
Cotação: * * * 1/2

Yusuf - para quem ainda não liga o nome ao artista - é ninguém menos do que Cat Stevens. É que Yusuf Slam foi o nome adotado por Stevens em 1977 após sua conversão ao islamismo. Roadsinger é o segundo álbum de inéditas de Yusuf (agora sem o Slam no nome) após sua volta ao universo pop. E, a exemplo de seu antecessor An Other Cup (2006), Roadsinger expõe em 11 faixas a similaridade entre o som de Yusuf e o de Stevens. Sim, nada mudou tanto assim nessas quatro décadas de música e fé. Yusuf continua convertido ao pop folk que projetou Stevens na virada dos anos 60 para os 70. Por mais que não haja em seu inédito repertório autoral uma canção tão inspiradora quanto Wild World, Roadsinger mostra que o compositor permanece digno de crédito. Músicas como Welcome Home e Thinkin 'Bout You se destacam na atual safra de inéditas. O que está mais enfatizado nas letras - com uma força que não aparecia nos discos antigos de Stevens - são as mensagens de fé. Se World O'Darkness clama pela salvação de um mundo mergulhado nas trevas, The Rain retrata essa escuridão que - na visão do artista - encobre valores mais positivos. A propósito, Yusuf faz sua pregação com otimismo, como pode ser observado em faixas como Be What You Must, reforçada com angelical coro infantil. Felizmente, o compositor continua pondo fé em boa música folk...

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Yusuf - para quem ainda não liga o nome ao artista - é ninguém menos do que Cat Stevens. É que Yusuf Slam foi o nome adotado por Stevens em 1977 após sua conversão ao islamismo. Roadsinger é o segundo álbum de inéditas de Yusuf (agora sem o Slam no nome) após sua volta ao universo pop. E, a exemplo de seu antecessor An Other Cup (2006), Roadsinger expõe em 11 faixas a similaridade entre o som de Yusuf e o de Stevens. Nada mudou tanto assim nessas quatro décadas de música e fé. Yusuf continua convertido ao pop folk que projetou Stevens na virada dos anos 60 para os 70. Por mais que não haja em seu inédito repertório autoral uma canção tão inspiradora quanto Wild World, Roadsinger mostra que o compositor permanece digno de crédito. Músicas como Welcome Home e Thinkin 'Bout You se destacam na atual safra de inéditas. O que está mais enfatizado nas letras - com uma força que não aparecia nos discos antigos de Stevens - são as mensagens de fé. Se World O'Darkness clama pela salvação de um mundo mergulhado nas trevas, The Rain retrata essa escuridão que - na visão do artista - encobre valores mais positivos. A propósito, Yusuf faz sua pregação com otimismo, como pode ser observado em faixas como Be What You Must, reforçada com angelical coro infantil. Felizmente, o compositor continua pondo fé em boa música folk...

24 de junho de 2009 20:47  

Postar um comentário

<< Home