8 de maio de 2009

O retorno - triunfal - de Gal aos palcos cariocas

"É a voz mais bonita do mundo!". Proferida em alto e bom som, a sentença do espectador ecoou por toda a platéia da casa Vivo Rio tão logo Gal Costa, majestosa, terminou de cantar As Vitrines (Chico Buarque). Todo o público que estava ali na expectativa de ver o encontro da cantora baiana com Dionne Warwick pareceu concordar. Ausente dos palcos do Rio de Janeiro (RJ) desde março de 2006, quando apresentou o show Hoje no Canecão (RJ), Gal fez retorno triunfal à cena carioca como convidada do show Dionne Warwick in Concert, cuja miniturnê nacional estreou na noite de ontem, 7 de maio de 2009, na casa Vivo Rio. Rejuvenescida, elegante, bonita e - o mais importante - com o cristal afiado, Gal (em foto de Mauro Ferreira) soltou sua voz límpida em três números individuais antes de cantar com Dionne. Os dois primeiros, As Vitrines e Eu Sei que Vou te Amar (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), foram feitos na companhia do pianista Cristóvão Bastos. Na sequência, já com a banda de Dionne no palco, Gal cantou (e fez o público cantar) o samba Quem te Viu Quem te Vê (Chico Buarque). "É uma alegria e uma honra para mim estar aqui no Rio e estar com Dionne", saudou Gal, já ao lado da colega, com quem fez dueto em Piano na Mangueira (Tom Jobim e Chico Buarque), Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso) e Garota de Ipanema (Tom Jobim e Vinicius de Moraes). "Era o meu sonho: cantar com Gal Costa", devolveu Dionne. Entrosadas, as cantoras fizeram floreios vocais ao fim de cada número e mostraram prazer em estar dividindo o palco. No fim do show, Gal ainda voltou para uma participação afetiva em That's What Friends Are for (Burt Bacharach e Carole Bayer Sager). Mesmo insegura com a letra, lida em cena, a cantora brasileira mostrou que continua em forma para a turnê que pretende estrear ainda em 2009 para registro em DVD e CD ao vivo. E pareceu, sim, ter a voz mais bonita do mundo.

40 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

"É a voz mais bonita do mundo!". Proferida em alto e bom som, a sentença do espectador ecoou por toda a platéia da casa Vivo Rio tão logo Gal Costa, majestosa, terminou de cantar As Vitrines (Chico Buarque). Todo o público que estava ali na expectativa de ver o encontro da cantora baiana com Dionne Warwick pareceu concordar. Ausente dos palcos do Rio de Janeiro (RJ) desde março de 2006, quando apresentou o show Hoje no Canecão (RJ), Gal fez retorno triunfal à cena carioca como convidada do show Dionne Warwick in Concert, cuja miniturnê nacional estreou na noite de ontem, 7 de maio de 2009, na casa Vivo Rio. Rejuvenescida, elegante, bonita e - o mais importante - com o cristal afiado, Gal (em foto de Mauro Ferreira) soltou sua voz límpida em três números individuais antes de cantar com Dionne. Os dois primeiros, As Vitrines e Eu Sei que Vou te Amar (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), foram feitos na companhia do pianista Cristóvão Bastos. Na sequência, já com a banda de Dionne no palco, Gal cantou (e fez o público cantar) o samba Quem te Viu Quem te Vê (Chico Buarque). "É uma alegria e uma honra para mim estar aqui no Rio e estar com Dionne", saudou Gal, já ao lado da colega, com quem fez dueto em Piano na Mangueira (Tom Jobim e Chico Buarque), Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso) e Garota de Ipanema (Tom Jobim e Vinicius de Moraes). "Era o meu sonho: cantar com Gal Costa", devolveu Dionne. Entrosadas, as cantoras fizeram floreios vocais ao fim de cada número e mostravam prazer em estar dividindo o palco. No fim do show, Gal ainda voltou para uma participação afetiva em That's What Friends Are for (Burt Bacharach e Carole Bayer Sager). Mesmo insegura com a letra, lida em cena, a cantora brasileira mostrou que continua em forma para a turnê que pretende estrear ainda em 2009 para registro em DVD e CD ao vivo. E pareceu, sim, ter a voz mais bonita do mundo.

8 de maio de 2009 00:23  
Anonymous Anônimo said...

"É a voz mais bonita do mundo!"

8 de maio de 2009 02:34  
Anonymous Anônimo said...

Caro Mauro,

Acabei de chegar do Vivo Rio, mas não sei se vimos o mesmo show que você teceu loas. Gal estava em boa forma física, mas vocal... Francamente! Ela não deu um agudo liso, todos os seus agudos foram rascantes. Totalmente sem presença de palco. Já foi o tempo em que eu e todos os seus fãs ficávamos embevecidos com sua voz e seu carisma. Gal estava francamente nervosa, sem presença,cantando músicas óbvias e não é nem a sombra do que foi um dia. Fiquei deprimido, pois vi inúmeros shows de Gal em seus melhores dias, ou seja, até 1994. De lá pra cá, as decepções só aumentaram. Ela sempre será um mito, a maior cantora do Brasil, mas para quem a viu no auge. Um novato que a conheça hoje não terá jamais a dimensão do que seja a voz de Gal Costa.
Grato,
Felipe - do Rio.

8 de maio de 2009 02:59  
Anonymous Anônimo said...

A pena é Gal ter preguiça de studio.Muitos ao vivo desde algum tempo.O ùltimo foi ao vivo.Mas se tiver a energia que demonstrou em Sampa e pelo que li no Rio também.E se for um repertòrio como de Sampa...vai ser demais.

8 de maio de 2009 07:08  
Anonymous Anônimo said...

GAL tem, sim, a voz mais bonita do mundo.
Como diz Bethânia: 'um cristal'.

8 de maio de 2009 08:18  
Anonymous Anônimo said...

È A VOZ!!!!!!!!!!!!!!!!
O cristal mais perfeito de nossa música. Pena que sempre tem um ressentido, que vive preso a um passado que nao volta mais.
Salve a Gal de Hoje e de todos os tempos.

8 de maio de 2009 09:15  
Anonymous Anônimo said...

É a voz mais bonita do mundo. É brasileira, a voz querida de Tom Jobim, a mulher das músicas do Chico Buarque!!! GAL SEMPRE GAL

8 de maio de 2009 09:57  
Anonymous Igor said...

Que noite especial tivemos ontem, Gal é a maior cantora do Brasil isso é incontestável.

8 de maio de 2009 10:11  
Anonymous Anônimo said...

O comentário do Felipe me deixou com medo,pois as últimas vezes que ouvi e vi Gal ela estava sem forma vocal.Deus queira que o Felipe esteja errado e o Mauro certo.Abraços aos dois.Gal é a maior cantora do Brasil pela bela voz.

8 de maio de 2009 10:26  
Anonymous Anônimo said...

linda! linda! linda! voz em forma... cristal puro. Gal é divina maravilhosa!

8 de maio de 2009 11:43  
Anonymous Tunai Rosamalta said...

As pessoas tem que se lembrar, principalmente os que assistiram Gal antes até 1994, que ela não é mais uma mocinha! É uma dama da canção e voz não se perde a não ser por problemas de saúde, como Marina, por exemplo...ela será sempre a voz cristalina brasileira!! Discordo da crítica, pois achei o show belíssimo e nervosismo, até Fernanda Montenegro tem.

8 de maio de 2009 13:22  
Anonymous Anônimo said...

Parabéns, Felipe! Sinceridade e franqueza são qualidade de poucos. Não precisa ficar jogando confete à toa, ainda mais se não está correspondendo. Um abraço.

8 de maio de 2009 14:37  
Blogger Jorge Reis said...

CLARO QUE A VOZ DE GAL NÃO É MAIS A MESMA, E A NOSSA TAMBÉM NÃO SERÁ DAQUI A ALGUM TEMPO, ISTO É, SE NÃO MORRERMOS ANTES, VÍTIMAS DO VENENO DE NOSSOS COMENTÁRIOS.
SALVE GAL...

8 de maio de 2009 15:49  
Anonymous ella said...

Gal é única (embora muitas achem possível escalar esta montanha...)

Minha cantora preferida é a Bethania, entretanto considero GAL a maior cantora brasileira, e quando resolve fazer valer o seu talento....não tem pra ninguém!

E Dione é uma grande dama da canção.

8 de maio de 2009 16:41  
Anonymous Marques said...

O que acontece com a Gal é que além de ter uma voz privilegiada, ela sempre foi símbolo sexual. Seu canto e suas apresentações tinham um encanto sexual que faltavam às outras. Mas sempre foi a maior cantora brasileira (voz & repertório). "Cantar", "Fatal", "O Sorriso do Gato de Alice" não deixam mentir. Ela já tem seu luga no panteão. Gal pode - e deve - cantar o que quiser.

8 de maio de 2009 19:46  
Anonymous Jorge said...

Se a mulher que cantou "As vitrines" no Vivo Rio, que por acaso é, ao lado de Kate Bush, Milton Nascimento e Peter Gabriel, uma das maiores vozes do mundo, segundo o The Times, se essa mulher, chamada Gal, a dona da voz de cristal que me fez (e faz) chorar quando eu ouvi, me lembro muito bem, há dez anos atrás, a voz que eu ouvi cantar "Morena dos olhos d'água", disco que por acaso me caiu às mãos na época, já que não era minha praia, se essa mulher não cantou maravilhosamente bem, se não arrepiou, ontem, linda, leve, a voz que dialoga com a eternidade, o Vivo Rio, então não sou nada. Estou louco.

"Gal Costa, você é a maior cantora do mundo!" Quisera ser eu para gritar lá. Por isso grito aqui: GAL, VOCÊ É A MAIOR VOZ DO MUNDO!!

Do Jorge

8 de maio de 2009 20:23  
Anonymous Anônimo said...

Gal Costa, você é a maior cantora do mundo!" Quisera ser eu para gritar lá. Por isso grito aqui: GAL, VOCÊ É A MAIOR VOZ DO MUNDO!!2

Douglas cigarra

8 de maio de 2009 20:57  
Anonymous Anônimo said...

QUEM É GAL JÁ NASCE FEITO!!!

8 de maio de 2009 23:14  
Anonymous Anônimo said...

Gal estava radiante e com uma ótima presença de palco.Sua voz perfeita soa a felicidade de quem sabe o pode tudo na música!
Ela tem seu nome na história por seus discos e shows memoráveis e retoma a estrada após um tempo em shows pelo Brasil.Como essa baiana arretada sempre nos surpreende,só podemos esperar por coisas muito boas pela frente.Quanto a sua vos,ela permanece cristalina e com certeza uma das mais lindas do Mundo!

Não devemos dar espaço a quem precisa aparecer com críticas infundadas.Ainda bem que temos os vídeos para mostrar quem é quem!

Gal Nossa Voz Nossa Vida!

9 de maio de 2009 00:49  
Anonymous Guto said...

Gal Costa sempre será a maior cantora do Brasil.Sua trajetoria na musica popular brasileira deveria ser respeitada e reverenciada por todos os brasileiros. Gal hoje é uma senhora... a senhora da voz e como tal: uma grande Diva, que ainda canta e encanta centenas de pessoas no Brasil e no exterior, onde sua carreira é muito bem respeitada e sua agenda sempre repleta de grandes espetaculos.
Abraços Mauro,
Guto

9 de maio de 2009 01:48  
Anonymous Dina Azevedo said...

Gal Costa é uma das RARAS cantoras brasileiras de nível internacional.
Aqui, toda fêmea canta, mas quase nenhuma em condições de dividir a cena com uma artista do porte de Ms Warwick.

9 de maio de 2009 09:28  
Anonymous Anônimo said...

tenho orgulho de ser do chão desta maravilhosa artista.
uma das maiores cantoras q este planeta já viu.
douglas cigarra

9 de maio de 2009 11:07  
Anonymous Anônimo said...

Quando resolve colocar os pingos nos is, esta mulher aparece para separar o joio do trigo.
Algumas interpretações como Dora (songbook Caymmi), Eu Te Amo (Doces Bárbaros), Vaca Profana são apenas arrebatadoras. Ocorreram-me estas três quase que ao acaso, apenas para ilustrar a diferenciação e opulência desta grande artista brasileira.
Sinto-me envaidecido - ufanista que sou - quando a sei reverenciada nos palcos mais eloquentes do planeta. Não vejo a hora de recebê-la em SPaulo, cidade que sempre soube valorizar o talento e principalmente a beleza.

No Brasil, Gal Costa é incomparável!

9 de maio de 2009 11:48  
Anonymous ari said...

Alguém duvida que Gal Costa é a maior cantora brasileira em atividade? Já surgiu, inclusive, com o epíteto de grande, afiada, ouvido de ouro e diamantes na garganta. Desde sempre. Gal nasceu pronta.
Mal apareceu, foi reconhecida de imediato pelos homens justos; João Gilberto é apenas um exemplo.
Honrem-se nossas Nana (arrepiante), Bethânia (incomparável eloquência), Zizi (uma lâmina afiada), Leny (pura ginga), mas Gal Costa é CANTORA aqui e em qualquer lugar deste universo vasto.
E com Dionne (outro gigante)esteve irretocável.

9 de maio de 2009 17:00  
Anonymous Anônimo said...

Aviso: não é saudosismo, é bom senso:
GAL, ELIS E BETHÂNIA: esta, a SANTÍSSIMA TRINDADE da MPB. Ainda.
Fazer o quê?!
Quisera eu que aparecesse garotas deste gabarito. Infelizmente não é o que se vê (ou ouve...)

10 de maio de 2009 07:37  
Anonymous Anônimo said...

Gal é soberana. Dionne Warwick tb.
Este encontro só poderia mesmo ser o que foi: deslumbrante.

10 de maio de 2009 11:26  
Anonymous Anônimo said...

Ocioso discutir se Gal é a maior cantora brasileira. Gal é uma das maiores do mundo.

10 de maio de 2009 13:31  
Anonymous Anônimo said...

anônimo 7.37, corroborando suas palavras, darei como exemplos:

gal: vaca profana, as vitrines

elis: na baixa do sapateiro, aos nossos filhos

bethânia: vida, gita

10 de maio de 2009 17:30  
Anonymous Anônimo said...

Ari,concordo com você,exceto quanto a Nana.Ela não tem nada a ver com qualquer uma cantora dessas citadas ou com qualquer outra de qualquer época.É uma outra praia de uma outra praia de outra praia...Não há como comparar!E não há nenhum detalhe que se possa comparar.Até João Gilberto é comparável ao Chet Baker.Nana ainda sera motivo de muito estudo e muitas incompreensões.P.S.E VIVA GAL!!!

11 de maio de 2009 10:29  
Anonymous leo said...

Gostei imenso da repaginada de Gal.
De resto, tudo dito aqui: a maior cantora nacional talvez seja a única verdadeiramente internacional.

11 de maio de 2009 14:55  
Anonymous Fabio said...

Consciente a declaração de Elis quando disse: neste país só cantam duas... Gal e Eu. pra mim não existe nada mais completo no mundo doque as vozes e as carreiras dessas duas cantoras. Não gosto Da Bethania.. do seu tom místico e ao mesmo tempo brega, no palco ao invés de emoção, vemos uma cantora que parece transfigurar-sse como uma entidade, não gosto de cantoras que exploram esta vertente.

12 de maio de 2009 21:45  
Anonymous Anônimo said...

Fabio,essa declaração de Elis é das coisas mais infelizes e arrogantes que a MPB já escutou.Ao contrário de Bethânia,Elis vendia pouco,daí sua ira.Como Gal sempre foi gracinha,mansa e nunca ameaçava ninguém,tinha mais afetos.Fora que Bethania sempre foi muito mais dona de seu nariz que Elis.

13 de maio de 2009 09:33  
Anonymous Anônimo said...

De fato Elis era e continua sendo a maior cantora deste país, mais concordo com o anônimo das 9:33, essa declaração foi infeliz. Adimiro muito a postura de Bethania que além de discreta, nunca alimentou essa rivalidade nutrida pelos fãs e pela mídia.

13 de maio de 2009 12:30  
Anonymous Fabio said...

Ela podia até vender pouco, não sei da onde você tirou isso, mais seu prestigio, seus espetáculos antológicos como Falso brilhante, Trem Azul e o fino da bossa, estes, sempre eram os melhores shows do ano pela critica especializada. Não acho sua declaração arrogante, mais sim sincera, embora que antiética.

13 de maio de 2009 12:38  
Anonymous Anônimo said...

Fabio,Bethania como espetáculo é modelo e referência desde sempre.Antes de Elis.Já nasceu uma estrela potencial em cena.Elis não vendia o tanto quanto merecia e pelo tanto quanto foi exposta suas qualidades em toda mídia.Bethania sempre teve um maior público.E sempre foi muito mais na sua.E a declaração dela é arrogante no sentido de uma altivez peculiar a natureza de Elis,claro,mas se fez pior porque denota uma fragilidade,uma insegurança de quem não precisava temer nada em relação ao seu próprio talento.Quem não deve não teme e fica na sua.

13 de maio de 2009 15:16  
Anonymous Fabio said...

Prezado anônimo, não cabe aqui debatermos sobre as qualidades de Elis e Bethania, quando me referir a esta, foi só porque quis expor meu gosto pessoal. entretanto é interessante você saber que quando Bethania explodiu timidamente em 65quando substituiu a cantora e violonista Nara Leão no espetáculo Opinião e com a canção carcará, Elis, Ja era uma grande estrela com o seu estilo musical interpretado ao longo da carreira que percorria o "fino da bossa nova", firmando-se como uma das maiores referências vocais deste gênero e aos poucos, depois com o seu estilo MPB, pautado por um hibridismo ainda mais urbano e 'popularesco' que a bossa nova, distanciando-se das raízes do jazz americano. Já no samba consagrou Tiro ao Álvaro e Iracema (Adoniran Barbosa), fora a uniformidade vocal, primazia técnica e uma afinação a toda prova.
Durante os anos 70, enquanto Bethania se enturmava com sua tipica banda de hippie "Doces Bárbaros", Elis aprimorou constantemente a técnica e domínio vocal, registrando em discos de grande qualidade técnica parte do melhor da sua geração de músicos, Sempre engajada politicamente,seja participando de uma série de movimentos de renovação política e cultural brasileira, com voz ativa da campanha pela Anistia, sem contar que foi Elis quem também lançou boa parte dos compositores até então desconhecidos, como Milton Nascimento, Renato Teixeira, Tim Maia, Gilberto Gil, João Bosco e Aldir Blanc, Sueli Costa. Portanto meu caro se Elis ainda estive-sse viva concerteza teria continuado sua trajetoria brilhante,que mesmo interrompida precocimente, ainda nos faz crer, que nunca existiu uma cantora igual a ela.

13 de maio de 2009 20:05  
Anonymous Anônimo said...

consciente foi a declaração de Gal numa entrevista a revista istoe, quando perguntada se há rivalidade entre ela e Bethania, esta respondeu: Nunca. Respeitamos nossas diferenças. Cada uma tem sua marca. Nunca vou ter coisas que ela tem. E Bethânia nunca vai ter coisas que tenho. Na maturidade, você é o que é,
não precisa competir. Temos caráter. Perguntada qual é a maior cantora do Brasil, ela majestosamente, mais uma vez, respondeu: Sou uma das grandes do Brasil. Dizem que sou uma das melhores do mundo, mas tenho aquela ética libriana
que me impede de repetir isso. Sou diferente da Elis,
que se dizia a maior. Bethânia, Nana Caymmi e Zizi Possi também são ótimas cantoras.
Isso sim é ser consciente! Acorda Fabio!

13 de maio de 2009 20:59  
Blogger Fabiana said...

Mas me digam gente, Elis mentiu???Na minha opinião, quem fala a verdade não merece castigo. E a Pimentinha, cantou como ninguém. Na realidade, quem nasceu pra Maria Bethania, nunca chegará à Elis Regina!

E o que dizer de Cauby Peixoto... Certa vez, indagado sobre quem seria o maior cantor do Brasil, respondeu: " O segundo maior é o Emílio Santiago..."

Quem pode, pode...

13 de maio de 2009 22:21  
Anonymous Anônimo said...

Fabio,Bethania não explodiu timidamente.E não quero comparar Elis a Bethania porque são tão diferenciado seus trabalhos,timbres de voz,intenção interpretativa etc,etc.Poderia citar milhões de qualidades maiores em Bethania.Mas não seriam importantes e interessantes para voce,porque e por isso preferes Elis.Todos sabem que uma das grandes tristezas de Elis no fim de sua breve passagem por esse mundo era como a MPB de qualidade estava se extinguindo dos grandes meios de comunicação.Vendia pouco em relação ao que investiam nela.As gravadoras e produtores estavam cobrando ostensivamente.E eu acho que morreu também muito por essa cobrança.Quem sabe como mito teve sorte de morrer no auge e na hora certa.Eu a preferiria viva,como Bethania,Gal e Nana.Amigas,irmãs e companheiras,conscientes do papel fundamental e peculiar de cada uma.

14 de maio de 2009 12:03  
Anonymous Fabio said...

Anônimo das 12:03, parabéns pela sua educação e colocações, que embora eu discorde, deixo aqui meu regsitro e adimiração pela sua diplomacia. Há se todos aqui fossem assim....

14 de maio de 2009 21:48  

Postar um comentário

<< Home