22 de janeiro de 2010

One Life Stand traz Hot Chip pop e melancólico

Resenha de CD
Título: One Life Stand
Artista: Hot Chip
Gravadora: EMI Music
Cotação: * * * 1/2

Quarto álbum do Hot Chip, One Life Stand tem lançamento agendado para 1º de fevereiro de 2010, via EMI Music, mas já caiu na rede. Como já sinaliza a primeira de suas 10 faixas, Thieves in the Night, inebriante em seus 6 minutos e nove segundos, o quinteto inglês retorna ao disco com som mais pop, orgânico e dançante. Guinada, a rigor, já esboçada no terceiro álbum da banda de electro-pop, Made in the Dark (2008). A diferença reside na dose mais alta de melancolia que tempera temas como I Feel Better - tema no qual, afinal, não são tão perceptíveis assim as alardeadas influências de registros de Susan Boyle (I Dreamed a Dream) e Madonna (La Isla Bonita). É fato que o encanto da primeira faixa diminui um pouco na segunda, Hand me Down your Love, mas, no todo, One Life Stand é álbum interessante. Pode não trazer uma música tão irresistível quanto Over and Over - o megahit do segundo álbum do Hot Chip, The Warning (2006) - porém o conjunto da obra é digno de muitos elogios. De climas sintetizados, a faixa-título, One Life Stand, tem seu charme nos vocais sobrepostos. Na boa sequência, Brothers aprofunda o tom melancólico que norteia One Life Stand (tanto o álbum como a música que lhe dá nome), direcionando o electro-pop do Hot Chip para outras pistas (no caso de Brothers, com direito a um piano). Dentre as baladas, Slush é o maior destaque. Entoada a duas vozes, Slush tem belo instrumental pautado pela delicadeza. Enfim, a banda de Alexis Taylor segue em trilha ascendente na cena (electro)pop - como, aliás, já indicara Take it in, primeiro single deste One Life Stand, álbum sedutor e coerente com o Hot Chip.

2 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Quarto álbum do Hot Chip, One Life Stand tem lançamento agendado para 1º de fevereiro de 2010, via EMI Music, mas já caiu na rede. Como já sinaliza a primeira de suas 10 faixas, Thieves in the Night, inebriante em seus 6 minutos e nove segundos, o quinteto inglês retorna ao disco com som mais pop, orgânico e dançante. Guinada, a rigor, já esboçada no terceiro álbum da banda de electro-pop, Made in the Dark (2008). A diferença reside na dose mais alta de melancolia que tempera temas como I Feel Better - tema no qual, afinal, não são tão perceptíveis assim as alardeadas influências de registros de Susan Boyle (I Dreamed a Dream) e Madonna (La Isla Bonita). É fato que o encanto da primeira faixa diminui um pouco na segunda, Hand me Down your Love, mas, no todo, One Life Stand é álbum interessante. Pode não trazer uma música tão irresistível quanto Over and Over - o megahit do segundo álbum do Hot Chip, The Warning (2006) - porém o conjunto da obra é digno de muitos elogios. De climas sintetizados, a faixa-título, One Life Stand, tem seu charme nos vocais sobrepostos. Na boa sequência, Brothers aprofunda o tom melancólico que norteia One Life Stand (tanto o álbum como a música que lhe dá nome), direcionando o electro-pop do Hot Chip para outras pistas (no caso de Brothers, com direito a um piano). Dentre as baladas, Slush é o maior destaque. Entoada a duas vozes, Slush tem belo instrumental pautado pela delicadeza. Enfim, a banda de Alexis Taylor segue em trilha ascendente na cena (electro)pop - como, aliás, já indicara Take it in, primeiro single deste One Life Stand, álbum sedutor e coerente com o Hot Chip.

22 de janeiro de 2010 19:25  
Anonymous Wagner said...

Belo álbum Hot Chip. Canções bem trabalhadas, vocais delicados e contagiantes, bom uso de sintetizadores e um clima melancólico fazem o disco irresistível para o verão (por aqui). Onde Life Stand, I Fell Better, Take It In, Brothers e Slush já valem o álbum.

28 de janeiro de 2010 15:24  

Postar um comentário

<< Home