1 de dezembro de 2009

'Michael N'Bossa' chega - oportunista - ao Brasil

Michael N'Bossa é disco que foi produzido em 2007 por Roberto Menescal - ao lado de Flávio Mendes, Eli Menezes e Raymundo Bittencourt - para o receptivo mercado japonês, ávido consumidor da bossa cinquentenária. Já lançado em 2008 no Japão, o disco ganha edição brasileira cuja intenção - oportunista - parece ser tão somente faturar com o culto ao Rei do Pop. Como seu título já faz supor, Michael N'Bossa reúne releituras de hits de Michael Jackson (1958 - 2009) em ritmo de bossa requentada. Menescal suaviza Michael nas vozes de Barbara Mendes (Billie Jean), Cris Delano (Beat It), Lulu Joupert (Thriller), Marcela Mangabeira (Human Nature e Rock with You) e Dudu Braga (Lady in my Life e Off the Wall), entre outros cantores de seu habitual time vocal. É tributo dispensável no Brasil, no Japão e em qualquer outro país...

10 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Michael N'Bossa é disco que foi produzido em 2007 por Roberto Menescal - ao lado de Flávio Mendes, Eli Menezes e Raymundo Bittencourt - para o receptivo mercado japonês, consumidor ávido da bossa cinquentenária. Já lançado em 2008 no Japão, o disco ganha edição brasileira cuja intenção - oportunista - parece ser tão somente faturar com o culto ao Rei do Pop. Como seu título já faz supor, Michael N'Bossa reúne releituras de hits de Michael Jackson (1958 - 2009) em ritmo de bossa requentada. Menescal suaviza Michael nas vozes de Barbara Mendes (Billie Jean), Cris Delano (Beat It), Lulu Joupert (Thriller), Marcela Mangabeira (Human Nature e Rock with You), Dudu Braga (Lady in my Life e Off the Wall), entre outros cantores de seu habitual time vocal. É tributo dispensável no Brasil, no Japão e em qualquer outro país...

1 de dezembro de 2009 09:20  
Anonymous Anônimo said...

Nossa Mauro, quanta amargura no coração...Deixa a arte fluir...Se fosse um pagodeiro ou setanejo eu até entenderia você...mas é bossa e Menescal..tem seu valor!

1 de dezembro de 2009 09:31  
Anonymous Anônimo said...

É discutível, mas é uma situação de mercado. O produto já existia. Por que não lançar ?

1 de dezembro de 2009 10:22  
Blogger André Luís said...

O projeto já existia, mas não deixa de ser oportunista, além de dispensável. Aliás, esse negócio de colocar tudo quanto é artista (de diversos gêneros) em "formato Bossa pasteurizada" é coisa pra japonês mesmo, que não sabe o que uma verdadeira Bossa, coitados...

Aproveitando a ocasião, permitam-me indicar um trabalho NOVO de "Bossa realmente Nova": procurem o trabalho chamado "Planos", álbum de 2005 do cantor e compositor mineiro Renato Motha (com a cantora e compositora Patrícia Lobato). Curiosamente editado no Japão (com eles sim, o japonês soube admirar o que é Bossa Nova! rsrs).

1 de dezembro de 2009 11:14  
Anonymous Anônimo said...

"mas é bossa e Menescal..tem seu valor!" essa é boa...

Anos atrás, em 2007 se não me engano, aportou em Belo Horizonte um show que prometia "dar uma cara especial" à bossa nova; acompanhado da cantora espanhola Montserrat, Menescal mesclava bossa nova com... bolero. Recendeu naftalina em todo o complexo do teatro. No meio do show, um amigo que havia me convencido a acompanhá-lo, sussurrou: o que estamos assistindo aqui é o assassinato da Bossa Nova.

Por isso não me assusta nem um pouco essa nova associação de Menescal fazendo bossa c/ Michael Jackson... Daqui a pouco ele pega um outro ícone pop ou algum outro estilo musical e mete ali a cordas da bossa nova, por que como o Mauro bem disse: vale, nada mais, do que ganhar uns trocados em cima. Nada mais.

Rodrigo

1 de dezembro de 2009 16:24  
Anonymous Anônimo said...

Rodrigo! Lamentável sua falta de conhecimento e sensibilidade. Fico por aqui mesmo!!

1 de dezembro de 2009 18:02  
Anonymous Anônimo said...

Não deveria ficar por aí. Deveria expor os motivos que te levam a discordar do que falei. Acho difícil, mas quem sabe assim não me convenceria?

2 de dezembro de 2009 12:53  
Blogger MidnightShift said...

Peralá, Mauro. Se o disco foi lançado em 2007, ele não tem nada de oportunista.
Quanto ao lançamento somente agora no Brasil... bem, será que pode existir apenas "lançamento" oportunista???
No meu entender, o lançamento é oportuno e fiquei curioso em ouvir.

5 de dezembro de 2009 15:16  
Anonymous Anônimo said...

O Menescal é um ótimo músico e compositor, vide "Bye, bye Brasil" e tantas outras. Lamentável ele entrar nesse filão de gravar tudo qualquer coisa em bossa nova. Muda o disco, Menescal!

7 de dezembro de 2009 10:56  
Blogger MIster Teles, o Musical said...

Fiquei curioso pra ouvir, alguem saberia me dizer onde eu posso baixa-lo?

19 de janeiro de 2010 18:07  

Postar um comentário

<< Home