22 de novembro de 2009

Voz e presença de Joss seduzem a arena carioca

Resenha de Show
Título: Colour me Free Tour
Artista: Joss Stone (em foto de Mauro Ferreira)
Local: HSBC Arena (RJ)
Data: 21 de novembro de 2009
Cotação: * * * * 1/2
Em cartaz em São Paulo - SP (22 de novembro, no HSBC Brasil)

e em Curitiba - PR (23 de novembro, no Teatro Positivo)

Em sua segunda vinda ao Rio de Janeiro (RJ), Joss Stone fez um show tão cativante quanto a apresentação que eletrizou a casa Vivo Rio (RJ) em 13 de junho de 2008. De vestido curto, a cantora britânica seduziu de imediato o público que compareceu à HSBC Arena na noite de sábado, 21 de novembro de 2009, por conta de seu vozeirão e de sua (bela) presença. Já no primeiro (tradicional) número de abertura, Super Duper Love (Are You Diggin' on me?), a cantora mostrou a que veio. Elétrica, andando de um lado a outro do palco, Joss deu na arena carioca o pontapé inicial da turnê promocional de seu quarto álbum, Colour me Free, de cujo repertório - mais voltado para o soul - extraiu músicas como Free me para montar o roteiro que agrega hits de seus três discos anteriores. Put your Hands on me - petardo do terceiro álbum da artista, Introducing Joss Stone (2007) - foi um dos muitos destaques do show turbinado por banda afiada que destacou um duo de metais (responsável em parte pela pulsação inebriante dos arranjos) e os três vocalistas diplomados na escola soul da qual a cantora é mestra precoce, desde que surgiu no mercado em 2003.

A julgar pela estreia mundial, os shows da Colour me Free Tour terão dose ligeiramente mais alta de baladas, apesar da omissão de Right to Be Wrong. Foi, aliás, durante uma balada, Tell me What We're Gonna Do Now, que uma Bandeira do Brasil foi arremessada ao palco da arena carioca e, na sequência, pendurada por Joss no pedestal do microfone. Visivelmente feliz, a cantora interagiu com o público, badalou as boas músicas novas (Incredible e I Believe It to my Soul, entre elas) e manteve o pique até o bloco final, que destacou You Had me, hit de seu segundo álbum Mind, Body & Soul (2004). Mas teve bis, claro. E não somente um, como de praxe. O público pediu um segundo bis e foi atendido. Nessa parte adicional, um dos trunfos da excelente apresentação carioca de estrela inglesa foi Big Ol' Game, música adicionada como faixa-bônus em edições especiais do CD Introducing Joss Stone e incluída novamente em Colour me Free. Big Ol' Game cresce no palco. Muito por conta do total domínio da cantora em cena. Joss Stone tem corpo e ar de top model, mas, quando abre a boca para soltar o vozeirão negróide, o que se ouve é uma cantora que vai com sede aos potes do soul e do r & b. Unidas no palco, sua voz e sua bela presença resultaram em show cativante, feito na pressão.

6 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Em sua segunda vinda ao Rio de Janeiro (RJ), Joss Stone fez um show tão cativante quanto a apresentação que eletrizou a casa Vivo Rio (RJ) em 13 de junho de 2008. De vestido curto, a cantora britânica seduziu de imediato o público que compareceu à HSBC Arena na noite de sábado, 21 de novembro de 2009, por conta de seu vozeirão e de sua (bela) presença. Já no primeiro (tradicional) número de abertura, Super Duper Love (Are You Diggin' on me?), a cantora mostrou a que veio. Elétrica, andando de um lado a outro do palco, Joss deu na arena carioca o pontapé inicial da turnê promocional de seu quarto álbum, Colour me Free, de cujo repertório - mais voltado para o soul - extraiu músicas como Free me para montar o roteiro que agrega hits de seus três álbuns anteriores. Put your Hands on me - petardo do terceiro álbum da artista, Introducing Joss Stone (2007) - foi um dos muitos destaques do show turbinado por banda afiada que destacou um duo de metais (responsável em parte pela pulsação inebriante dos arranjos) e os três vocalistas diplomados na escola soul da qual a cantora é mestra precoce desde que surgiu no mercado em 2003.

A julgar pela estreia mundial, os shows da Colour me Free Tour terão dose ligeiramente mais alta de baladas. Caso da inevitável Right to Be Wrong. Foi, aliás, durante uma balada, Tell me What We're Gonna Do Now, que uma Bandeira do Brasil foi arremessada ao palco da arena carioca e, na sequência, pendurada por Joss no pedestal do microfone. Visivelmente feliz, a cantora interagiu com o público, badalou as boas músicas novas (Incredible e I Believe It to my Soul, entre elas) e manteve o pique até o bloco final, que destacou You Had me, hit de seu segundo álbum Mind, Body & Soul (2004). Mas teve bis, claro. E não somente um, como de praxe. O público pediu um segundo bis e foi atendido. Nessa parte adicional, um dos trunfos da excelente apresentação carioca de estrela inglesa foi Big Ol' Game, música adicionada como faixa-bônus em edições especiais do CD Introducing Joss Stone e incluída novamente em Colour me Free. Big Ol' Game cresce no palco. Muito por conta do total domínio da cantora em cena. Joss Stone tem corpo e ar de top model, mas, quando abre a boca para soltar o vozeirão negróide, o que se ouve é uma cantora que vai com sede aos potes do soul e do r & b. Unidas no palco, sua voz e sua bela presença resultam num show cativante, cheio de energia.

22 de novembro de 2009 11:06  
Blogger MidnightShift said...

A Joss é incrível e ainda tem muita carreira pela frente. Sorte nossa!!

22 de novembro de 2009 11:37  
Anonymous Bia said...

ADoro!!!! Linda!! e canta pra cacete! um pop bom! coisa que os tupiniquins não sabem fazer.. pena

22 de novembro de 2009 11:58  
Anonymous Anônimo said...

Joss é ótima, seus discos são de imensa qualidade, essa tem muito futuro ainda. Infelizmente não pude ir ao show dela dessa vez no Brasil, mas da próxima vez pretendo estar lá pra aplaudir essa grande estrela.

22 de novembro de 2009 13:30  
Anonymous Anônimo said...

Só não foi perfeito devido à ausência de "Right to be wrong", que estava no set-list, mas que, na hora, ficou de fora.

Mas foi maravilhoso. É uma artista completa como poucas.

23 de novembro de 2009 09:11  
Anonymous Denilson said...

Gostaria muito de ter ido. Sou super fã da Joss Stone. Mas o preço do ingresso estava meio salgado.

Mas gostei de saber que o show foi legal. Bom para quem foi.

abração,
Denilson

23 de novembro de 2009 14:54  

Postar um comentário

<< Home