27 de agosto de 2009

Rio de Montarroyos deságua em disco póstumo

Uns anos antes de sair de cena, Márcio Montarroyos (1948 - 2007) vinha pesquisando sons eletrônicos e trabalhando num disco que chega ao mercado de forma póstuma, dois anos após a morte do trompetista, um dos mais gabaritados da cena instrumental brasileira. Finalizado pelo saxofonista (e amigo) Leo Gandelman, que esteve com o colega quase diariamente em seu último mês de vida, O Rio e o Mar foi idealizado por Montarroyos em tributo à cidade do Rio de Janeiro (RJ). "O Rio é a minha cidade, minha casa e a minha fonte de inspiração", situa o músico em texto escrito para o repertório do disco. O repertório inclui temas autorais - como North Sea e Saco do Céu (Via Gávea) - entre standards da Bossa Nova (Rio e O Barquinho) e músicas do maestro e tecladista Gilles Cardoni, que assina a produção do álbum ao lado de Márcio.

2 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Uns anos antes de sair de cena, Márcio Montarroyos (1948 - 2007) vinha pesquisando sons eletrônicos e trabalhando num disco que chega ao mercado de forma póstuma, dois anos após a morte do trompetista, um dos mais gabaritados da cena instrumental brasileira. Finalizado pelo saxofonista (e amigo) Leo Gandelman, que esteve com o colega quase diariamente em seu último mês de vida, O Rio e o Mar foi idealizado por Montarroyos em tributo à cidade do Rio de Janeiro (RJ). "O Rio é a minha cidade, minha casa e a minha fonte de inspiração", situa o músico em texto escrito para o repertório do disco. O repertório inclui temas autorais - como North Sea e Saco do Céu (Via Gávea) - entre standards da Bossa Nova (Rio e O Barquinho) e músicas do maestro e tecladista Gilles Cardoni, que assina a produção do álbum ao lado de Márcio.

27 de agosto de 2009 11:03  
Blogger Luanda said...

sabe,que eu ainda não acredito queo "General da Banda" se foi...saudades pra sempre.
beijo lusinho,
lu!

27 de agosto de 2009 11:53  

Postar um comentário

<< Home