27 de junho de 2009

Discos iniciais de Michael devem ser reeditados

Dois dias depois da (repentina) saída de cena de Michael Jackson (1958 - 2009), o mundo ainda chora a morte do Rei do Pop e arranca das prateleiras das lojas de discos todos os CDs (e DVDs) do artista. É óbvio que as duas empresas multinacionais que abrigam a obra fonográfica de Michael - a Universal Music (distribuidora do catálogo da Motown) e a Sony Music (companhia que abriga o selo Epic, por onde o cantor lançou seus álbuns da fase adulta) - correm contra o tempo para despejar nas lojas coletâneas e, no caso da Sony, repor em catálogo todos os títulos a partir de Off the Wall (1979). Contudo, o ideal seria que a comoção mundial provocada pela morte de Michael motivasse a Universal a reeditar no Brasil todos os 11 álbuns do Jackson 5 gravados com Michael. Bem como os quatro álbuns individuais lançados por Michael na carreira solo pré-Off the Wall. Quase nunca foi fácil encontrar nas prateleiras nacionais álbuns como Got to Be There (1972), Ben (1972 - capa acima à esquerda), Music and me (1973) e Forever, Michael (1975). Mesmo irregulares, tais discos (hoje raros) incluem vários hits do astro e ajudam a compreender a gênese e a longa evolução do Rei do Pop.

5 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Dois dias depois da (repentina) saída de cena de Michael Jackson (1958 - 2009), o mundo ainda chora a morte do Rei do Pop e arranca das prateleiras das lojas de discos todos os CDs (e DVDs) do artista. É óbvio que as duas empresas multinacionais que abrigam a obra fonográfica de Michael - a Universal Music (distribuidora do catálogo da Motown) e a Sony Music (companhia que abriga o selo Epic, por onde o cantor lançou seus álbuns da fase adulta) - correm contra o tempo para despejar nas lojas coletâneas e, no caso da Sony, repor em catálogo todos os títulos a partir de Off the Wall (1979). Contudo, o ideal seria que a comoção mundial provocada pela morte de Michael motivasse a Universal a reeditar no Brasil todos os 11 álbuns do Jackson 5 gravados com Michael. Bem como os quatro álbuns individuais lançados por Michael em sua carreira solo pré-Off the Wall. Nunca foi fácil encontrar nas prateleiras nacionais álbuns como Got to Be There (1971), Ben (1972 - capa acima à esquerda), Music and me (1973) e Forever, Michael (1975). Mesmo irregulares, tais discos (hoje raros) incluem vários hits do astro e ajudam a compreender a gênese e a longa evolução do Rei do Pop.

27 de junho de 2009 12:28  
Anonymous Anônimo said...

Já era de se esperar!!!!!
Olha o caça-niquel aí gente!!!!
A nova série de 9,90 que foi lançada com alguns artistas incluindo o "FINADO" hoje vc já encontra por mais de 40,00.
Um absurdo!!!

27 de junho de 2009 14:17  
Blogger Alan James said...

Mauro. Na verdade o Got To Be There foi recentemente reeditado aqui. Eu mesmo comprei em janeiro na Saraiva. Os outros sim continuam indisponíveis. Abraço!

27 de junho de 2009 17:43  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, comprei "Got To Be There" ano passado no Submarino, mas a qualidade sonora é sofrível...

28 de junho de 2009 22:20  
Blogger Alan James said...

Mauro, pode publicar: os discos iniciais do Michael serão reeditados numa caixa chamada Hello World, que vai ser lançada pelo selo Hip-O-Select, que faz relançamentos especiais e limitados da Motown, totalmente caprichados. Procure sobre a caixa no site deles. Lá tem todas as infos. Abraço!

30 de junho de 2009 22:25  

Postar um comentário

<< Home