28 de maio de 2009

Convidados animam o arraial populista do trio

Resenha de CD
Título: Isso Aqui Tá
Bom Demais
Artista: Trio Virgulino
Gravadora: LGK Music
Cotação: * * 1/2

Perto do período de festas juninas, as gravadoras põem nas lojas (as que restam) CDs voltados para o mercado que consome a música nordestina. É nesse contexto que se insere Isso Aqui Tá Bom Demais, disco do Trio Virgulino que soaria até trivial não fosse o time de convidados que aceitou gravar com Enok Virgulino (sanfona), Roberto Pinheiro (zabumba) e Adelmo Nascimento (triângulo). Alceu Valença, Dominguinhos, Leo Maia, Zeca Baleiro e Zélia Duncan valorizam o arrasta-pé do trio que, vez por outra, escorrega no terreno populista por abarcar no repertório músicas como Pelados em Santos e Melô da Pipa (Tá com Medo, Tabaréu), esta um hit do efêmero grupo Superbacanas cuja letra de duplo sentido até se ajusta no universo malicioso dos forrós. Das faixas gravadas com os convidados, a melhor é a que traz Alceu Valença, Forró Lunar, tema pouco batido de autoria do compositor pernambucano - de quem o trio regrava também Estação da Luz. Já o xote Eu Só Quero um Xodó - revisitado com Zélia Duncan - tem sua beleza diluída no ritmo acelerado moldado para os arrasta-pés. Lançado por Gilberto Gil em 1973, o xote é parceria de Anastácia com Dominguinhos, convidado de Pedras que Cantam, sucesso que deu título ao álbum lançado por Fagner em 1991. Já Zeca Baleiro chora as mágoas de Qui Nem Jiló no tom arretado do Trio Virgulino. Que lembra com Leo Maia o elo nordestino da obra do pai deste, Tim Maia (1942 - 1998), no medley que une Coroné Antonio Bento (1970) e A Festa do Santo Reis (1971), hits da fase áurea em que o Síndico juntava a pegada da soul music com o balanço dos ritmos genericamente rotulados como forró. Entre temas direcionados para as festas juninas (Chegada de São João e No Lume da Fogueira), o Trio Virgulino arma arraial no ritmo populista do mercado fonográfico nacional.

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Perto do período de festas juninas, as gravadoras põem nas lojas numerosos discos voltados para o mercado que consome a música nordestina. É nesse contexto que se insere Isso Aqui Tá Bom Demais, CD do Trio Virgulino que soaria trivial não fosse o time de convidados que aceitou gravar com Enok Virgulino (sanfona), Roberto Pinheiro (zabumba) e Adelmo Nascimento (triângulo). Alceu Valença, Dominguinhos, Leo Maia, Zeca Baleiro e Zélia Duncan valorizam o arrasta-pé do trio que, vez por outra, escorrega no terreno populista por abarcar no repertório músicas como Pelados em Santos e Melô da Pipa (Tá com Medo, Tabaréu), esta um hit do efêmero grupo Superbacanas cuja letra de duplo sentido até se ajusta no universo malicioso dos forrós. Das faixas gravadas com os convidados, a melhor é a que traz Alceu Valença, Forró Lunar, tema pouco batido de autoria do compositor pernambucano - de quem o trio regrava também Estação da Luz. Já o xote Eu Só Quero um Xodó - revisitado com Zélia Duncan - tem sua beleza diluída no ritmo acelerado moldado para os arrasta-pés. Lançado por Gilberto Gil em 1973, o xote é parceria de Anastácia com Dominguinhos, convidado de Pedras que Cantam, sucesso que deu título ao álbum lançado por Fagner em 1991. Já Zeca Baleiro chora as mágoas de Qui Nem Jiló no tom arretado do Trio Virgulino. Que lembra com Leo Maia o elo nordestino da obra do pai deste, Tim Maia (1942 - 1998), no medley que une Coroné Antonio Bento (1970) e A Festa do Santo Reis (1971), hits da fase áurea em que o Síndico juntava a pegada da soul music com o balanço dos ritmos genericamente rotulados como forró. Entre temas direcionados para as festas juninas (Chegada de São João e No Lume da Fogueira), o Trio Virgulino arma arraial no ritmo populista do mercado fonográfico nacional.

28 de maio de 2009 11:31  
Anonymous Anônimo said...

Triste ver o Trio Virgulino,de forró tradicional,embarcar no populismo.O popular já está bom demais.

28 de maio de 2009 15:48  
Anonymous Anônimo said...

Eles gravaram Pelados em Santos?
Que apelação.

28 de maio de 2009 21:21  

Postar um comentário

<< Home