11 de maio de 2009

Biscoito Fino entra no terreno popular com Elba

O recente lançamento pela Biscoito Fino do CD comemorativo dos 30 anos de carreira de Elba Ramalho, Balaio de Amor, impõe curioso desafio à mais importante gravadora indie do mercado fonográfico brasileiro: fazer o disco de Elba (em foto de Renato Filho) chegar ao seu principal público-alvo. Parece fácil, mas pode vir a ser difícil se não houver alteração na rota de distribuição. Até então, a Biscoito Fino sempre lançou CDs e DVDs dirigidos às chamadas elites. Até mesmo os recentes álbuns de Maria Bethânia e Chico Buarque - as duas maiores estrelas da companhia - foram trabalhos que não miravam o chamado povão. Não é o caso de Balaio de Amor, álbum em que Elba faz pulsar novamente sua veia popular com a gravação de canções e xotes românticos de pegada mais simples (nem por isso menos interessante). No seu nicho de mercado, centrado nas classes A e B, a Biscoito Fino sempre encontrou um público fiel, disposto a pagar mais por um produto de qualidade mais apurada. Inclusive na parte gráfica. Gente habituada a comprar discos pela internet. Mas o CD de Elba precisa chegar em outras classes e meios para encontrar o seu público. Se a gravadora vencer esse desafio, todos têm a ganhar...

19 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

O recente lançamento pela Biscoito Fino do CD comemorativo dos 30 anos de carreira de Elba Ramalho, Balaio de Amor, impõe curioso desafio à mais importante gravadora indie do mercado fonográfico brasileiro: fazer o disco de Elba (em foto de Renato Filho) chegar ao seu principal público-alvo. Parece fácil, mas pode vir a ser difícil se não houver alteração na rota de distribuição. Até então, a Biscoito Fino sempre lançou CDs e DVDs dirigidos às chamadas elites. Até mesmo os recentes álbuns de Maria Bethânia e Chico Buarque - as duas maiores estrelas da companhia - foram trabalhos que não miravam o chamado povão. Não é o caso de Balaio de Amor, álbum em que Elba faz pulsar novamente sua veia popular com a gravação de canções e xotes românticos de pegada mais simples (nem por isso menos interessante). No seu nicho de mercado, centrado nas classes A e B, a Biscoito Fino sempre encontrou um público disposto a pagar mais por um produto de qualidade mais apurada. Inclusive na parte gráfica. Gente habituada a comprar discos pela internet. Mas o CD de Elba precisa chegar em outras classes e meios para encontrar o seu público. Se a gravadora vencer esse desafio, todos têm a ganhar...

11 de maio de 2009 09:58  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, concordo que a BF cobra caro pelos seus produtos mas quando o produto é bom, tanto os que têm muito quanto os que têm menos o adquirem. A qualidade gráfica dos produtos da BF são incontestáveis mas eu, pessoalmente, assim como outras pessoas que conheço pagam mais caro pelos discos no formato tradiconal de box. Bom, se o disco de Elba for bom, não serão R$ 8,00 que o impedirão de atingir a classe menos favorecida. Agora... disco sem divulgação é difícil vender. Não adianta somente fabricar e colocar nas prateleiras.

11 de maio de 2009 11:24  
Anonymous Anônimo said...

Não encontro o CD da Nana Caymi por exemplo nas lojas populares. Como querem vender assim?

11 de maio de 2009 12:24  
Anonymous Anônimo said...

Acredito que Elba transita com desenvoltura pelos públicos de classe A e B.
Acho que é uma das poucas artistas brasileiras que podem se apresentar no Bourbon Street de SP e numa feira agropecuária.
O problema é que este CD é bem sem gração...de A a Z

11 de maio de 2009 13:13  
Anonymous Anônimo said...

Nas grandes cidades como Sao Paulo - que não têm São João - quem deu status e prestígio à Elba não foram as classes menos favorecidas, Mauro.
Estas jamais poderiam assisti-la nos Palaces da vida, onde ela apresentou alguns de seus melhores espetáculos,e onde firmou seu estilo para o público que - hoje - consome os produtos da Biscoito.

11 de maio de 2009 16:11  
Anonymous Anônimo said...

Até parece que as classes C e D ainda comprar CD original.

11 de maio de 2009 16:44  
Anonymous Moisés said...

Os CDs da Biscoito não tem maior qualidade no encarte e som que muitos outros que cobram a metade do preço.

11 de maio de 2009 16:49  
Anonymous Léo said...

"Os CDs da Biscoito não tem maior qualidade no encarte e som que muitos outros que cobram a metade do preço"

"Acho que é uma das poucas artistas brasileiras que podem se apresentar no Bourbon Street de SP e numa feira agropecuária."

Concordo com as duas afirmações.

Elba se apresentou em grandes casas de espetáculo, mas é bom lembrar q também alcançava o povo q não tinha condições de frequentar esses lugares. Certamente não era APENAS nos Palaces da vida em q apresentava seus shows.

Esse novo CD realmente tem condições de ser mais popular do q os produtos q a Biscoito Fino costuma lançar. Também espero q haja um empenho em fazer com q o disco chege ao público. Mas com preços acima da média, acho difícil... E é lamentável não encontrar produtos da Biscoito Fino nas Lojas Americanas, por exemplo (de vez em quando tem os da Bethânia, e olhe lá).

11 de maio de 2009 17:25  
Blogger PedroPeter said...

podem começar baixando o preço do cd.

11 de maio de 2009 18:15  
Anonymous Anônimo said...

Sobre a parte gráfica da Biscoito Fino vale um comentário. A BF já foi impatível neste quesito. Mas atualmente tem deixado muito a desejar. É só conferir, por exemplo, o excelente CD / DVD do Toquinho e MPB4. A parte gráfica é lamentável. E outros recentes lançamentos da BF estão com parte gráfica bem abaixo da média.

11 de maio de 2009 18:20  
Anonymous Anônimo said...

eh soh comprar no próprio site da biscoito fino,o cd da elba por ex tah 26,90, enquanto na saraiva 34,90.

11 de maio de 2009 19:37  
Anonymous Anônimo said...

Concordo com você Mauro. A BF precisa urgente fazer chegar - BALAIO DE AMOR, aos grandes magazines. Elba vende muito CD no período junino, principalmente no Nordeste. Se bem divulgado o CD será sucesso. Mãos a obra BISCOITO FINO! Nivaldo Oliveira.

11 de maio de 2009 20:11  
Blogger Vitor said...

Lembro que quando a biscoito fino apareceu no mercado seus cds tinham um valor abaixo da media do mercado, custavamo todos 19,50 se nao me engano, enquanto todos os outros estavam por mais de 30. Hoje o q vejo é um movimento contrario, os cds custam menos em todo mercado, enquanto os da biscoito ficaram mais caros

11 de maio de 2009 22:06  
Blogger Vitor said...

Sem contar que a BF está usando um material péssimo, a cola nunca segura a estrutura do cd e acaba tudo se soltando, quem tem cd BF sabe o q to dizendo

11 de maio de 2009 22:07  
Anonymous Anônimo said...

Vitor tem razão. Meu Mar de Sophia fez água há muito.

Mas Elba tem um público bastante razoável entre a galera que consome BF. Pobre não compra CD há um bom tempo. E ainda acha babaca quem não frequenta os camelôs.

12 de maio de 2009 09:27  
Anonymous Anônimo said...

Eu comprei em numa loja em SBC, paguei R$35,00 e não tem nas americanas do abc. A divulgação e distribuição da BF precisa ser revista.
Eduardo Cáffaro. SP

12 de maio de 2009 21:31  
Anonymous Anônimo said...

Acho que a BF já vinha faznedo um trabalho diferente com os artistas do catálogo. Por exemplo, moro no Sul de Minas, e aqui apesar de nunca se encontrar nada da BF, os CDs da Bethânia, da Simone com a Zélia Duncan e até do Chico Buarque, consegúimos encontrar com facilidade. Acho que o critério será utilizado com Elba também.

13 de maio de 2009 00:33  
Anonymous Anônimo said...

O público de classe Z compra Calypso, não compra Elba.

13 de maio de 2009 13:00  
Anonymous Anônimo said...

A arte gráfica do CD da Elba está muito bonito, e de muito bom gosto, as fotos foram realizado por Renato Filho, grande fotografo pernambucano.

13 de maio de 2009 17:53  

Postar um comentário

<< Home