20 de abril de 2009

'Simplesmente' reafirma talento zen de Nenung

Resenha de CD
Título: Simplesmente
Artista: Os the
Darma Lóvers
Gravadora: Dubas Música
Cotação: * * * 1/2

Vale o clichê: somente o fato de ter nascido e crescido bem longe demais das capitais - ou seja, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul - explica a repercussão ainda moderada do grupo Os The Darma Lóvers na cena pop brasileira. Cultuada no universo indie, inclusive na Europa, onde fez turnê em 2008 para lançar o CD Laranjas do Céu, a banda gaúcha lança seu quarto álbum, Simplesmente, pronta para migrar para o mainstream com seu folk rock de tonalidade zen. O cerébro bastante criativo dos Darma Lóvers é Nenung, o autor solitário de 11 das 12 faixas do disco produzido pela dupla Berna Ceppas & Kassin (a exceção é Júlia, uma parceria de Nenung com o guitarrista 4Nazzo). Simplesmente reafirma a inspiração de Nenung, cujas letras pairam acima da média do mundo pop brasileiro. Em A Teia da Tela, por exemplo, Nenung aborda poeticamente a solidão acentuada pela aparente integração da era virtual. A faixa-título, Simplesmente, consegue a proeza de soar original ao tratar do tema mais batido das canções: o amor. No todo, o CD soa coeso e, ao menos, duas músicas de seu repertório já nascem instantaneamente clássicas: Canção para Minha Morte e O Homem que Calculava. É fato que nem todas as melodias estão à altura das letras, mas Os The Darma Lóvers fazem jus à aura de modernidade alimentada em torno de seu nome ao longo dos últimos anos na cena indie nacional. E Simplesmente - disco que agrega na ficha técnica nomes como Moreno Veloso, que toca cello em faixas como Sra. Saudade da Silva e A Lógica da Liberdade - tem cacife para expandir tal aura. Merece atenção.

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Vale o clichê: somente o fato de ter nascido e crescido bem longe demais das capitais - ou seja, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul - explica a repercussão ainda moderada do grupo Os The Darma Lóvers na cena pop brasileira. Cultuada no universo indie, inclusive na Europa, onde fez turnê em 2008 para lançar o CD Laranjas do Céu, a banda gaúcha lança seu quarto álbum, Simplesmente, pronta para migrar para o mainstream com seu folk rock de tonalidade zen. O cerébro bastante criativo dos Darma Lóvers é Nenung, o autor solitário de 11 das 12 faixas do disco produzido pela dupla Berna Ceppas & Kassin (a exceção é Júlia, parceria de Nenung com o guitarrista 4Nazzo). Simplesmente reafirma a inspiração de Nenung, cujas letras pairam acima da média do mundo pop brasileiro. Em A Teia da Tela, por exemplo, Nenung aborda poeticamente a solidão acentuada pela aparente integração da era virtual. A faixa-título, Simplesmente, consegue a proeza de soar original ao tratar do tema mais batido das canções: o amor. No todo, o CD soa coeso e, ao menos, duas músicas de seu repertório já nascem instantaneamente clássicas: Canção para Minha Morte e O Homem que Calculava. É fato que nem todas as melodias estão à altura das letras, mas Os The Darma Lóvers fazem jus à aura de modernidade alimentada em torno de seu nome ao longo dos últimos anos na cena indie nacional. E Simplesmente - disco que agrega na ficha técnica nomes como Moreno Veloso, que toca cello em faixas como Sra. Saudade da Silva e A Lógica da Liberdade - tem cacife para expandir tal aura. Merece atenção.

20 de abril de 2009 10:47  

Postar um comentário

<< Home