3 de abril de 2009

Biscoito Fino (re)edita 'Jobim Violão', de 2007

Lançado originalmente em 2007, o cult primeiro CD solo do violonista Arthur Nestrovski, Jobim Violão, está sendo reeditado pela gravadora Biscoito Fino neste mês de abril de 2009. Dedicado à obra de Antonio Carlos Jobim (1927 - 1994), o álbum apresenta 14 registros do repertório do Maestro Soberano em arranjos para violão, adaptados por Nestrovski a partir das partituras para piano publicadas no Cancioneiro Jobim (2000). A seleção inclui Luiza, Lígia, Insensatez, Por Toda a Minha Vida, Se Todos Fossem Iguais a Você e o obscuro tema instrumental Rancho nas Nuvens.

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Lançado originalmente em 2007, o cult primeiro CD solo do violonista Arthur Nestrovski, Jobim Violão, está sendo reeditado pela gravadora Biscoito Fino neste mês de abril de 2009. Dedicado à obra de Antonio Carlos Jobim (1927 - 1994), o álbum apresenta 14 registros do repertório do Maestro Soberano em arranjos para violão, adaptados por Nestrovski a partir das partituras para piano publicadas no Cancioneiro Jobim (2000). A seleção inclui Luiza, Lígia, Insensatez, Por Toda a Minha Vida, Se Todos Fossem Iguais a Você e o obscuro tema instrumental Rancho nas Nuvens.

3 de abril de 2009 19:09  
Anonymous Euterpe said...

Toda pedra tem seu dia de vidraça.
Ouvi o disco e achei vápido.

6 de abril de 2009 18:15  
Anonymous Anônimo said...

Não seja tão lisérgico(a) Euterpe rs.É certo que o Nestrovski não é nenhum violonista de dotes extraordinários (e some-se a isto a concepção do álbum,de uma abordagem crua,ortodoxa,devotando-se burocraticamente a concepção original deitada á partitura) contudo tampouco trata-se de mero crítico musical parvo,é um homem inteligentíssimo,coerente
desconheço de pronto (talvez com o beneficio de pouquíssimas ressalvas) quem analise música aqui no Brasil com mais propriedade do que ele.Doutorado em música e literatura,é primoroso em qualquer abordagem que se lance,fala de música com extrema propriedade,uma capacidade de dissecação técnica impressionante e ademais sensibilidade,invulgar combinação.
Este álbum é mui válido como uma continuação, digamos de cunho prático a contínuos estudos extraordinários que ele vem fazendo acerca, que tangem ou desembocam na obra do Tom,incluindo o ótimo livro 'Três Canções de Tom Jobim' dele Luiz Tatit e Lorenzo Mammi.De modo que somando-se predicados,valia,préstimos noves fora competência,não haveria porque atirar pedras em vidraça tão impoluta.
O álbum no mínimo trata-se de um objeto interessante, curioso para fãs do Jobim como eu, que se atém a este tipo de minúcia da criação, haja vista que uma vez lançada, a criação de um artista - sob gratas bençãos sinuosas, toma forma própria e transcende a própria concepção.
L.

8 de abril de 2009 02:50  

Postar um comentário

<< Home