26 de agosto de 2007

'Vento Bravo' sopra perfil generoso de Edu Lobo

Resenha de DVD
Título: Vento Bravo
Artista: Edu Lobo
Gravadora: Biscoito Fino
Cotação: * * * 1/2

Documentário sobre Edu Lobo, Vento Bravo sopra perfil generoso do autor de Ponteio. Dirigido e roteirizado por Regina Zappa com Beatriz Thielmann, o filme não chega, de fato, a desvendar a personalidade do compositor, avesso à mídia. É, antes, uma bela exposição da riqueza e da importância da música genial de Lobo.

Trata-se do primeiro DVD do compositor de Candeias e, como tal, merece atenção. Inclusive por agregar ao filme o registro de show feito pelo artista em 2006 na extinta casa de shows Mistura Fina (RJ). Lobo toca 12 temas de sua lavra entre alguns standards (Pra Dizer Adeus, Beatriz, Casa Forte, Choro Bandido, A História de Lily Braun) e músicas conhecidas apenas por seus fãs (Forrobodó, Senhora do Rio). São composições que, em sua maioria, aparecem no documentário - caso de No Cordão da Saideira, vista e ouvida numa apresentação gravada por Lobo para a televisão em 1976.

Embora patine na superficialidade dos documentários produzidos com o aval do artista enfocado de forma quase oficial, a narrativa de Vento Bravo prende a atenção pela costura muito bem feita de imagens de arquivo (há takes preciosos da época dos festivais), depoimentos (entre eles, os de Chico Buarque e Maria Bethânia) e filmagens gravadas com Lobo. Como a que levou o artista a Recife (PE) - cidade que exerceu forte influência na obra do compositor carioca - e a que gerou a reunião de Lobo com Dori Caymmi e com Marcos Valle. Aliás e a propósito, o reencontro de Edu Lobo com o parceiro Gianfrancesco Guarnieri - então com a saúde debilitada - é um dos instantes mais tocantes do filme. Apesar de a conversa entre os autores da música da peça Arena Conta Zumbi ficar no terreno da formalidade (justificada, no caso, pelo estado do ator).

No geral, todos os depoimentos enfatizam a riqueza harmônica da música de Edu Lobo e, sobretudo, a inovação que ela representou por extrapolar os cânones da Bossa Nova. É uma música que, sim, merece todas as reverências oficiais - como as sopradas por este oportuno DVDVento Bravo. E que venha logo um CD de inéditas!

17 Comments:

Anonymous Jussara said...

percebo uma contradição no texto, que fala mal do tom oficial do filme, mas no fim diz que ele é merecido.

26 de agosto de 2007 14:29  
Anonymous Luc said...

O DVD contém um documentário e um show.

O show merece 5 estrelas. Standards recriados em arranjos primorosos. Músicos de primeira, Cristóvão Bastos, Jorge Helder e Rafael Barata acompanham Edu com apuro. O compositor é bom cantor, tem voz de preto, muito afinada e rica em harmônicos. Tive a sorte de assistir ao Edu ao vivo há alguns anos. Foi de longe a melhor experiência musical da minha vida, e olha que eu sou rodado.

O documentário é suavemente laudativo, mas não deixa a peteca cair no quesito informação. A gente termina entendendo bem as origens e a evolução do compositor.

Faltou Elis... Ela não aparece em nenhum momento (imagem /som) e o nome dela sequer é mencionado (a não ser em uma leganda que fica por menos de um segundo na tela). Estou ciente da 'malasangre' que se desenvolveu entre os dois + Wanda Sá. Mas em se tratando de uma biografia de Edu Lobo, a ausência é injustificável.

26 de agosto de 2007 16:02  
Anonymous Anônimo said...

Juliana disse...
Realmente a ausência de Elis neste documentário, dada sua fundamental importância na carreira de Edu Lobo, nao é somente injustificável, é imperdoável. Trata-se de uma omissão gravíssima que deturpa uma fase importantíssima da história da MPB e faz com que o DVD (merecido para esse grande e subestimado compositor) perca completamente o valor como documento histórico.
Agora, mais grave ainda é o fato de praticamente todos os críticos e comentaristas musicais terem ignorado esse fato em suas resenhas do DVD; mostra como tá todo mundo vendido mesmo. Somente a Maria Luiza Kfouri, em texto para a newsletter Music News, acusou a omissão (vale a pena ir atrás deste texto). É por essas e outras que esse país não vai pra frente...

26 de agosto de 2007 21:14  
Anonymous Anônimo said...

Cara, não acredito que Elis não aparece nem é mencionada neste dvd! Não é possível. A parceria compositor/intérprete que existiu entre eles está entre as mais importantes (se não for A mais importante) da história da música brasileira. Que absurdo! Tava interessada, mas agora nem vou comprar mais. Para acusar a Globo de omitir a causa da morte dela no especial, a mídia toda grita. Mas na hora de chamar a atenção publicamente dos produtores, diretores do dvd, da Biscoito e do próprio Edu, fica todo mundo quieto. Não dá pra entender. Essa omissão é muito mais grave.

26 de agosto de 2007 22:15  
Anonymous Anônimo said...

A ausência de Elis é gravíssima, pois muitas das primeiras composições dele brilharam em sua voz; Edu mas daí até vc afirmar (Juliana)que o documentário "perca completamente o valor como documento histórico", fica parecendo que todo o talento do Edu veio da Elis...(o que não é nem de longe verdade). Não acredito que o Edu não estivesse ciente dessa omissão. A hipótese possível seria: Com todos os problemas que Elis teve com alguns compositores e intérpretes não se estranha que algumas rusgas ainda permaneçam...(nem todos são capazes de perdão!)

27 de agosto de 2007 09:17  
Anonymous Luc said...

Juliana, agradeço a dica. Não tinha me dado conta de que Elis também não aparece no documentário sobre Vinicius.

Prefiro acreditar em problemas na cessão de direitos, porque senão a coisa fica muito mesquinha.

27 de agosto de 2007 10:30  
Anonymous Anônimo said...

Juliana disse...
Anônimo das 9:17.
Não quis dizer nem de longe que todo o talento de Edu veio de Elis, nem seu sucesso. Isso não faria o menor sentido. Acho que o dvd perde o valor como documento histórico porque, se essa falta grave foi cometida, imagine que outras podem ter sido também cometidas que a gente não fica sabendo porque não tem conhecimento para saber... Se você lê uma matéria na Veja, por exemplo, que omite um fato importante sobre o assunto, a matéria toda perde o valor. Não dá pra saber o que mais foi deturpado.
Edu é maravilhoso, disso não há dúvida.

27 de agosto de 2007 10:41  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade disse


O que importa é que Edu Lobo é Patrimônio Vivo de Pernambuco. Um cara inteligente que ouviu muito frevo e ciranda nas belas praias do Recife e Itamaracá. Triste dos artista que não beberem nessas fontes e sequer sabem sobre o som das conchas do mar.... Edu é um Lobo manso sabe uivar música de fino trato.

27 de agosto de 2007 20:07  
Anonymous Regina Zappa said...

Caro Mauro e caros comentaristas,

Um esclarecimento importante: vocês têm toda a razão quando mencionam a ausência de imagens de Elis Regina no DVD Vento Bravo do Edu Lobo. No nosso copião temos lá a Elis, maravilhosa, cantando Arrastão como uma força da natureza no teatro Excelsior. Infelizmente não conseguimos autorização da família para usar sua imagem. Fazemos menção a ela e a Arrastão no filme, mas nem mesmo a foto dela pudemos usar. Triste, né?
abração e obrigada pelos comentários,
Regina Zappa

28 de agosto de 2007 15:40  
Anonymous Luc said...

Esse esclarecimento da Regina Zappa foi oportuno e gentil.

Aproveito para felicitá-la e agradecer pela idéia de fazer o documentário sobre o Edu Lobo.

28 de agosto de 2007 16:40  
Anonymous Anônimo said...

Legal esse esclarecimento da diretora, mas a questão mais grave nesse assunto continua sendo o fato de que quase ninguém da imprensa comentou o fato ao falar do dvd...

28 de agosto de 2007 17:13  
Anonymous Anônimo said...

As pessoas nunca ouviram falar em paradoxo, não???

29 de agosto de 2007 09:08  
Anonymous Anônimo said...

Sabendo quem é Edu Lobo e de toda sua gentileza seria de estranhar... O que importa é que mesmo sem Elis Regina o 'Corrupião' está ai em seu 1º DVD mostrando que é o maior herdeiro da tradição V.Lobos-jobiniana, e isso é motivo para comemorar e ouvir boa música...
Em tempo: sinto falta da Zizi que com o tempo se configurou sua intérprete preferida gravando músicas antológicas como "Valsa brasileira"...

29 de agosto de 2007 09:49  
Anonymous Denilson said...

Muito legal a iniciativa gentil da Regina Zappa em esclarecer, escrevendo diretamente para os leitores do blog do Mauro, a causa da ausência de imagens da Elis no DVD do Edu Lobo.

Porém me causa revolta o fato da família não ter autorizado o uso da imagem da Elis, justamente no DVD daquele que foi um dos seus primeiros e maiores incentivadores. Lamentável. Agora para fazer aquele especial ridículo da Globo, eles autorizam...

A Elis não merece essa família. Aliás, ela sempre sofreu nas mãos dos seus familiares, desde jovem, que sempre viveram e ainda vivem às custas do seu talento.

abração,
Denilson

29 de agosto de 2007 10:40  
Anonymous Anônimo said...

Vai ver a família dela, que realmente a conhecia, está tentando fazer o que eles acham que ela gostaria que fosse feito. Talvez, se ela estivesse viva, ela teria se recusado a aparecer nesse documentário e não teria permitido que imagens suas fossem utilizadas. Alguém já parou para pensar nisso?

30 de agosto de 2007 12:11  
Anonymous Anônimo said...

Concordo com a Juliana... O DVD perde um pouco seu caráter histórico, mesmo poque a Elis foi importante na carreia do Edu Lobo. Mas isso já foi explicado pela produtora do DVD. E se a família da Elis não permitiu que fossem postas imagens dela no DVD, deve ter suas razões - que nada justifica, na minha opinião. Mas paciência!
De qualquer modo, é de grande mérito esse DVD, tão bem feito, sobre a carreira desse grande compositor brasileiro e universal. Tomara que as novas gerações possam conhecê-lo também. Salve Edu Lobo!

Devenalme Sousa

5 de setembro de 2007 05:59  
Anonymous Anônimo said...

O fato - injustificável - de que os filhos de Elis não tenham autorizado que sua imagem fosse usada no DVD não justifica a não citação do nome dela pelo compositor. Isso não poderia ser proíbido por ninguém.

10 de setembro de 2007 18:22  

Postar um comentário

<< Home