29 de junho de 2010

Elisa grava com Moraes sob a batuta de Krieger

Cantora carioca que transita já há alguns anos pelo circuito das casas de shows da Lapa (RJ), na rota que revelou Teresa Cristina e Luiza Dionisio, Elisa Addor debuta em disco sob a produção de Edu Krieger. Já em fase de mixagem no estúdio Tenda da Raposa (RJ), o CD marca a estreia de Krieger - ao centro na foto feita por Antonio de Pádua no estúdio Arp. X - na produção musical e tem lançamento previsto para o segundo semestre de 2010. Moraes Moreira figura na ficha técnica como parceiro de Galvão em Sorrir e Cantar como Bahia (1973) - o tema da lavra lúdica do grupo Novos Baianos regravado por Addor - e como autor e convidado da inédita Tia Ciata. Inédito em sua maior parte, a propósito, o repertório apresenta músicas de Edu Krieger (duas, sendo uma em parceria com Marcelo Caldi), Rafael dos Santos ((jovem integrante da ala de compositores da Portela, um dos autores do samba-enredo cantado pela escola no Carnaval deste ano) e da própria Elisa Addor. Entre as releituras, a cantora faz emergir Mar de Copacabana - tema pouco ouvido de Gilberto Gil, lançado pelo compositor em 1983 no álbum Extra, de sua fase pop - e Roendo Unha (Luiz Gonzaga e Luiz Ramalho, numa rara parceria de 1976).

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Cantora carioca que transita já há alguns anos pelo circuito das casas de shows da Lapa (RJ), na rota que revelou Teresa Cristina e Luiza Dionisio, Elisa Addor debuta em disco sob a produção de Edu Krieger. Já em fase de mixagem no estúdio Tenda da Raposa (RJ), o CD marca a estreia de Krieger - ao centro na foto clicada por Antonio Pinto no estúdio Arp. X - na produção musical e tem lançamento previsto para o segundo semestre de 2010. Moraes Moreira figura na ficha técnica como parceiro de Galvão em Sorrir e Cantar como Bahia (1973) - o tema da lavra lúdica do grupo Novos Baianos regravado por Addor - e como autor e convidado da inédita Tia Ciata. Inédito em sua maior parte, a propósito, o repertório apresenta músicas de Edu Krieger (duas, sendo uma em parceria com Marcelo Caldi), Rafael dos Santos ((jovem integrante da ala de compositores da Portela, um dos autores do samba-enredo cantado pela escola no Carnaval deste ano) e da própria Elisa Addor. Entre as releituras, a cantora faz emergir Mar de Copacabana - tema pouco ouvido de Gilberto Gil, lançado pelo compositor em 1983 no álbum Extra, de sua fase pop - e Roendo Unha (Luiz Gonzaga e Luiz Ramalho, numa rara parceria de 1976).

29 de junho de 2010 09:54  
Blogger André Luís said...

Não conheço a Elisa, mas com produção e composições de Edu Krieger, além da participação do Moraes Moreira e um bom repertório, aguardo um bom disco!

29 de junho de 2010 11:01  
Blogger L P said...

Parabens, só fera!!! Só talento! Alta qualidade técnica aos créditos deste trabalho! A experiencia consagrada unida aos novos (desde sempre) talentos da nossa querida e apaixonante Lapa musical! SUCESSO!

30 de junho de 2010 14:08  

Postar um comentário

<< Home