22 de março de 2010

MGMT pega a onda errada em 'Congratulations'

Resenha de CD
Título: Congratulations
Artista: MGMT
Gravadora: Sony Music
Cotação: * * 1/2

Congratulations, o segundo álbum do duo norte-americano MGMT, poderia ser visto como um disco até interessante se não ele não tivesse que ser inevitavel e necessariamente confrontado com Oracular Spectacular (2008), a obra-prima hedonista que sedimentou o sucesso dos estudantes universitários Andrew VanWyngarden e Ben Goldwasser, projetados em 2005 com a edição do EP Time to Pretend. A propósito, é inútil ouvir Congratulations na ânsia de encontrar delícias como Kids, The Youth e Time to Pretend. Nas lojas a partir de 12 de abril de 2010, mas já vazado na internet e disponibilizado para audição pela própria dupla em seu site oficial, Congratulations navega em outras ondas. Inclusive na do atual surf rock. Há mais guitarras. Ingrediente do som inicial do MGMT, a psicodelia ainda se faz presente em músicas como Flash Delirium - faixa de clima mais experimental e andamentos alternados - e Siberian Breaks, uma balada formatada como uma suíte em longos 12 minutos (a faixa parece conter várias músicas dentro dela). Entre soft pop rock urdido com efeitos (Song for Dan Treacy) e tema instrumental de tonalidade sombria (Lady Dada's Nightmare), Congratulations expõe o belo falsete de Andrew VanWyngarden em Someone's Missing e pisa no acelerador no pop rock Brian Eno. Contudo, no fim, a faixa-título, Congratulations, fecha o álbum em clima mais lento e contemplativo. A viagem do MGMT já é outra. O que não minimiza a frustração do ouvinte por não encontrar em Congratulations músicas tão contagiantes quanto as gemas de Oracular Spectacular. Parece que o duo pegou a onda errada.

4 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Congratulations, o segundo álbum do duo norte-americano MGMT, poderia ser visto como um disco até interessante se não ele não tivesse que ser inevitavel e necessariamente confrontado com Oracular Spectacular (2008), a obra-prima hedonista que sedimentou o sucesso dos estudantes universitários Andrew VanWyngarden e Ben Goldwasser, projetados em 2005 com a edição do EP Time to Pretend. A propósito, é inútil ouvir Congratulations na ânsia de encontrar delícias como Kids, The Youth e Time to Pretend. Nas lojas a partir de 12 de abril de 2010, mas já vazado na internet e disponibilizado para audição pela própria dupla em seu site oficial, Congratulations navega em outras ondas. Ingrediente do som inicial do MGMT, a psicodelia ainda se faz presente em temas como Flash Delirium - faixa mais experimental, de andamentos alternados - e Siberian Breaks, uma balada formatada como uma suíte em longos 12 minutos (a faixa parece conter várias músicas dentro dela). Entre soft pop rock urdido com efeitos (Song for Dan Treacy) e tema instrumental de tonalidade sombria (Lady Dada's Nightmare), Congratulations expõe o belo falsete de Andrew VanWyngarden em Someone's Missing e pisa no acelerador no pop rock Brian Eno. Contudo, no fim, a faixa-título, Congratulations, fecha o álbum em clima mais lento e contemplativo. A viagem do MGMT já é outra. O que não minimiza a frustração do ouvinte por não encontrar em Congratulations músicas tão contagiantes quanto as gemas de Oracular Spectacular. Parece que o duo pegou a onda errada.

22 de março de 2010 13:57  
OpenID kadgi said...

Lamento, mas não li nada aqui que sugerisse que essa "onda errada" não é somente uma "onda diferente". Eles disseram, com estas palavras, que não íamos ouvir nenhuma Kids neste album.Fartaram-se de o dizer, não havia razão nenhuma para o esperar.
No que diz respeito a comparações com Oracular Spectacular, só se desilude mesmo quem quer.

22 de março de 2010 21:53  
Blogger Trovator said...

Exatamente, kadgi.

2 de agosto de 2013 14:36  
Blogger Trovator said...

Exatamente, kadgi.

2 de agosto de 2013 14:37  

Postar um comentário

<< Home