25 de dezembro de 2009

Natal de Bocelli é pautado pela grandiloquência

Resenha de CD
Título: My Christmas
Artista: Andrea Bocelli
Gravadora: Universal
Music
Cotação: * * * 1/2

Um dos campeões de vendas em todo o mundo no Natal de 2009, o CD My Christmas é título bastante coerente com a discografia de Andrea Bocelli. Como de praxe, o tenor italiano extrapola o círculo erudito e acena para o universo pop. Seja através de inusitada gravação feita com o grupo de fantoches The Muppets (Jingle Bells, raro momento lúdico de disco que soa quae sempre solene), seja por conta de duetos com as cantoras norte-americanas Natalie Cole (em The Christmas Song, faixa suave e harmoniosa) e Mary J Blige (na balada What Child Is This). No todo, contudo, o Natal de Bocelli é pautado pela pompa orquestral e vocal. Escalado para pilotar o disco, o produtor David Foster se escorou em cordas e coros - que conferem grandiloquência a faixas como Angels We Have Heard on High, The Lord's Prayer (gravada com o imponente Mormon Tabernacle Choir) e Silent Night - para embalar repertório que rebobina músicas (entre elas, Adeste Fideles, Cantique de Noel, O Tannenbaum e Tu Scendi Dalle Stelle) já gravadas por tenores populares como Luciano Pavarotti (1935 - 2007). No todo, o disco é bom. Mas seria melhor se Bocelli tivesse se permitido baixar um pouco os tons - como faz em Blue Christmas (tema do repertório natalino de Elvis Presley) e em White Christmas / Bianco Natale - para diluir o clima solene que torna o disco até certo ponto previsível. The Muppets à parte.

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Um dos campeões de vendas em todo o mundo no Natal de 2009, o CD My Christmas é título bastante coerente com a discografia de Andrea Bocelli. Como de praxe, o tenor italiano extrapola o círculo erudito e acena para o universo pop. Seja através de inusitada gravação feita com o grupo de fantoches The Muppets (Jingle Bells, raro momento lúdico de disco que soa quae sempre solene), seja por conta de duetos com as cantoras norte-americanas Natalie Cole (em The Christmas Song, faixa suave e harmoniosa) e Mary J Blige (na balada What Child Is This). No todo, contudo, o Natal de Bocelli é pautado pela pompa orquestral e vocal. Escalado para pilotar o disco, o produtor David Foster se escorou em cordas e coros - que conferem grandiloquência a faixas como Angels We Have Heard on High, The Lord's Prayer (gravada com o imponente Mormon Tabernacle Choir) e Silent Night - para embalar repertório que rebobina músicas (entre elas, Adeste Fideles, Cantique de Noel, O Tannenbaum e Tu Scendi Dalle Stelle) já gravadas por tenores populares como Luciano Pavarotti (1935 - 2007). No todo, o disco é bom. Mas seria melhor se Bocelli tivesse se permitido baixar um pouco os tons - como faz em Blue Christmas (tema do repertório natalino de Elvis Presley) e em White Christmas / Bianco Natale - para diluir o clima solene que torna o disco até certo ponto previsível. The Muppets à parte.

25 de dezembro de 2009 11:29  

Postar um comentário

<< Home