8 de novembro de 2009

Valdés dosa paixão de Buika ao festejar Chavela

Resenha de CD
Título: El Último Trago
Artista: Buika
(com Chucho Valdés)
Gravadora: Warner Music
Cotação: * * * *

Hoje com 90 anos, Chavela Vargas é cantora nascida em Costa Rica que se radicou no México, país onde alcançou projeção nas décadas de 50 e 60 ao gravar uma série de canções rancheiras. Hoje com 32 anos, Buika é cantora espanhola que o mundo descobriu em 2006 a partir do belo CD Mi Niña Sola, segundo título de trilogia em que a intérprete arejou o flamenco. Hoje com 68 anos, Chucho Valdéz é pianista cubano que se impôs no universo do jazz latino. Da união desses três artistas de ritmos e latitudes diversas, surgiu El Último Trago, álbum que celebra os 90 anos de Chavela com doses fartas de emoção e sofisticada musicalidade. A emoção vem sobretudo da voz rouca de Buika, cuja paixão salta aos ouvidos em temas como Las Ciudades e Las Simples Cosas. Como o toque límpido e econômico do piano de Valdés dá a medida exata da paixão, funcionando quase como um contraponto para o canto passional de Buika, o resultado é um tributo pautado por emotiva elegância. Por mais que o bolero seja ritmo recorrente em faixas como Sombras e Cruz de Olvido, El Último Trago transcende o universo do gênero com sua gama sutil de referências trazidas na bagagem por Buika e Valdés. Que se encontram sozinhos na faixa-título, um dos destaques deste álbum apresentado pelo cineasta espanhol Pedro Almodovar, fã de Buika e admirador de Chavela, tendo sido responsável pela redescoberta da veterana intérprete ao projetá-la em seus filmes. E, sim, é justo o entusiasmo de Almodovar no texto que escreveu para o encarte deste disco pilotado por Javier Limón, produtor dos três álbuns anteriores de Buika. El Último Trago honra o legado de Chavela.

4 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Hoje com 90 anos, Chavela Vargas é cantora nascida em Costa Rica que se radicou no México, país onde alcançou projeção nas décadas de 50 e 60 ao gravar uma série de canções rancheiras. Hoje com 32 anos, Buika é cantora espanhola que o mundo descobriu em 2006 a partir do belo CD, Mi Niña Sola, segundo título de trilogia em que a intérprete arejou o flamenco. Hoje com 68 anos, Chucho Valdéz é pianista cubano que se impôs no universo do jazz latino. Da união desses três artistas de ritmos e latitudes diversas, surgiu El Último Trago, álbum que celebra os 90 anos de Chavela com doses fartas de emoção e sofisticada musicalidade. A emoção vem sobretudo da voz rouca de Buika, cuja paixão salta aos ouvidos em temas como Las Ciudades e Las Simples Cosas. Como o toque límpido e econômico do piano de Valdés dá a medida exata da paixão, funcionando quase como um contraponto para o canto passional de Buika, o resultado é um tributo pautado por emotiva elegância. Por mais que o bolero seja ritmo recorrente em faixas como Sombras e Cruz de Olvido, El Último Trago transcende o universo do gênero com sua gama sutil de referências trazidas na bagagem por Buika e Valdés. Que se encontram sozinhos na faixa-título, um dos destaques deste álbum apresentado pelo cineasta espanhol Pedro Almodovar, fã de Buika e admirador de Chavela, tendo sido responsável pela redescoberta da veterana intérprete ao projetá-la em seus filmes. E, sim, é justo o entusiasmo de Almodovar no texto que escreveu para o encarte deste disco pilotado por Javier Limón, produtor dos três álbuns anteriores de Buika. El Último Trago honra o legado de Chavela.

8 de novembro de 2009 10:13  
Anonymous Anônimo said...

Olá, Buika é uma grande senhora da música pelo seu timbre e por suas grandiosas interpretações, bravo para mais um belo trabalho. O ultimo álbum de 2008 é “Niña De Fuego”.
Um grande abraço para o Mauro
Vitor
Portugal

8 de novembro de 2009 11:18  
Anonymous Anônimo said...

Desculpa Mauro, o album de 2006 é "Mi niña Lola"
Vitor

8 de novembro de 2009 11:43  
Anonymous Diogo ! said...

Curto Chucho - mas prefiro su papá. Também curto Roberto Carcasses - que gravou com Selma Reis o seu " Ares de Havana " .


Mas o que quero ressaltar no post é citação do Mauro em dizer o local de nascimento dos artistas. Afinal,os latinos americanos não são tudo uma coisa só. Como pensam os americanos ...

8 de novembro de 2009 22:39  

Postar um comentário

<< Home