8 de novembro de 2009

Mukenga canta Angola com Baleiro e Martinho

Em 1981, ao regravar a música Humbiumbi em seu álbum Seduzir, Djavan abriu as portas do mercado brasileiro para Filipe Mukenga, cantor angolano que, desde 1973, se dedica a difundir a música de sua terra natal. No momento, a Nova Música de Angola, ou NMA, base de seu quarto CD, Nós Somos Nós, editado no Brasil neste último trimestre de 2009. De certa forma um presente pelos 60 anos de Mukenga, completados em 7 de setembro, o disco foi gravado inteiramente com músicos brasileiros entre novembro de 2007 e agosto de 2008 com produção de ninguém menos do que Zeca Baleiro, que conheceu Mukenga em 2003 num festival de música na Ilha do Sal, em Cabo Verde. Além de participar de Uma Volta e Meia, uma das canções de amor do atual repertório de Mukenga, Baleiro edita Nós Somos Nós por seu selo, Saravá Discos. Já Paquete conta com os vocais de Martinho da Vila, artista que, desde 1980, tem relações estreitas com Angola, tendo recrutado Mukenga para o elenco do projeto O Canto Livre de Angola, cujo show realizado no Rio de Janeiro (RJ) em 1983 gerou um disco ao vivo. Vânia Abreu completa o trio de convidados ao pôr sua voz em Aprisionar a Negra Noite, faixa de tom mais romântico. Entre duas regravações, Fruto Maduro e Humbiumbi, Mukenga monta em Nós Somos Nós painel particular da música de Angola. Na faixa que abre o álbum, Ixi Yeto Yatululuka, cantada no dialeto kimbundu, o compositor celebra o fim da guerra civil de Angola, terminada em abril de 2002. Em português, o título significa A Nossa Terra Está em Paz. Já Rainha do Carnaval evoca a folia de Luanda enquanto Noite de Tambi reproduz o ritmo local hoje conhecido como rebita. Ao longo de seus 14 temas, Nós Somos Nós faz viagem por Angola com escalas em Portugal - país onde Mukenga viveu entre 1992 e 2004 - e, claro, no Brasil que gerou este disco idealizado desde que Zeca Baleiro estreitou relações com Mukenga ao visitar Angola em 2006. Bela iniciativa de Zeca...

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Em 1981, ao regravar a música Humbiumbi em seu álbum Seduzir, Djavan abriu as portas do mercado brasileiro para Filipe Mukenga, cantor angolano que, desde 1973, se dedica a difundir a música de sua terra natal. No momento, a Nova Música de Angola, ou NMA, base de seu quarto CD, Nós Somos Nós, editado no Brasil neste último trimestre de 2009. De certa forma um presente pelos 60 anos de Mukenga, completados em 7 de setembro, o disco foi gravado inteiramente com músicos brasileiros entre novembro de 2007 e agosto de 2008 com produção de ninguém menos do que Zeca Baleiro, que conheceu Mukenga em 2003 num festival de música na Ilha do Sal, em Cabo Verde. Além de participar de Uma Volta e Meia, uma das canções de amor do atual repertório de Mukenga, Baleiro edita Nós Somos Nós por seu selo, Saravá Discos. Já Paquete conta com os vocais de Martinho da Vila, artista que, desde 1980, tem relações estreitas com Angola, tendo recrutado Mukenga para o elenco do projeto O Canto Livre de Angola, cujo show realizado no Rio de Janeiro (RJ) em 1983 gerou um disco ao vivo. Vânia Abreu completa o trio de convidados ao pôr sua voz em Aprisionar a Negra Noite, faixa de tom mais romântico. Entre duas regravações, Fruto Maduro e Humbiumbi, Mukenga monta em Nós Somos Nós painel particular da música de Angola. Na faixa que abre o álbum, Ixi Yeto Yatululuka, cantada no dialeto kimbundu, o compositor celebra o fim da guerra civil de Angola, terminada em abril de 2002. Em português, o título significa A Nossa Terra Está em Paz. Já Rainha do Carnaval evoca a folia de Luanda enquanto Noite de Tambi reproduz o ritmo local hoje conhecido como rebita. Ao longo de seus 14 temas, Nós Somos Nós faz viagem por Angola com escalas em Portugal - país onde Mukenga viveu entre 1992 e 2004 - e, claro, no Brasil que gerou este disco idealizado desde que Zeca Baleiro estreitou relações com Mukenga ao visitar Angola em 2006. Bela iniciativa de Zeca...

8 de novembro de 2009 09:20  
Blogger Rio de Janeiro a Dezembro said...

Onde posso comprar? Pois da África aqui tem somente se eu não me engano, cds e dvds da cantora Cesária Évora. Tive que importar um cd de fado da cantora Mariza. um total absurdo! Agora estou louco pelo cd da Agelique Kidjo, mas não acho. Nem Salif Keita e nem Lokua Kanza....assim tenho que baixar na internet.

9 de novembro de 2009 02:01  
Blogger belsh said...

O CD de Felipe Mukenga, prosuzido pelo Selo "Saravá discos" de Zeca Baleiro pode ser comprado na lojinha do site oficial do Zeca. Super fácil.
Olha o link aí.
http://www2.uol.com.br/zecabaleiro/

7 de junho de 2010 21:50  

Postar um comentário

<< Home