2 de junho de 2009

Rumpilezz faz (grande) afro-jazz à moda baiana

Resenha de Show
Título: Segunda com a Rumpilezz
Artista: Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz
Local: Teatro Jorge Amado (Salvador, BA)
Data: 1º de junho de 2009
Cotação: * * * *
Em cartaz às segundas-feiras de junho de 2009

Ed Motta ficou tão fã do som da Orkestra Rumpilezz - conhecida por ele via MySpace - que até quis tocar um tema seu com a big-band baiana, criada em Salvador (BA) pelo maestro, arranjador e saxofonista Letieres Leite. O intrincado tema de autoria de Ed, Balendoah, figura no repertório do primeiro CD da orquestra - a ser lançado pela gravadora Biscoito Fino no segundo semestre de 2009 com a gravação ao vivo captada no Teatro Castro Alves - e no roteiro do show da temporada Segunda com a Rumpilezz, que vai ocupar o palco do Teatro Jorge Amado (Salvador, BA) durante todas as segundas-feiras deste mês de junho de 2009, às 20h30m.

De fato, Ed tem ouvido apurado. A Rumpilezz faz grandioso afro-jazz à moda baiana - estilo traduzido já no seu nome, que amalgama a palavra jazz com os nomes dos três atabaques do Candomblé (rum, rumpi e lé). No palco, a combinação de percussão e sopros orquestrada por Letieres resulta imponente e sedutora. Dezenove músicos dividem a cena com o maestro. Cinco na percussão e quatorze nos sopros. Já no número de abertura, A Grande Mãe, fica evidente a originalidade da massa sonora. Nenhuma nota parece jogada fora. Os improvisos são feitos de forma sucinta. Inspirados em sua maioria na religiosidade afro-brasileira, os temas soam perfeitamente ajustados aos naipes da big-band. Floresta Azul - tema dedicado a Oxossi, o orixá que rege as matas - exemplifica a maestria dos arranjos. Os instrumentos evocam sons da natureza neste número iluminado em tons de verde e azul. Da mesma forma que, no monumental Temporal, sons de trovoada são simulados pelos (virtuosos) percussionistas.

A interação entre sopros e percussão é total, como mostram Aláfia (título que significa prosperidade no dicionário afro dos orixás) e Adupé, Fafá (Obrigado, Fafá - na língua Iorubá). Neste tema, inspirado em Fabrício, falecido integrante da orquestra, Letieres larga o saxofone e toca percussão. Outro destaque do repertório autoral é O Samba Nasceu na Bahia, composição que sintetiza no ritmo as várias formas e levadas do samba produzido na Bahia. Que venha o CD para que o Brasil possa conhecer de fato a Orkestra Rumpilezz! É biscoito dos mais finos, de sabor original.

4 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Resenha de Show
Título: Segunda com a Rumpilezz
Artista: Letieres Leitte e Orkestra Rumpilezz
Local: Teatro Jorge Amado (Salvador, BA)
Data: 1º de junho de 2009
Cotação: * * * *
Em cartaz às segundas-feiras de junho de 2009

Ed Motta ficou tão fã do som da Orkestra Rumpilezz - conhecida por ele via MySpace - que compôs até um tema para a big-band baiana, criada em Salvador (BA) pelo maestro, arranjador e saxofonista Letieres Leitte. O intrincado tema de autoria de Ed, Balendoa, figura no repertório do primeiro CD da orquestra - a ser lançado pela gravadora Biscoito Fino no segundo semestre de 2009 com a gravação ao vivo captada no Teatro Castro Alves - e no roteiro do show da temporada Segunda com a Rumpilezz, que vai ocupar o palco do Teatro Jorge Amado (Salvador, BA) durante todas as segundas-feiras deste mês de junho de 2009, às 20h30m.

De fato, Ed tem ouvido apurado. A Rumpilezz faz grandioso afro-jazz à moda baiana - estilo traduzido já no seu nome, que amalgama a palavra jazz com os nomes dos três atabaques do Candomblé (rum, rumpi e lé). No palco, a combinação de percussão e sopros orquestrada por Letieres resulta imponente e sedutora. Dezenove músicos dividem a cena com o maestro. Cinco na percussão e quatorze nos sopros. Já no número de abertura, A Grande Mãe, fica evidente a originalidade da massa sonora. Nenhuma nota parece jogada fora. Os improvisos são feitos de forma sucinta. Inspirados em sua maioria na religiosidade afro-brasileira, os temas soam perfeitamente ajustados aos naipes da big-band. Floresta Azul - tema dedicado a Oxossi, o orixá que rege as matas - exemplifica a maestria dos arranjos. Os instrumentos evocam sons da natureza neste número iluminado em tons de verde e azul. Da mesma forma que, no monumental Temporal, sons de trovoada são simulados pelos (virtuosos) percussionistas.

A interação entre sopros e percussão é total, como mostram Aláfia (título que significa prosperidade no dicionário afro dos orixás) e Adupé, Fafá (Obrigado, Fafá - na língua Iorubá). Neste tema, inspirado em Fabrício, falecido integrante da orquestra, Letieres larga o saxofone e toca percussão. Outro destaque do repertório autoral é O Samba Nasceu na Bahia, composição que sintetiza no ritmo as várias formas e levadas do samba produzido na Bahia. Que venha o CD para que o Brasil possa conhecer de fato a Orkestra Rumpilezz! É biscoito dos mais finos, de sabor original.

2 de junho de 2009 01:02  
Blogger Marcelo Donati said...

Ed Motta adora mesmo a Rumpilezz. Pergunte a ele um artista novo que ele aprecie e está será a única resposta... Ed gravou Balendoah em seu Cd "Aystelum". Confiram!
http://ed-motta.blogspot.com/

2 de junho de 2009 13:41  
Anonymous Anônimo said...

Fui convidado muitas vezes para assistir esse show, mas demorei muito a ir e confesso que fiquei surpreso, nunca achei que poderia ser feito música com essa complexidade em Salvador, gostei de tudo do cenário, do figurino dos músicos e principalmente do som. Parabéns Letieres, peço desculpa por ter demorado tanto a me deliciar com esse show.
Fábio Carvalho

3 de junho de 2009 18:14  
Blogger Alex said...

Oi Mauro, gostaria de agradecer o comentário e avisá-lo que o grupo Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz continuará com seus shows todas as Segundas do mês de Julho no Teatro jorge Amado, sempre às 20:30h.
Abraços,
Alex Pinto

18 de junho de 2009 12:18  

Postar um comentário

<< Home