11 de outubro de 2010

'Lazarus', de McCoy, não justifica a expectativa

Resenha de CD
Título: Lazarus
Artista: Travie McCoy
Gravadora: Atlantic
Records / Warner Music
Cotação: * * 1/2

Por conta do real sucesso de Billionaire, pegajoso hit que conjuga batidas de reggae e rap, vertido para o segundo disco solo de Claudia Leitte, a cotação do primeiro disco solo de Travie McCoy estava alta no mercado fonográfico antes mesmo do lançamento do disco. Contudo, Lazarus não justifica (toda) a expectativa em torno do debut do mentor e líder do grupo Gym Class Hero. Não há entre as outras nove faixas de Lazarus uma música tão cativante quanto Billionaire. É fato que Dr. Feel Good - faixa na qual figura Cee Lo Green - tem pegada pop. É fato também que houve alguma evolução nas letras - a julgar por versos como os da balada Critical. Ainda assim, Lazarus não decola para ver com seu mix trivial de pop, rock, rap e reggae. Mas, se a atenção é encontrar no disco apenas a trilha fugaz para baladas igualmente fugazes, o álbum até oferece munição certeira na faixa We'll Be Alright. Reza a lenda que o próprio Travie McCoy quis abortar o lançamento do disco, por considerá-lo aquém de suas próprias expectativas, tendo sido convencido do contrário por amigos. Talvez McCoy devesse ter sido mais firme na sua avaliação inicial.

2 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Por conta do real sucesso de Billionaire, pegajoso hit que conjuga batidas de reggae e rap, vertido para o segundo disco solo de Claudia Leitte, a cotação do primeiro disco solo de Travie McCoy estava alta no mercado fonográfico antes mesmo do lançamento do disco. Contudo, Lazarus não justifica (toda) a expectativa em torno do debut do mentor e líder do grupo Gym Class Hero. Não há entre as outras nove faixas de Lazarus uma música tão cativante quanto Billionaire. É fato que Dr. Feel Good - faixa na qual figura Cee Lo Green - tem pegada pop. É fato também que houve alguma evolução nas letras - a julgar por versos como os da balada Critical. Ainda assim, Lazarus não decola para ver com seu mix trivial de pop, rock, rap e reggae. Mas, se a atenção é encontrar no disco apenas a trilha fugaz para baladas igualmente fugazes, o álbum até oferece munição certeira na faixa We'll Be Alright. Reza a lenda que o próprio Travie McCoy quis abortar o lançamento do disco, por considerá-lo aquém de suas próprias expectativas, tendo sido convencido do contrário por amigos. Talvez McCoy devesse ter sido mais firme na sua avaliação inicial.

11 de outubro de 2010 18:10  
Blogger mara said...

Oi, Mauro, seus textos sao muito bons :) desculpe escrever aqui, nao achei seu e-mail de contato e gostaria de mandar pra você nosso material :) poderia nos indicar pra qual endereço ou mesmo e-mail? lançamos recentemente nosso primeiro EP "Bright Day", considerado pelo programa Alto Falnta da OI FM de BH "um dos bons sons da nova safra independente brasileira"; e agora estamos participando de uma açao on line para o lançamento do Absolut Berri Açai, novo sabor da absolut. abraços, Mara Faria

11 de outubro de 2010 21:08  

Postar um comentário

<< Home