3 de agosto de 2010

Lendas legitimam o blues competente de Lauper

Resenha de CD
Título: Memphis Blues
Artista: Cyndi Lauper
Gravadora: Lab 344
/ Microservice
Cotação: * * * 1/2

Aos 57 anos, Cyndi Lauper preserva a potência vocal dos anos 80. É com sua voz forte e cortante que a intérprete pop de hits como Girls Just Wanna Have Fun simula o sentimento do blues em seu primeiro disco dedicado ao gênero. Justiça seja feita: o álbum é bom. Até porque não tem como ser ruim um disco que agrega bluesmen como B. B. King (voz e guitarra em Early in the Mornin'), o gaitista Charlie Musselwhite (em Just your Fool e em Down Don't Bother me) e o hábil pianista de Nova Orleans Allen Toussaint (em Shattered Dreams, em Early in the Mornin' e em Mother Earth). Tais lendas legitimam a incursão de Lauper pelo blues. Difícil não se embriagar com o clima de fim de estrada em que a artista ambienta temas como Rollin' and Tumblin' - faixa em que Lauper repõe em cena a voz de Ann Peebles, hoje esquecida cantora associada ao soul de Memphis. Talvez por ter escutado blues desde sempre, como tem revelado em entrevistas, Lauper forja de maneira convincente alma blueseira que dá credibilidade a regravações de clássicos como Crossroads, na qual figura (como cantor e guitarrista) Jonny Lang. Tanto que soa até dispensável a faixa-bônus exclusiva da edição brasileira, I Don't Want to Cry, balada gravada com o saxofonista Leo Gandelman. E o fato é que - por mais que represente, a rigor, o simulacro de um espírito blueseiro - o competente Memphis Blues de Cyndi Lauper é CD coeso esculpido com a pegada dos verdadeiros mestres do gênero.

8 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Aos 57 anos, Cyndi Lauper preserva a potência vocal dos anos 80. É com sua voz forte e cortante que a intérprete pop de hits como Girls Just Wanna Have Fun simula o sentimento do blues em seu primeiro disco dedicado ao gênero. Justiça seja feita: o álbum é bom. Até porque não tem como ser ruim um disco que agrega bluesmen como B. B. King (voz e guitarra em Early in the Mornin'), o gaitista Charlie Musselwhite (em Just your Fool e em Down Don't Bother me) e o hábil pianista de Nova Orleans Allen Toussaint (em Shattered Dreams, em Early in the Mornin' e em Mother Earth). Tais lendas legitimam a incursão de Lauper pelo blues. Difícil não se embriagar com o clima de fim de estrada em que a artista ambienta temas como Rollin' and Tumblin' - faixa em que Lauper repõe em cena a voz de Ann Peebles, hoje esquecida cantora associada ao soul de Memphis. Talvez por ter escutado blues desde sempre, como tem revelado em entrevistas, Lauper forja de maneira convincente alma blueseira que dá credibilidade a regravações de clássicos como Crossroads, na qual figura (como cantor e guitarrista) Jonny Lang. Tanto que soa até dispensável a faixa-bônus exclusiva da edição brasileira, I Don't Want to Cry, balada gravada com o saxofonista Leo Gandelman. E o fato é que - por mais que represente, a rigor, o simulacro de um espírito blueseiro - o competente Memphis Blues de Cyndi Lauper é CD coeso esculpido com a pegada dos verdadeiros mestres do gênero.

3 de agosto de 2010 10:08  
Anonymous Anônimo said...

Este CD é ÓTIMO, adorei. To falando dele para todos meus amigos, Cyndi fez um trabalho muito gostoso de se ouvir !
Para mim, merece nota 10.
Eduardo Cáffaro - abc

3 de agosto de 2010 13:50  
Anonymous Lurian said...

Mauro sua resenha não está suficientemente clara ao final...não dá pra saber se você realmente gostou do disco ou considerou um 'simulacro'. As participações de Allen Toussaint, Jonny Lang e Ann Peebles enobrecem o disco, a de BB KIng foi bem discreta e talvez proposital para não ofuscar Cyndi. Eu considero o disco um projeto de qualidade bem superior a outros que artistas pop têm feito ultimamente; Cyndi realmente conseguiu se umbuir do espírito do blues tradicional e algumas variações que flertam com o soul, o country,o rock, como também transitando entre o clima estrada/cabaret sem parecer uma farsante.
(Em relação ao disco da Luisa Maita que vc assinala 4 estrelas e meia,perdoe mas discordo completamente das 3 e meia dadas a Lauper, que faz nesse momento um disco muito superior à nossa cantora pop nacional, sem ter recebido os mesmos créditos.)

3 de agosto de 2010 13:59  
Anonymous Lucas said...

Demais! Eu amei esse Cd também!
ótimo em tudo, e em qualidade é nota 1000

3 de agosto de 2010 16:11  
Anonymous Anônimo said...

Eu adorei esse novo cd da Cyndi. Ela tem uma voz incrível,para mim, todas as músicas do cd são boas.

3 de agosto de 2010 16:13  
Anonymous Suami said...

Me surpreendi.
Confesso que não esperava um disco assim da Cyndi.
Não que ela não cante bem, sempre foi melhor cantora que muitas de sua geração.
Mas atualmente sua carreira não parecia seguir um rumo nem de longe parecido com esse novo trabalho.
Tomara que ela deseje surpreender sempre a partir de agora.
Com este disco ela mostra que antes de tudo é uma interprete,
pode andar pela musica com categoria sem deixar de ter sua marca pessoal.
Uma delícia.

3 de agosto de 2010 16:34  
Blogger Daniel said...

Vou ouvir, nao conheço muito de blues tampouco de Cindy

3 de agosto de 2010 20:20  
Blogger rogeriolauper said...

Cyndi Lauper é uma das mais completas artistas que surgiram nas ultimas décadas, canta (divinamente bem), compõe, toca uma série de instrumentos, atua, dirige seus videoclipes, já ganhou Grammy, Emmy e Tony Awards, respectivamente os prêmios mais cobiçados e respeitados da música, tv e teatro americanos!
Nas ultimas três décadas lançou trabalhos aclamados pela crítica especializada e pelos poucos sortudos que tiveram acesso a esses excelentes trabalhos, infelizmente o boicote imposto pela sua antiga gravadora, por absurdas questões obscuras, fez com que o grande público não tomasse conhecimento da consistente carreira de Cyndi além dos anos 80. Agora, como artista independente, produziu seu tão almejado disco de blues, projeto veementemente recusado por sua antiga gravadora, e, desafiando as previsões daquela gravadora, seguindo seu instinto de uma verdadeira artista Cyndi presenteou o mundo com um dos mais aclamados discos de blues dos ultimos tempos, até mesmo os mais aficcionados seguidores do estilo se renderam a esta intrusa no mundo do blues, Memphis Blues, título deste tão bem sucedido álbum vem recebendo ótimas críticas desde seu lançamento e é sucesso absoluto nos EUA, permanecendo por 5 semanas seguidas no 1º lugar da parada blues, da incontestável revista billboard. Um feito extraordinário dessa verdadeira guerreira do universo musical, uma verdadeira Diva!!!

3 de agosto de 2010 23:04  

Postar um comentário

<< Home