17 de julho de 2010

Rappa cresce entre o 'mar de gente' da Rocinha

Resenha de CD e DVD
Título: Ao Vivo
Artista: O Rappa
Gravadora: Warner Music
Cotação: * * * * 1/2

Em fina sintonia com o tom engajado do discurso de suas letras, o grupo carioca O Rappa optou por registrar a turnê 7 Vezes em show feito na Rocinha, a maior favela do Brasil, situada na Zona Sul do Rio de Janeiro (RJ). A gravação feita em 23 de agosto de 2009 está sendo editada em DVD - extremamente bem filmado - e em dois CDs, vendidos de forma avulsa e em edição dupla que registra a gravação na íntegra. Filmado sob a direção de Heron Domingues, o DVD capta bem o clima explosivo dos shows do Rappa. Se em disco a ausência de Marcelo Yuka ainda é sentida, no palco o Rappa se agiganta com sua azeitada fusão de rock, reggae e funk que transita eventualmente pelo mundo do samba e do rap. Terceiro DVD do grupo do caloroso vocalista Falcão, Ao Vivo é o registro de show que perpetua com mais fidelidade o estado febril das apresentações da banda. E funciona com potente retrospecto de sua carreira fonográfica, iniciada em 1994. Em 25 números, o roteiro entrelaça músicas dos cinco álbuns de estúdio do grupo com equilíbrio que somente não é total porque o primeiro álbum - O Rappa (1994) - é lembrado somente com Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro. Mas a seleção é arretada. Diante do mar de gente que se juntou na Rocinha para ver o Rappa, fazendo coro espontâneo em temas como Hey Joe, Falcão e cia. desfiam um repertório que pode ser encarado como o best of de uma banda que tem procurado ser coerente com sua proposta inicial. A mixagem 5.1 distribui com maestria os grooves espertos tirados por Lauro Faria (baixo e voz), Marcelo Falcão (voz e guitarra), Marcelo Lobato (teclados) e Xandão (guitarra) com o auxílio luxuosíssimo dos efeitos do DJ Negralha e da bateria de Cléber Sena. Apuro técnico à parte, o fato é que ver e ouvir o povo da Rocinha cantando versos como "Na Vida, coisa mais feia / É gente que vive chorando de barriga cheia" - do samba Maneiras (Sylvio da Silva) - alcança significado todo especial que legitima e valoriza o melhor registro ao vivo de show do Rappa. Pena que, ao expor na capa a engenhosa escultura de Fábio Ema que esculpe o nome do grupo na forma de barracos de favela, CD e DVD não mostrem nessa bela capa o mar de gente que tanto contribuiu para a aura especial adquirida pela (forte) apresentação do Rappa na Rocinha.

5 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Em sintonia com o tom engajado do discurso de suas letras, o grupo carioca O Rappa optou por registrar a turnê 7 Vezes em show feito na Rocinha, a maior favela do Brasil, situada na Zona Sul do Rio de Janeiro (RJ). A gravação feita em 23 de agosto de 2009 está sendo editada em DVD - extremamente bem filmado - e em dois CDs, vendidos de forma avulsa e em edição dupla que registra a gravação na íntegra. Filmado sob a direção de Heron Domingues, o DVD capta bem o clima explosivo dos shows do Rappa. Se em disco a ausência de Marcelo Yuka ainda é sentida, no palco o Rappa se agiganta com sua azeitada fusão de rock, reggae e funk que transita eventualmente pelo mundo do samba e do rap. Terceiro DVD do grupo do caloroso vocalista Falcão, Ao Vivo é o registro de show que perpetua com mais fidelidade o estado febril das apresentações da banda. E funciona com potente retrospecto de sua carreira fonográfica, iniciada em 1994. Em 25 números, o roteiro entrelaça músicas dos cinco álbuns de estúdio do grupo com equilíbrio que somente não é total porque o primeiro álbum - O Rappa (1994) - é lembrado somente com Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro. Mas a seleção é arretada. Diante do mar de gente que se juntou na Rocinha para ver o Rappa, fazendo coro espontâneo em temas como Hey Joe, Falcão e cia. desfiam um repertório que pode ser encarado como o best of de uma banda que tem procurado ser coerente com sua proposta inicial. A mixagem 5.1 distribui com maestria os grooves espertos tirados por Lauro Faria (baixo e voz), Marcelo Falcão (voz e guitarra), Marcelo Lobato (teclados) e Xandão (guitarra) com o auxílio luxuosíssimo dos efeitos do DJ Negralha e da bateria de Cléber Sena. Apuro técnico à parte, o fato é que ver e ouvir o povo da Rocinha cantando versos como "Na Vida, coisa mais feia / É gente que vive chorando de barriga cheia" - do samba Maneiras (Sylvio da Silva) - alcança significado todo especial que legitima e valoriza o melhor registro ao vivo de show do Rappa. Pena que, ao expor na capa a engenhosa escultura de Fábio Ema que esculpe o nome do grupo na forma de barracos de favela, CD e DVD não mostrem nessa bela capa o mar de gente que tanto contribuiu para a aura especial adquirida pela (forte) apresentação do Rappa na Rocinha.

17 de julho de 2010 10:37  
Blogger Luca said...

Ora, o Rappa se dá bem no palco porque se garante no repertório de Yuka, eles nunca mais lançaram um disco como o lado b lado a

17 de julho de 2010 12:18  
Anonymous Anônimo said...

O Silêncio que Precede o Esporro é um grande disco.
Ouvir dizer que o Yuka está gravando um disco com várias participações especiais - Marisa Monte, Nação Zumbi, D2...-
Acho que vai ficar bom esse negócio.

17 de julho de 2010 15:50  
Blogger Gill said...

O Rappa vem se mostrando uma das melhores opções culturais no seguimento pop/rock no Brasil. Esse grupo transcende, na verdade, esse seguimento e se torna uma pérola desafiadora no cenário artístico brasileiro.

17 de julho de 2010 19:06  
Anonymous Danilo said...

O DVD deve estar muito bom mesmo porque os caras estão tocando cada vez melhor, mas só volto a acreditar no Rappa quando eles apresentarem um material NOVO e CONSISTENTE, ao contrário da decepção do prolixo 7 vezes.Afinal, não vai dar pra se escorar no repertório do Yuka pra sempre.

17 de julho de 2010 19:47  

Postar um comentário

<< Home