2 de junho de 2010

Ivone reitera majestade nas escritas com Bruno

Resenha de CD
Título: Nas Escritas da Vida
Artista: Dona Ivone Lara e Bruno Castro
Gravadora: High Light Records
Cotação: * * * * 1/2

Aos 89 anos, Ivone Lara reitera a majestade de seu samba ao se reunir com o jovem parceiro Bruno Castro em CD que registra a produção da dupla, iniciada em 2001 com a inclusão de Um Grande Sonho no álbum Nasci para Sonhar e Cantar, gravado pela compositora naquele ano. Não por acaso, Um Grande Sonho é a última das 12 faixas deste independente Nas Escritas da Vida. Idealizado por Bruno, que conheceu Dona Ivone em 1997 quando passou a tocar cavaquinho no grupo que toca com a artista em shows, o álbum está em sintonia com a obra fonográfica da autora de Nasci para Sofrer, tema composto por Ivone para a escola de samba Prazer da Serrinha, semente do Império Serrano, agremiação carioca que Ivone e Bruno - com a adesão do parceiro bissexto Maurício Verde - celebram no sambão No Coração de Madureira, destaque da safra elegante de Nas Escritas da Vida. O disco preserva o DNA melódico e poético da obra da autora, criada prioritariamente com Délcio Carvalho nos anos 70 e 80. Antecessor de Bruno no posto de parceiro mais frequente da rainha, Délcio se junta à dupla e figura como co-autor de Noites de Magia, faixa embebida em nostalgia e em fina melancolia. Atual "parceiro predileto" de Ivone, Bruno se aventura sozinho como cantor em Esbanjando Alegria (bela declaração de amor ao "som encantado" e "doce balanço" do banjo, instrumento essencial nos pagodes e quintais da vida carioca), Destino e Sagrado Lugar (ode à gafieira carioca Estudantina feita com a sonoridade típica de casas do gênero). Já Investida Fatal marca a feliz estreia como compositor de André Lara, neto de Ivone. "Dei-te a luz, mas tu preferes a nevasca / Tens a voz, mas tu quisestes a mordaça", lamenta Ivone nos versos desta que é uma das músicas mais bonitas do CD. Embora nada tenha mais beleza do que a sublime melodia da faixa-título, Nas Escritas da Vida. Curiosamente, ao cantar verso deste samba, Ivone sentencia prognóstico oposto ao título de seu primeiro sucesso: "Não nasci para sofrer", avisa a dama, já a caminho dos 90 anos. Em disco que exala o perfume poético típico da obra da autora, evidenciando que Bruno já se equipara ao veterano Délcio Carvalho, a dupla enaltece o poder pacificador de seu próprio samba em Divina Missão, outra pérola do rosário desfiado pelos parceiros com instrumental suave, urdido sob a direção musical de Maurício Verde. Difícil ouvir temas como Convicção Tardia, Canção em Madrigais - obra-prima composta pela dupla com a adesão de Luiz Carlos da Vila (1948 - 2009) e gravada com arranjo pontuado por piano - e Escravo da Dor e não ser invadido por um sentimento de leveza proporcionado pelo contato com repertório que persegue sempre a nobreza. E - com frequência - alcança êxito nessa divina missão!!

4 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Aos 89 anos, Ivone Lara reitera a majestade de seu samba ao se reunir com o jovem parceiro Bruno Castro em CD que registra a produção da dupla, iniciada em 2001 com a inclusão de Um Grande Sonho no álbum Nasci para Sonhar e Cantar, gravado pela compositora naquele ano. Não por acaso, Um Grande Sonho é a última das 12 faixas deste independente Nas Escritas da Vida. Idealizado por Bruno, que conheceu Dona Ivone em 1997 quando passou a tocar cavaquinho no grupo que toca com a artista em shows, o álbum está em sintonia com a obra fonográfica da autora de Nasci para Sofrer, tema composto por Ivone para a escola de samba Prazer da Serrinha, semente do Império Serrano, agremiação carioca que Ivone e Bruno - com a adesão do parceiro bissexto Maurício Verde - celebram no sambão No Coração de Madureira, destaque da safra elegante de Nas Escritas da Vida. O disco preserva o DNA melódico e poético da obra da autora, criada prioritariamente com Délcio Carvalho nos anos 70 e 80. Antecessor de Bruno no posto de parceiro mais frequente da rainha, Délcio se junta à dupla e figura como co-autor de Noites de Magia, faixa embebida em nostalgia e em fina melancolia. Atual "parceiro predileto" de Ivone, Bruno se aventura sozinho como cantor em Esbanjando Alegria (bela declaração de amor ao "som encantado" e "doce balanço" do banjo, instrumento essencial nos pagodes e quintais da vida carioca), Destino e Sagrado Lugar (ode à gafieira carioca Estudantina feita com a sonoridade típica de casas do gênero). Já Investida Fatal marca a feliz estreia como compositor de André Lara, neto de Ivone. "Dei-te a luz, mas tu preferes a nevasca / Tens a voz, mas tu quisestes a mordaça", lamenta Ivone nos versos desta que é uma das músicas mais bonitas do CD. Embora nada tenha mais beleza do que a sublime melodia da faixa-título, Nas Escritas da Vida. Curiosamente, ao cantar verso deste samba, Ivone sentencia prognóstico oposto ao título de seu primeiro sucesso: "Não nasci para sofrer", avisa a dama, já a caminho dos 90 anos. Em disco que exala o perfume poético típico da obra da autora, evidenciando que Bruno já se equipara ao veterano Délcio Carvalho, a dupla enaltece o poder pacificador de seu próprio samba em Divina Missão, outra pérola do rosário desfiado pelos parceiros com instrumental suave, urdido sob a direção musical de Maurício Verde. Difícil ouvir temas como Convicção Tardia, Canção em Madrigais - obra-prima composta pela dupla com a adesão de Luiz Carlos da Vila (1948 - 2009) e gravada com arranjo pontuado por piano - e Escravo da Dor e não ser invadido por um sentimento de leveza proporcionado pelo contato com repertório que persegue sempre a nobreza. E - com frequência - alcança êxito nessa divina missão!!

2 de junho de 2010 20:02  
Anonymous Anônimo said...

Eu quero esse disco! Tem informações sobre a distribuição, Mauro?
Engraçado que eu estava lendo a biografia da Dona Ivone, da Jornalista Mila Burns e ela cita a feitura desse disco pelo Bruno. Eu andava a procura, mas só deve ter sido finalizado agora. Agradeço caso possa me ajudar,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: E na torcida para que no disco da minha Rainha tenha um samba da Rainha Ivone.

2 de junho de 2010 21:38  
Anonymous Alexandre Siqueira said...

A sua benção, Majestade! Dona Ivone é a mãe, a tia, a avó, a bisavó que todos nós gostaríamos de ter em nossa casa, cantando canções de ninar em forma de lundu, jongo, samba, partido-alto, o que seja. Canções que vão ficar pra sempre no nosso cancioneiro popular. Essa é a Rainha, mãe de todas as Rainhas da MPB!
Parabéns pela resenha, Mauro.

3 de junho de 2010 11:17  
Anonymous Anônimo said...

Que emoção saber que Dona Ivone continua produzindo uma coisa atrás da outra, fazendo shows pelo Brasil afora e nos encantando. Esta semana comprei o DVD "Canto de Rainha" (indesculpável não ter uma resenha do trabalho aqui no blog - a resenha apenas do show de gravação não vale...) e realmente a melodia de "Nas Escritas da Vida" é singular. É um som diferente, que parece nos dar energia para seguir em frente mesmo quando estamos exaustos... "Resignação" é outra pérola do simpático DVD.

Salve, Rainha!!!

3 de junho de 2010 14:57  

Postar um comentário

<< Home