3 de maio de 2010

Zeca prepara CD de inéditas pilotado por Rildo

Zeca Pagodinho vai lançar disco de inéditas no segundo semestre de 2010. O produtor Rildo Hora, que vai pilotar a gravação, ajuda o sambista a selecionar o repertório. Rildo pediu músicas a Ivone Lara, que já enviou parcerias com Bruno Castro e Délcio Carvalho.

10 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Zeca Pagodinho vai lançar disco de inéditas no segundo semestre de 2010. O produtor Rildo Hora, que vai pilotar a gravação, ajuda o sambista a selecionar o repertório. Rildo pediu músicas a Ivone Lara, que já enviou parcerias com Bruno Castro e Délcio Carvalho.

3 de maio de 2010 16:08  
Anonymous Anônimo said...

Bela escolha! Aliás, no disco À Vera, tem a música Dizer não pro Adeus que é simplesmente maravilhosa, muito linda!
E no dvd Canto de Rainha (de Dona Ivone) ficou ainda mais bonita com o dueto dos dois.
Espero que o Rildo também encomende uma para o cd de inéditas de D. Beth.
Abraços,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

3 de maio de 2010 20:35  
Anonymous Anônimo said...

Vou morrer sem entender a devoção que fazem a esse artista.

3 de maio de 2010 23:56  
Anonymous Anônimo said...

Zeca é autêntico. Não é o melhor cantor de samba da história, mas cantou o samba de forma diferente. Bom compositor é cantor carismático.
Não tem o primor técnico de um João Gilberto, mas é muito menos mala. E todos podem assisti-lo.
E é a cara de uma boa parcela da população brasileira que vê nele parte de si.

Carioca da Piedade

4 de maio de 2010 11:34  
Anonymous Anônimo said...

No mínimo curiosa a comparação com João Gilberto. Parece que o comentário foi feito apenas para alfinetar o segundo, porque, a rigor, um nada tem a ver com o outro. Sou mais João e mais Gilberto também.

4 de maio de 2010 12:02  
Anonymous Anônimo said...

Caro 4 de maio de 2010 12:02,

O comentário foi para dizer que Zeca tem seu talento e é impar.

Gosto muito de João Gilberto. Mas, convenhamos que não deve ser a pessoa mais fácil de conviver. E isso faz alguma diferença.

O cara é um gênio da raça, mas também é um mala da raça. Sei de gente que ele deixou esperando 30 minutos no telefone, numa ligação interurbana, só porque ele foi ver a paisagem na janela...

Donato, que também é João, é maluco. Mas, maluco beleza. Gosta de se misturar, de renovar a si e a seu trabalho.

João Gilberto é o que é. Lindo, maravilhoso cantando, tocando... Mas, fora Nelson Motta e uns poucos outros não se sabe com quem ele conviveu descentemente além de seu umbigo e violão.

Seu talento é inegável. Tenho o original do Chega de Saudade, o LP, que guardo com carinho.

Mas, como gênio que é, prefiro algo mais próximo da minha vida, como Donato, Menescal, Marcos Valle, Joyce, Dori, Danilo, Severino Filho e um monte de bossanovistas e filhos da Bossa que tem mais a ver com a vida.

João é no pedestal e inatingível. Bom de ouvir, de longe. Sem contato.

Talvez mudasse de idéia se tivéssemos um contato pessoal, mas como isso não vai acontecer, deixo a comparação com o Zeca, que pode não ser um ás, mas ganha jogo e dá para ver a partida, ao vivo, televisionada.

Sou fã dos dois, Zeca e João, mas para sentar e conversar, e ouvir, sou mais o Zeca. Sou da Piedade, não da Zona Sul do Rio, nem de Juazeiro.

Carioca da Piedade. E não falamos mais nisso!

4 de maio de 2010 17:30  
Anonymous Vagner - Lapa said...

Além disso tudo que o carioca da piedade escreveu, Zeca presta um baita trabalho ao samba, registrando com qualidade e regularidade sambas antigos e inéditos, acho que poucos , trabalhos de samba tem o rigor na produção que os do zeca, são bem idealizados, com um ótima seleção de repertório, ótimos arranjos e músicos. Ou seja, ele faz o que quase todos batem cabeça e não conseguem fazer: um bom trabalho.

4 de maio de 2010 21:07  
Anonymous Anônimo said...

Ele aprendeu com a madrinha dela.
Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

5 de maio de 2010 09:06  
Anonymous Anônimo said...

Adoro a obra do Zeca e gosto muito dele como pessoa, apesar de nao ter amizade nenhuma, mas ele eh o tipico carioca, que veio do nada, conquistou muita coisa na carreira e nao esquece seu passado, suas raizes, e eleva o samba a um patamar alto trazendo-o para dentro da sociedade "burguesinha, burguesinha, burguesinha..so no file" bastante autenticidade e assim, os ditos finos e cult s, acabam tambem prestando atencao a sua arte.
Sim, ele e o "boff" que eu adoraria curtir muitos churrrascos e cervejadas em muitos finais de semana. Compro seus cds e DVDs e gosto muito...seu canto traz o Brasil e muitas memorias de dias felizes para mais perto de mim.

Sucesso e saude longa, Zeca!

5 de maio de 2010 13:23  
Anonymous Anônimo said...

Só lamento que a mão do Rildo esteja por trás da produção. Os arranjos são padronizados demais. Bola fora!

Mas o Zeca é dez!

Ele bem que podia gravar Wanderley Monteiro...

Presidência

7 de maio de 2010 20:26  

Postar um comentário

<< Home