11 de maio de 2010

Diogo põe quatro inéditas em seu segundo DVD

Diogo Nogueira vai fazer um segundo registro ao vivo de show para edição em CD e DVD - a serem lançados no segundo semestre de 2010 pela EMI Music. A gravação está agendada para 27 de maio em apresentação única no Canecão, no Rio de Janeiro (RJ). A base do registro ao vivo vai ser o show Tô Fazendo a Minha a Parte, que estreou em 5 de julho de 2009 no mesmo Canecão (clique aqui para ler a resenha da estreia carioca). Só que Diogo vai incluir quatro músicas inéditas no roteiro e receber em cena ao menos dois convidados - mantidos sob sigilo por sua produção.

5 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Diogo Nogueira vai fazer um segundo registro ao vivo de show para edição em CD e DVD - a serem lançados no segundo semestre de 2010 pela EMI Music. A gravação está agendada para 27 de maio em apresentação única no Canecão, no Rio de Janeiro (RJ). A base do registro ao vivo vai ser o show Tô Fazendo a Minha a Parte, que estreou em 5 de julho de 2009 no mesmo Canecão (clique aqui para ler a resenha da estreia carioca). Só que Diogo vai incluir quatro músicas inéditas no roteiro e receber em cena ao menos dois convidados - mantidos sob sigilo por sua produção.

11 de maio de 2010 00:16  
Anonymous Luc said...

A Polícia Federal e um oficial de Justiça cumpriram, na noite desta segunda-feira, uma decisão da 3ª Vara Federal do Rio de Janeiro e realizaram a reintegração de posse do terreno da casa de shows Canecão, em Botafogo, zona sul do Rio. A decisão foi favorável à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Finalmente acabou a pior casa de espetáculos do mundo. Preços absurdos, maltratavam o público, dificultando ao máximo a venda de ingressos. A cozinha, imunda, foi interditada. Espero que acabe o esquema de garçons passando pra lá e pra cá durante os espetáculos. Mesas grudadas umas nas outras, cadeiras cambaias e furadas, arquibancadas pra lá de desconfortáveis, onde só dava para ver o show à custa de torcicolo. E tudo a preço de ouro.
Além disso, dizem que havia sonegação, descontavam a previdência dos empregados e não repassavam ao INSS.

O público agradece e pede a construção de um teatro de verdade, com poltronas e sem serviço de comida e de bebida. A gente quer ver os shows direito.

11 de maio de 2010 10:06  
Anonymous Anônimo said...

Apesar de concordar com alguns desconfortos sobre o texto do Luc, a nostalgia nessas horas fala mais alto, mas eu lamento o fim de uma importante (talvez a mais) casa de espetáculos do Rio de Janeiro e do Brasil.
Abraços,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: Quanto a notícia do Diogo, desejo sucesso e ficarei na torcida para que um dos convidados seja a Rainha Beth.

11 de maio de 2010 11:28  
Anonymous Anônimo said...

Sobre o Canecão, concordo com o Luc. Tenho uma tendência à nostalgia, mas o atendimento do Canecão é tão de quinta categoria que nem consigo lamentar o seu fechamento.

11 de maio de 2010 13:06  
Blogger Outras Palavras said...

Que ingenuidade achar que aquele mastodonte chamado UFRJ vai gerir uma casa de espetáculo de qualidade. Para a informação de todos, a UFRJ é responsável pelo Museu da Quintal da Boa Vista, que se encontra em total abandono.
Quando o reitor diz que vai convidar a classe artística para ajudar na elaboração de um centro cultural sinto arrepios. Provavelmente vai chamar ongs ditas culturas, artistas de quinta que se acham de primeira e um monte de interesseiros.
Pena. No Canecão assisti aos melhores shows da minha vida.

12 de maio de 2010 06:50  

Postar um comentário

<< Home