20 de abril de 2010

'Que Assim Seja' não adensa o reggae do Cidade

Resenha de CD
Título: Que Assim Seja
Artista: Cidade Negra
Gravadora: Kamikaze Records / Microservice
Cotação: * * 1/2

Ao incorporar o carismático vocalista Toni Garrido, após dois álbuns feitos com o canto politizado do dissidente Rás Bernardo, o grupo Cidade Negra partiu para rota mais pop - perceptível no tom menos denso de seu terceiro CD, Sobre Todas as Forças (1994), que, não por acaso, elevou as vendas da banda formada na Baixada Fluminense (RJ) em 1986 por conta de hits radiofônicos como Onde Você Mora? (Marisa Monte e Nando Reis). Em 2008, após longo período de turbulências internas, Garrido deixou a banda, sendo substituído por Alexandre Massau. Na sequência, o guitarrista Da Gama - um dos fundadores da Cidade - também saiu do grupo. Que resistiu e começou a preparar ainda em 2008 um disco de inéditas, Que Assim Seja, enfim lançado neste mês de abril de 2010. Produzido por Nilo Romero, que deu acabamento às demos gravadas pelo hoje trio, o álbum é o oitavo de estúdio do grupo e o primeiro de inéditas desde Perto de Deus (2005). Desta vez, a mudança de vocalista não gerou nova mudança de rota. Sem uma oportuna renovação e sem um brilho especial, o Cidade Negra não adensa seu reggae, permanecendo na mesma rota pop seguida na fase com Garrido. É justo reconhecer que ao menos duas das 12 inéditas da mediana safra autoral - Vem Morar Comigo e Sol de Verão - têm cacife para as paradas por conta do excelente acabamento pop das melodias. Mas é pena que, nesta nova fase, a banda não tenha ido à cata de bons letristas para adensar o discurso, ralo na crítica política de Porta da Favela e cheio de clichês na abordagem espiritualista de Verdadeiro Poder, cujos versos parecem tirados de um livro de auto-ajuda. Entre alguns dubs e as guitarras que pontuam a música-título Que Assim Seja, erroneamente eleita para promover o CD, sobressaem o rap feito pelo ator André Ramiro em Quem Diz que Homem Não Chora? e os vocais do DJ e toaster jamaicano Ranking Joe em Espere Amor, música que agrega trechos de Na Onda do Jornal, parceria do sambista Agepê (1942 - 1995) com Canário. Contudo, Que Assim Seja deixa a triste sensação de que o Cidade Negra - hoje reduzido a um trio formado pelo bom vocalista Alexandre Massau com os remanescentes Bino Farias (baixo) e e Lazão (bateria) - não aproveitou o fato de estar livre das pressões e cobranças da indústria fonográfica para fazer CD condizente com seu histórico. Se é assim, que assim seja! Só que poderia ser mais...

5 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Ao incorporar o carismático vocalista Toni Garrido, após dois álbuns feitos com o canto politizado do dissidente Rás Bernardo, o grupo Cidade Negra partiu para rota mais pop - perceptível no tom menos denso de seu terceiro CD, Sobre Todas as Forças (1994), que, não por acaso, elevou as vendas da banda formada na Baixada Fluminense (RJ) em 1986 por conta de hits radiofônicos como Aonde Você Mora? (Marisa Monte e Nando Reis). Em 2008, após longo período de turbulências internas, Garrido deixou a banda, sendo substituído por Alexandre Massau. Na sequência, o guitarrista Da Gama - um dos fundadores da Cidade - também saiu do grupo. Que resistiu e começou a preparar ainda em 2008 um disco de inéditas, Que Assim Seja, enfim lançado neste mês de abril de 2010. Produzido por Nilo Romero, que deu acabamento às demos gravadas pelo hoje trio, o álbum é o oitavo de estúdio do grupo e o primeiro de inéditas desde Perto de Deus (2005). Desta vez, a mudança de vocalista não gerou nova mudança de rota. Sem uma oportuna renovação e sem um brilho especial, o Cidade Negra não adensa seu reggae, permanecendo na mesma rota pop seguida na fase com Garrido. É justo reconhecer que ao menos duas das 12 inéditas da mediana safra autoral - Vem Morar Comigo e Sol de Verão - têm cacife para as paradas por conta do excelente acabamento pop das melodias. Mas é pena que, nesta nova fase, a banda não tenha ido à cata de bons letristas para adensar o discurso, ralo na crítica política de Porta da Favela e cheio de clichês na abordagem espiritualista de Verdadeiro Poder, cujos versos parecem tirados de um livro de auto-ajuda. Entre alguns dubs e as guitarras que pontuam a faixa-título Que Assim Seja, erroneamente escolhida como música de trabalho, sobressai o rap feito pelo ator André Ramiro em Quem Diz que Homem Não Chora? e os vocais do DJ e toaster jamaicano Ranking Joe em Espere Amor, música que agrega trechos de Na Onda do Jornal, parceria do sambista Agepê (1942 - 1995) com Canário. Contudo, Que Assim Seja deixa a triste sensação de que o Cidade Negra - hoje reduzido a um trio formado pelo bom vocalista Alexandre Massau com os remanescentes Bino Farias (baixo) e e Lazão (bateria) - não aproveitou o fato de estar livre das pressões e cobranças da indústria fonográfica para fazer CD condizente com seu histórico. Se é assim, que assim seja! Só que poderia ser mais...

20 de abril de 2010 10:30  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, só fazendo pequeníssima retificação: o principal hit do "Sobre todas as forças" é "Onde você mora?", sem o "a".

Fora isso, eu arrisco a me dizer: tenho a impressão de que a única vez que o CN ousou, na era Toni Garrido, foi em "Quanto Mais Curtido Melhor".

Felipe dos Santos Souza

20 de abril de 2010 15:27  
Blogger Mauro Ferreira said...

Grato pelo toque atento, Felipe. Abs, MauroF

20 de abril de 2010 16:04  
Blogger 100 Licença: Poética said...

Mauro querido, tudo em paz?
Conheci seu blog através da linda cantora Luíza Dionízio. Vi sua crítica sobre o show e achei bem bacana. Gostaria de te enviar minha música pra que você também a conheça. Em março deste ano lancei aquilo que chamo de meu primeiro degrau. Um EP chamado "A Minha Força é Outra" e que venho divulgando e trabalhando de forma independente. Tenho feito parcerias com sites e blogs especializados em música pra divulgar o EP.
Deixo aqui meu myspace onde você poderá conhecer o trabalho melhor e fazer suas críticas e avaliações.
Caso se interesse, posso te enviar o link pra baixar todo o conteúdo, já o que o myspace não libera o download.
www.myspace.com/glauciachris
meu contato pessoal:
glauciaproducao@yahoo.com.br

Forte abraço e que a música brasileira seja sempre essa deliciosa surpresa.
Glaucia Chris

20 de abril de 2010 16:44  
Anonymous Adriano said...

Se ouvir com mais cuidado, vai notar que passageira foi a crítica! Esperava mais de você Mauro...afinal é um disco que não peca nenhum pouco nas letras, muito menos na batida "POP" como foi editado. É reggae de primeira e até o Jamaicano Ranking Joe elogiou o trabalho apresentado!

21 de abril de 2010 19:10  

Postar um comentário

<< Home