17 de abril de 2010

McFerrin une a voz humana em VOCAbuLarieS

Resenha de CD
Título: VOCAbuLarieS
Artista: Bobby McFerrin
Gravadora: Universal
Music
Cotação: * * * 1/2

Já virou clichê dizer que a voz múltipla de Bobby McFerrin engloba todos os sons de uma orquestra. Em seu primeiro álbum em oito anos, VOCAbuLarieS, o original artista explora ao máximo o potencial da voz humana. Mas não somente a sua. Sob a batuta do produtor Roger Treece, McFerrin recrutou mais de 50 cantores ao redor do mundo para combinar as vozes deles em sete temas de tom experimental que agregam cerca de 15 idiomas. Lançado neste mês de abril de 2010, VOCAbuLarieS exige atenção e concentração para que o ouvinte possa absorver as informações dadas em seus 63 minutos e 52 segundos. Juntos, os sete temas traduzem a versatilidade da obra de McFerrin com uma mistura de elementos de jazz, pop e do que se convencionou rotular de world music. Das sete peças, Baby é o destaque com seus vocais de acento africano. Outro destaque, Brief Eternity mais parece tema extraído da trilha sonora orquestral de um filme épico. Say Ladeo flerta, sem concessões, com o pop. No todo, VOCAbuLarieS soa tão complexo quanto harmonioso. Outros artistas já exploraram o potencial da voz humana - como, por exemplo, Björk em Medúlla (2004) - mas McFerrin parece ter ido mais fundo à procura de sotaque global que una vários povos.

2 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Já virou clichê dizer que a voz múltipla de Bobby McFerrin engloba todos os sons de uma orquestra. Em seu primeiro álbum em oito anos, VOCAbuLarieS, o original artista explora ao máximo o potencial da voz humana. Mas não somente a sua. Sob a batuta do produtor Roger Treece, McFerrin recrutou mais de 50 cantores ao redor do mundo para combinar as vozes deles em sete temas de tom experimental que agregam cerca de 15 idiomas. Lançado neste mês de abril de 2010, VOCAbuLarieS exige atenção e concentração para que o ouvinte possa absorver as informações dadas em seus 63 minutos e 52 segundos. Juntos, os sete temas traduzem a versatilidade da obra de McFerrin com uma mistura de elementos de jazz, pop e do que se convencionou rotular de world music. Das sete peças, Baby é o destaque com seus vocais de acento africano. Outro destaque, Brief Eternity mais parece tema extraído da trilha sonora orquestral de um filme épico. Say Ladeo flerta, sem concessões, com o pop. No todo, VOCAbuLarieS soa tão complexo quanto harmonioso. Outros artistas já exploraram o potencial da voz humana - como, por exemplo, Björk em Medúlla (2004) - mas McFerrin parece ter ido mais fundo à procura de sotaque global que una vários povos.

17 de abril de 2010 18:09  
Anonymous Cris Aflalo said...

Amei!

20 de abril de 2010 00:33  

Postar um comentário

<< Home