22 de março de 2010

Trio de Câmara revive obra de Canhoto em CD

Francisco Soares de Araújo, o Canhoto da Paraíba (1926 - 2008), foi um dos gênios do choro. Como músico - Chico Soares, como ele também era conhecido, tocava com a mão esquerda um violão inventivo e sempre virtuoso - e como compositor. A obra autoral do artista é o mote de Saudades de Princesa, disco ora editado pela Crioula Records. Quem interpreta os temas de Canhoto é o Trio de Câmara Brasileiro, formado por Caio Cezar (violão e direção musical), Alessandro Mendes (cavaquinho) e Pedro Amorim (bandolim e violão tenor). O título Saudades de Princesa é o nome de uma das 12 faixas. No caso, um tema em que Canhoto expressava na música a saudade de Princesa Isabel, a cidade do sertão paraibano em que nasceu nos anos 20. Como conceitua o violonista Caio Cezar em texto escrito para o encarte do CD, há temas - como Com Mais de Mil e Visitando o Recife - em que se observa com mais nitidez a influência da música nordestina no choro de Canhoto. Em contrapartida, temas como O Grito de Mestre Sérgio e Choro na Madrugada (Até Velho Dança) mostram um compositor mais fiel aos cânones do choro mais tradicional. Tributo à altura do mestre!

2 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Francisco Soares de Araújo, o Canhoto da Paraíba (1926 - 2008), foi um dos gênios do choro. Como músico - Chico Soares, como ele também era conhecido, tocava com a mão esquerda um violão inventivo e sempre virtuoso - e como compositor. A obra autoral do artista é o mote de Saudades de Princesa, disco ora editado pela Crioula Records. Quem interpreta os temas de Canhoto é o Trio de Câmara Brasileiro, formado por Caio Cezar (violão e direção musical), Alessandro Mendes (cavaquinho) e Pedro Amorim (bandolim e violão tenor). O título Saudades de Princesa é o nome de uma das 12 faixas. No caso, um tema em que Canhoto expressava na música a saudade de Princesa Isabel, a cidade do sertão paraibano em que nasceu nos anos 20. Como conceitua o violonista Caio Cezar em texto escrito para o encarte do CD, há temas - como Com Mais de Mil e Visitando o Recife - em que se observa com mais nitidez a influência da música nordestina no choro de Canhoto. Em contrapartida, temas como O Grito de Mestre Sérgio e Choro na Madrugada (Até Velho Dança) mostram um compositor mais fiel aos cânones do choro mais tradicional. Tributo à altura do mestre!

22 de março de 2010 11:12  
Blogger fábio Passadisco said...

Um disco imperdível...

22 de março de 2010 12:17  

Postar um comentário

<< Home