19 de março de 2010

Bom baile de Paula alterna balanço com falação

Resenha de CD
Título: Samba Chic
Artista: Paula Lima (em fotos de Mauro Ferreira)
Local: Canecão (RJ)
Data: 18 de março de 2010
Cotação: * * * *
Cantora mais associada a São Paulo (SP), onde despontou nos anos 2000 como vocalista do grupo Funk Como le Gusta, Paula Lima é presença bissexta em palcos cariocas. Por isso mesmo, a artista bem merecia ter se apresentado no Rio de Janeiro (RJ) para um público bem maior do que o que compareceu ao Canecão na noite de 18 de março de 2010 para ver o show Samba Chic, inspirado no homônimo DVD que perpetua apresentação captada em agosto de 2008 na Casa das Caldeiras (SP). Sem se intimidar com a casa vazia, Paula comandou com charme e desenvoltura seu baile black em que convivem samba, suingue soul, grooves funkeados e samba-rock. Nem a falação excessiva da artista em cena - músicas como É Isso Aí (Sidney Miller) foram precedidas por longos monólogos - diluiu o charme e o balanço do show. "É festa! É baile!", conceituou a própria artista no palco, quando já saía de cena, ao som de Deixa Isso pra Lá (Edson Menezes e Alberto Paz), antes de voltar para o bis, dado com Mangueira (Seu Jorge) - onde coube citação de Os Meninos da Mangueira, samba dos 70, de Sérgio Cabral e Rildo Hora - e Meu Guarda-Chuva (Jorge Ben Jor).
Em cena, Paula Lima se abriga sob um suingue black e sob sua capacidade de interagir bem com o público, posto de pé já no quarto número, Tudo Certo ou Tudo Errado (Arlindo Cruz e Maurição), tema calcado no balanço do samba. Na primeira música, Quero Ver Você no Baile (Seu Jorge e Gabriel Moura), até parecia que o brilho do show seria empanado por certos maneirismos vocais da cantora. Contudo, Paula logo soube entrar no tom, escorada em banda que contabiliza sete músicos e três vocalistas. O entrosamento da turma garantiu os grooves espertos que adornaram temas como Gafieira S/A (Seu Jorge). E, justiça seja feita, o repertório é bom. Músicas do naipe de Samba sem Nenhum Problema (Márcio Local) e Negras Perucas (Marcus Vinicius e Nilo Pinheiro) estão em fina sintonia com a melhor produção do funk e do soul nacionais. Ora mais funkeado (como em Sai Daqui, Tristeza, tema de Max Viana), ora mais para o samba (como em Tirou Onda, parceria de Acyr Marques, Arlindo Cruz e Maurição), o som suingante de Paula Lima contagia. Mesmo quando transita em trilha mais pop, caso da balada Novos Alvos (Mart'nália, Ana Costa e Zélia Duncan), ou quando o balanço fica mais introspectivo (como em Cuidar de mim, parceria de Gabriel Moura com o recorrente Seu Jorge). No todo, apesar da falação por vezes excessiva, o baile de Paula Lima é geralmente da pesada.

40 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Cantora mais associada a São Paulo (SP), onde despontou nos anos 2000 como vocalista do grupo Funk Como le Gusta, Paula Lima é presença bissexta em palcos cariocas. Por isso mesmo, a artista bem merecia ter se apresentado no Rio de Janeiro (RJ) para um público bem maior do que o que compareceu ao Canecão na noite de 18 de março de 2010 para ver o show Samba Chic, inspirado no homônimo DVD que perpetua apresentação captada em agosto de 2008 na Casa das Caldeiras (SP). Sem se intimidar com a casa vazia, Paula comandou com charme e desenvoltura seu baile black em que convivem samba, suingue soul, grooves funkeados e samba-rock. Nem a falação excessiva da artista em cena - músicas como É Isso Aí (Sidney Miller) foram precedidas por longos monólogos - diluiu o charme e o balanço do show. "É festa! É baile!", conceituou a própria artista no palco, quando já saía de cena, ao som de Deixa Isso pra Lá (Edson Menezes e Alberto Paz), antes de voltar para o bis, dado com Mangueira (Seu Jorge) - onde coube citação de Os Meninos da Mangueira, samba dos anos 70 (de Ataulfo Alves Jr.) - e com Meu Guarda-Chuva (Jorge Ben Jor).
Em cena, Paula Lima se abriga sob um suingue black e sob sua capacidade de interagir bem com o público, posto de pé já no quarto número, Tudo Certo ou Tudo Errado (Arlindo Cruz e Maurição), tema calcado no balanço do samba. Na primeira música, Quero Ver Você no Baile (Seu Jorge e Gabriel Moura), até parecia que o brilho do show seria empanado por certos maneirismos vocais da cantora. Contudo, Paula logo soube entrar no tom, escorada em banda que contabiliza sete músicos e três vocalistas. O entrosamento da turma garantiu os grooves espertos que adornaram temas como Gafieira S/A (Seu Jorge). E, justiça seja feita, o repertório é bom. Músicas do naipe de Samba sem Nenhum Problema (Márcio Local) e Negras Perucas (Marcus Vinicius e Nilo Pinheiro) estão em fina sintonia com a melhor produção do funk e do soul nacionais. Ora mais funkeado (como em Sai Daqui, Tristeza, tema de Max Viana), ora mais para o samba (como em Tirou Onda, parceria de Acyr Marques, Arlindo Cruz e Maurição), o som suingante de Paula Lima contagia. Mesmo quando transita em trilha mais pop, caso da balada Novos Alvos (Mart'nália, Ana Costa e Zélia Duncan), ou quando o balanço fica mais introspectivo (como em Cuidar de mim, parceria de Gabriel Moura com o recorrente Seu Jorge). No todo, apesar da falação por vezes excessiva, o baile de Paula Lima é geralmente da pesada.

19 de março de 2010 11:53  
Anonymous Barci said...

Vamos lá!

A Casa das Caldeiras tem capacidade pra 800 pessoas.Todas agora cismaram que podem com o sagrado Canecão.Deu no que deu.Mas defendo a Paula contra o Mauro no quesito falação pois a campeã é Leny Andrade e nunca foi gongada.

Volte pra nossa sampa Miss Lima

19 de março de 2010 12:04  
Anonymous Anônimo said...

Muitas tem passado apuros no Canecão né ? Fafá,Angela RoRo,Claudya,Mariana Aydar,Ana Cañas,Fernanda Abreu,Elza Soares ...

19 de março de 2010 12:10  
Anonymous Anônimo said...

Paula vive resplandescente fase profissional pois além do "Ídolos" está no musical "Cats" e pelo visto ( com sete músicos e três vocalistas em cena )investiu bem nesse espetáculo.Pena não rolou o retorno!

Volte pra nossa sampa Miss Lima(2)
E nunca casa menor!

19 de março de 2010 12:29  
Anonymous Anônimo said...

eu fui e vou dizer foi inesquecível..........Paula Lima trouxe ao Rio o balanço e a afinação que anda faltando por aqui.

19 de março de 2010 12:47  
Anonymous Anônimo said...

Mauro,

A música: Os meninos da Mangueira é de autoria de Sérgio Cabral (Pai) e do Rildo Hora. Abraços,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

19 de março de 2010 13:29  
Blogger Mauro Ferreira said...

Grato, Marcelo, por detectar o erro na autoria do samba. Abs, MauroF

19 de março de 2010 13:43  
Anonymous Anônimo said...

De nada, meu caro! Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: Há três anos consecutivos passo o carnaval aí e lamento muito pela agenda dos shows no Canecão. Belo, Ricky Vallen e outros, só Martinho (07/02?) é que salvou nesse ano!

19 de março de 2010 13:59  
Blogger MAXXX said...

Taí uma das poucas que pode ser considerada uma diva hoje em dia. Vozeirão e presença de palco ela tem.

19 de março de 2010 15:07  
Anonymous Anônimo said...

A última vez que vi Paula Lima foi num show da Alcione em Sampa. Ela estava linda (como sempre) e toda tiete gritando na mesa ao lado da minha um sonoro "eu te amo, Marrom!"

Gosto muito da sua bela presença e timbre. Sucesso, Paula Lima!

Vitor (SP).

19 de março de 2010 15:55  
Anonymous Anônimo said...

O erro foi fazer no canecão como se fosse um show de bethânia, fizesse um bom bailão com pista custando 15 reais, que a energia rolaria bem melhor. Realmente Paula não tem empatia com o Rio, seu último CD é super carioca e não aconteceu. Acho que falta a naturalidade carioca a Paula, talvez ela devesse passar uns anos morando aqui, como faz todo cantor inteligente.

19 de março de 2010 18:33  
Anonymous Anônimo said...

Á Paula Lima é ótima!
No Rio só tem público no Canecão artistas com música na novela das 21 horas na Globo. O resto ninguém vai ver... É uma pena! Aqui em SP vamos ver quem é bom. Muita gente que não vive na Globo lota os shows por aqui. Por exemplo: Ná Ozzetti, Mônica Salmazo, Verônica Ferriani, Mariana Aydar, Vânia Bastos, Celia, Virgínia Rosa, Paula Lima e muitos outros artistas. A Elza Soares que não lota o Canecão tem público gigante aqui. Viva São Paulo e seu público antenado.

19 de março de 2010 18:46  
Anonymous Leo said...

Paula Lima caminha para ser a diva soul que Sandra de Sá (apesar de talentosa) nunca chegou a ser.

Uma das maiores cantoras do país, ainda não tem apelo popular pra encher um Canecão.

Mas é maravilhosa. Bom repertório, voz impecáel, dona de ritmo e divisão impecável.

Salve Paula.

19 de março de 2010 19:28  
Blogger Célia Porto said...

thank you... a Célia aí sou eu Célia Porto. Valeu gente de Sampa.

19 de março de 2010 19:56  
Anonymous Anônimo said...

Tenho todos os cds da Paula Lima, inclusive o dvd e cd SAMBA CHIC, que é tudo de bom! Valeu Paula! Sucesso Minha Linda! Bjs. NIVALDO

19 de março de 2010 21:46  
Anonymous Naminha said...

Paula não é pra Canecão.
Pra Sampa, grandes palcos, tampouco.
Vejo q há uns 2 anos Paula Lima anda desencontrada.
Nem é FUNK COMO...nem alternativa SAMPA, nem 'estourou no RIO', nem modernésima (e parece q tenta), nem classuda (quase convence).
Enfim, acho que Paula Lima (bela figura cênica) anda perdida em sua própria figura.
Falta-lhe estofo, cerne, con teúdo. Sei que citei 3 palavras bem antigas...mas algumas coisas - por enquanto - continuam valendo.
Paula, bonitésima, cabeluda, mulata, ÍCONE, está achando q isso por si vale o baile.
Eu aconselharia a voltar o dedo para si mesma.
E a partir daí jogar as cadeiras, trabalhar o cabelão, propor a festa!!!!

19 de março de 2010 22:55  
Blogger Flávio Voight said...

"banda que contabiliza sete músicos e três vocalistas"

Ô Mauro, cantor também é músico, não?

20 de março de 2010 03:15  
Anonymous Anônimo said...

A Célia referida por mim é a CÉLIA, grande cantora veterana. Desculpe Célia Porto, eu não conheço seu trabalho e não poderia citá-la.

20 de março de 2010 10:58  
Anonymous Barci said...

Não sou bairrista e não suporto bairrismo. E vamos cobinar que MPB em sampa só mesmo nos teatros da rede SESC.Paula e as citadas pelo 18:46 também não lotam HSBC Brasil,Via Funchal e Credicard Hall

20 de março de 2010 13:19  
Anonymous Anônimo said...

18:46 está enganado sob dois primas.

Mônica Salmaso já lotou o Canecão e Elza Soraes não se apresenta em grandes casas paulistas. Já Mariana Aydar pulou do Estrela da Lapa por Canecão sem mais nem porquê mas em SP o máximo que chegou foi ao Auditório Ibirapuera ...

20 de março de 2010 13:35  
Anonymous Anônimo said...

" Muita gente que não vive na Globo lota os shows por aqui."

Esses tais shows são realizados onde ? Pois infelizmente o Barci tem razão:MPB em sampa só mesmo nos teatros da rede SESC. Salvo Auditório Ibirapuera,Sala Adoniram Bardosa e Viga Espaço Cênico.

20 de março de 2010 13:44  
Anonymous Anônimo said...

Os artistas citados por mim lotam teatros grandes e pequenos do Sesc SP, que tem uma rede de teatros deslumbrante, maiores e menores. Existe vida útil na MPB além de HSBC e Canecão do Rio. Temos teatros grandes e lindos como Sesc Pompéia, Sesc Vila Mariana e Sesc Pinheiros. Eles contam pra mim. Um artista que lota um teatro de quase mil lugares tem que ser respeitado. Existem dezenas de teatros menores que também lotam com bons nomes. Isso também é bacana. No Rio uma artista como a Fabiana Cozza não lota o Rival. Aqui em SP ela lota o Sesc Pompéia com ingressos esgotados. É isso! No Rio o problema não é só o Canecão, é geral. O público é mais difícil. Adoro a cidade maravilhosa, mas é verdade. Meus amigos daí todos comentam. É a vida! Mais uma vez, existe vida útil na MPB, além de HSBC e Canecão. Graças ao bom Deus! Gostaria de ter visto a Mariana Aydar no Bourbon Street Music Club, mas não consegui. Ingressos esgotados. E viva Sampa!

20 de março de 2010 17:45  
Anonymous Anônimo said...

Mas Mariana Aydar já se apresentou no Auditório Ibirapuera e no Teatro do Sesc Pinheiro. O Bourbon Street Music Club cabem 450 pessoas e é menor que os outros dois!


Me diga quando Ná Ozzetti, Mônica Salmaso, Verônica Ferriani, Mariana Aydar, Vânia Bastos, Celia, Virgínia Rosa, Paula Lima, Elza Soares, Fabiana Cozza, Cida Moreira, Zizi Possi e Olivia Byington se apresentaram no HSBC Brasil,Via Funchal e Credicard Hall ?

20 de março de 2010 22:36  
Anonymous Anônimo said...

Maria Rita, Mônica Salmaso,Teresa Cristina,Roberta Sá, Martinália e até Ana Cañas já subiram ao palco do Canecão.

20 de março de 2010 22:40  
Anonymous Anônimo said...

No Rio tem Teatro Oi Casa Grande,a Sala Cecilia Meireles, o belo Espaço Tom Jobim,Teatro do Sesc Ginástico,Teatro Carlos Gomes, a Sala Baden Powell, o lendário Teatro João Caetano e requisitado Teatro Rival. Enfim, são casas de médio porte. Mas todas querem o Canecão !!!!!

20 de março de 2010 22:45  
Anonymous Anônimo said...

Só sei que para celebrar o relançamento do CD " SHOW "(Biscoito Fino )Ná Ozzetti programou dois shows no Tom Jazz, ontem e hoje, e lá cabem 200 pessoas.Foi onde Zizi gravou seu DVD aliás.

20 de março de 2010 22:59  
Anonymous Imburi said...

17:45,

Fabianissima Cozza esteve no Rio essa semana e depois de não lotar o Teatro Rival foi mais cautelosa e lançou seu DVD em show no Allegro Bistrô Mordern Sound

20 de março de 2010 23:06  
Anonymous Anônimo said...

No Rio tem Teatro Oi Casa Grande,a Sala Cecilia Meireles, o belo Espaço Tom Jobim,Teatro do Sesc Ginástico,Teatro Carlos Gomes, a Sala Baden Powell, o lendário Teatro João Caetano e requisitado Teatro Rival. Enfim, são casas de médio porte. Mas todas querem o Canecão !!!!!(2)

Mas defendo a Paula contra o Mauro no quesito falação pois a campeã é Leny Andrade e nunca foi gongada.(2)


Paula vive resplandescente fase profissional pois além do "Ídolos" está no musical "Cats" e pelo visto ( com sete músicos e três vocalistas em cena )investiu bem nesse espetáculo.Pena não rolou o retorno!(2)

21 de março de 2010 13:35  
Anonymous Anônimo said...

Qq artista q seja um pouco mais mainstream ou bairrista lota um Sesc porque o ingresso é baratérrimo. As pessoas acima se esqueceram de mencionar esse fato!

21 de março de 2010 13:42  
Anonymous Anônimo said...

Porque o ingresso é baratérrimo e porque os espaços são pequenos. As pessoas acima se esqueceram de mencionar esse fato!

21 de março de 2010 14:32  
Anonymous Anônimo said...

Eu até tento gostar de Paula.Digo da cantora pois da pessoa eu acho um amor

21 de março de 2010 16:20  
Anonymous Anônimo said...

Quanta bobagem!
O que importa é a qualidade da música. Se multidão fosse sinônimo de qualidade Ivete Sangalo seria o melhor da nossa música. A boa música é biscoito fino para ouvidos apurados. Ainda bem que a Mõnica Salmazo não lota o HSBC. Ninguém lota o HSBC. Nunca vi aquilo lotado. Só o Inclassíficáveis do Ney. Mas o Ney é um atista nada comum. E ponto! Quem desejar ver show com casa lotada apareça no Calypso. Está sempre transbordando de gente. Que falta do que fazer esse bate-boca sem necessidade. Vamos nos ocupar de coisa mais produtiva. OK?

21 de março de 2010 22:35  
Anonymous Anônimo said...

Deveria ter recorrido mesmo a outra casa de show pois o Canecão anda meio amaldiçoado.

Marina não lotou nenhum dia do seu show Primórdios e depois escolheu o Circo e o Ginástico.Em SP,dizem,bombou

Angela RoRo prefere o Rival-BR.Só deu as caras no Canecão se valendo da popularidade de Ana Carolina e mesmo assim em única apresentação.

Leny Andrade nem sei se já cantou no Canecão ...

Fafá de Belém e Elza Soares já cantaram no Mistura Fina e no recorrente Rival-BR.

22 de março de 2010 12:20  
Anonymous Anônimo said...

Alô ouô: é SalmaSo!!!!
Se público fosse sinônimo de qualidade estaria a Alcione como pilar.

22 de março de 2010 13:29  
Anonymous Diogo ! said...

Tive o prazer de ir num show de Mônica Salmaso no Teatro Municipal de Itajai há alguns meses. O Teatro cabe 505 pessoas - confortavelmente sentadas - e fiquei surpreso pois se sobraram 30 ingressos foi muito. É uma pena que Paula Lima não tenha conseguido o retorno esperado com esse show no Canecão!


PS:Particularmente já tinha notado que a programação do Canecão já não era a mesma de outrora e que alguns nomes da MPB estavam com dificuldades(?)pra lotar a casa.Também noto que alguns nomes como Ná Ozzetti e Cida Moreira se apresentam no Rio de Janeiro em locais pequenos.


Um abraço a todos!
Diogo Santos
Balneario Camboriu-SC

22 de março de 2010 16:40  
Anonymous Anônimo said...

Mistura Fina e o Allegro Bistrô são as mais paulistas das casas cariocas

22 de março de 2010 19:28  
Anonymous Anônimo said...

Eu já assisti á vários shows de Zizi Possi no Canecão, no antigo Tom Brasil, e ela tambem já se apresentou no Via Funchal, e no Credicard Hall.
Por isso quem citou acima que ela nao se apresentou nessas casas, está equivocado.
O problema que hoje em dia nenhum artista faz grandes temporadas, veja por exemplo Bethãnia e Gal que fazia meses o Canecão e hoje em dia não fazem mais isso.É a crise!Ingressos muuto caro!

22 de março de 2010 22:28  
Anonymous Anônimo said...

Leny Andrade já fez Canecão e nao lotou.Mas lotar casa de show é de menos. Se lotar casa fosse sinonimo de musica de qualidade, um monte de cantoras iriam parar de cantar, pois no Brasil quase sempre o que é bom, não dá público.

22 de março de 2010 22:31  
Anonymous Anônimo said...

lotar casa de show é de menos ?

23 de março de 2010 11:18  
Anonymous Anônimo said...

Pergunte a Paula e seu empresário se com o investimento feito pra esse show, lotar é o de menos ....

23 de março de 2010 11:33  

Postar um comentário

<< Home