24 de fevereiro de 2010

Cordel anuncia fim e edição de registro ao vivo

Grupo musical formado em 1999 por integrantes de Arcoverde (PE) e Morro da Conceição (Recife, PE), a partir de experiência teatral que já se desenvolvia há três anos, o Cordel do Fogo Encantado anunciou seu fim nesta quinta-feira, 24 de fevereiro de 2010. O fim da banda foi motivado pela saída de Lirinha. Vocalista e mentor do grupo, José Paes de Lira explicou por meio de comunicado - postado no site oficial da banda e replicado via Twitter - que deixou o Cordel pela "vital necessidade de trilhar novos caminhos". Em outro comunicado, o produtor do grupo, Antonio Gutierrez, anunciou que a última apresentação do Cordel - realizada e gravada ao vivo no Marco Zero, no Centro Histórico de Recife (PE), em 14 de fevereiro, ou seja, há dez dias - vai ser editada em breve nos formatos de CD e DVD. Gutierrez informou ainda que o grupo também pretende lançar material de arquivo, selecionado entre registros realizados ao longo dos seus onze anos de existência. A discografia do Cordel inclui três discos de estúdio.

8 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Grupo musical formado em 1999 por integrantes de Arcoverde (PE) e Morro da Conceição (Recife, PE), a partir de experiência teatral que já se desenvolvia há três anos, o Cordel do Fogo Encantado anunciou seu fim nesta quinta-feira, 24 de fevereiro de 2010. O fim da banda foi motivado pela saída de Lirinha. Vocalista e mentor do grupo, José Paes de Lira explicou através de comunicado - postado no site oficial da banda e replicado via Twitter - que deixou o Cordel pela "vital necessidade de trilhar novos caminhos". Em outro comunicado, o produtor do grupo, Antonio Gutierrez, anunciou que a última apresentação do Cordel - realizada e gravada ao vivo no Marco Zero, no Centro Histórico de Recife (PE), em 14 de fevereiro, ou seja, há dez dias - vai ser editada em breve nos formatos de CD e DVD. Gutierrez informou ainda que o grupo também pretende lançar material de arquivo, selecionado entre registros realizados ao longo dos seus onze anos de existência. A discografia do Cordel inclui três discos de estúdio.

24 de fevereiro de 2010 22:34  
Anonymous Anônimo said...

3 discos de estúdio e um DVD ao vivo

25 de fevereiro de 2010 00:51  
Anonymous Anônimo said...

Que lástima!!Com tanta coisa ruim trombando em nossos ouvidos nesse país, logo essa que era uma das coisas mais originais que nós tínhamos à nossa disposição, anuncia seu fim...Ao vivo era uma das coisas mais impactantes que já pude presenciar (e olha que cheguei a ver pelo menos uns 10 shows, entre Recife, Maceió e BH). Só nos resta agora curtir o legado deixado pelos caras e esperar esse registro ao vivo que promete muito!
Abs,
Ricardo Guima

25 de fevereiro de 2010 11:44  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, me desculpe, mas esse grupo era triste para os meus ouvidos. Muito barulho, interpretações super equivocadas, enfim... Não consigo entender o sucesso desses caras!

25 de fevereiro de 2010 14:16  
Anonymous Denilson said...

Mauro,

Totalmente off-topic, mas estou adorando ler os posts antigos que você disponibilizou no menu "archive" do seu blog.

Não me recordo se já estavam lá antes, mas estou achando muito legal. Recomendo a leitura a quem puder.

Quanto ao Cordel, assisti a algumas apresentações na tv, mas não deu tempo de eu formar uma opinião. Mas me pareciam ter uma proposta artística interessante. Lamento que tenham terminado.

abração,
Denilson

25 de fevereiro de 2010 16:50  
Anonymous Danilo said...

"Muito barulho, interpretações super equivocadas"[2]

Pois é,também tive essa constatação vendo o show dos caras, é só barulho não há lugar pra voz, não entendi nada.Na verdade achei um saco, mas sabe como é, tem uma aura cult...

26 de fevereiro de 2010 18:43  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade disse

No Som Brasil equivocado que a Globo faz, na temática de Milton Nascimento, eles foram os melhores, fizeram algo diferente, saíram do lugar comum e feijão com arroz que todo faz.
Arrebentaram em Fé cega, faca amolada e Cio da terra.
O problema é que a turma continua querendo que surjam novos Caetanos, Chicos, novas Bethanias, Simones, Zizis....
Se o mundo se acabar e só sobrarem eles e Roberto Carlos?
Vão escolher o Reiu, ai o mundo pode se acabar de novo.
Roda mundo roda gigante, roda moinho roda pião.

26 de fevereiro de 2010 23:23  
Anonymous Anônimo said...

Foi justamente nesse especial sobre Milton que enterrei de vez esse grupo. Interpretações completamente equivocadas sobre a obra de Milton. Uma verdadeira agressão ao autor. Mariana Baltar , essa sim, fez bonito. Milton é pra ser interpretado daquela maneira. Com delicadeza e sensibilidade e não daquela maneira anárquica desse grupo em questão.

27 de fevereiro de 2010 12:51  

Postar um comentário

<< Home